21 de agosto de 2012 03:43

Por Renata Poskus Vaz

Se tem alguém que conseguiu deixar algumas gordinhas nervosas neste fim de semana foi a colunista Deborah Bresser, do Portal IG. Em uma matéria sobre o Fashion Weekend Plus Size ela desceu a lenha em alguns dos modelos apresentados na passarela. Segundo algumas leitoras que se pronunciaram em meu Facebook, os comentários da jornalista foram preconceituosos, deselegantes e malcriados.

Em primeiro lugar vou dizer que como organizadora do Fashion Weekend Plus Size fiquei super honrada com a presença da Deborah, que é uma das mais renomadas críticas de moda do País. A mulher estuda e escreva sobre moda desde que eu tinha uns 6 anos de idade (tempo pra caramba!). Ela entende pacas e é respeitada por isso. Também como organizadora acredito que as críticas podem contribuir para que meus clientes, as grifes, aprimorem cada vez mais as suas coleções e elevem o próprio evento.

Já como blogueira de moda plus size, representante de toda uma classe de mulherões, também fiquei magoada com algumas legendas das fotos. Todavia, sei muito bem que nós lutamos para ter os mesmos direitos que as magras e esperar que passem a mão em nossa cabeça em uma crítica de moda é utopia além da conta. Enfim, não somos mais café com leite.

Hoje, fui rever as críticas para fazer esse artigo, mas notei que algumas legendas foram alteradas. Algumas ficaram mais diretas, sem brincadeiras que muitas de minhas leitoras consideraram jocosas. Até a foto de Mayara Russi caída na passarela (ela tropeçou em um desnível que eu, bestamente, não consegui detectar antes do evento começar) ela retirou. Que bom!

De acordo com o que foi levantado pela jornalista, gostaria de dar a minha opinião:

Modelos #chatiadas

A modelo citada no artigo do IG como “#chatiada” não faz parte do casting oficial do FWPS, embora ela seja linda! Foi uma modelo contratada pela própria La Mafê, que em todos os desfiles usam cerca de 5 a 6 modelos exclusivas da marca. Oriento as nossas modelos a sorrirem sempre na passarela, pois essa postura passa um ar descontraído para o desfile. Porém, se o estilista quiser, elas devem se adaptar ao semblante desejado por ele nas modelos. Na segunda edição do FWPS a marca Flight Level solicitou que as modelos fizessem caras e bocas (leia-se biquinhos) na passarela, imitando pinups. Ou seja, cada um quer uma postura diferente na passarela.

La Mafê solicita que as modelos entrem sérias. Nunca perguntei o porquê, mas deve ser para chamar atenção para as roupas e não para a cara fofinha e simpática das modelos. É um direito do estilista definir se quer modelos sorrindo ou sérias, andando rápido ou calmamente. Isso acontece no São Paulo Fashion Week, na Casa de Criadores e em todos os desfiles de magras do País. Modelos magras entram com cara de ausência (sim, acabei de inventar este termo) e todo mundo acha lindo. Porém, de nossas modelos gordinhas, esperam sempre o mesmo sorriso escancarado, que ajuda a compor aquele estereótipo de que toda gordinha é simpática e boazinha. Não! Existem gordas poderosas, sérias, contidas etc também.

Mayara Russi no chão

Mayara Russi, no final do desfile da Enfase Plus by HLM, tropeçou em um desnível da passarela (ok, já sei, eu relaxei!) e caiu. Poxa, ela é uma profissional nota 10 e salientar esse tombo e desprezar a contribuição que essa Top Plus Size tem na moda é no mínimo muita ignorância. Por sorte (e merecimento) a foto dela caída foi retirada. Mayara é diva e deve ser respeitada! E o IG Moda não é programa do Nelson Rubens, não precisa disso.

Pelo direito de ser periguete

Na matéria, Deborah cita a Milanina como criadora do periguetismo plus size. Eu ri muito! Mas eu acho que a proposta da grife é essa mesma. Nós já sabemos onde comprar roupas longas, largas e comportadas. E quem gosta de saias curtas, roupas justas e outros atrativos fashion para balada? Milanina veio suprir essa carência. Quem nunca quis uma minisaia ou uma roupa mais transada, mas não achou para comprar? Talvez seja inadequado esse tipo de roupa para um mulherão de 50 anos, mas uma menina de 20 pode ousar sem problema algum. Dizer que nenhuma gordinha pode usar roupa curta ou justa é bobagem! Conheço um monte de mulherões que tem pernas bonitas e nada sobrando. Acredito que temos os mesmos direitos das outras mulheres, inclusive o de ser periguete!rsrsr

Blusa com recortes

Essa blusa da Loony Jeans também foi alvo de críticas como sendo uma blusa que só serve para deixar a gordurinha saltando para fora. Eu concordo que para se usar uma blusa com recortes, a blusa não pode ficar justa, muito menos apertada. Mas uma mais larguinha ou gordinhas de braços mais durinhos podem usar sem problema.

Veja outras críticas e diga se concorda ou não com elas. Clique aqui para ler.

  • Eu acho super importante que tenha uma grife que faça roupas de “periguete” ou com ar mais jovens. Porque se uma magra quer usar uma saia curta, ela acha fácil, e as plus sizes? Todos os dias temos que nos vestir com saias de santas até os joelhos?

    Como modelo, não gosto de sorrir na passarela, acho que só reforça o esteriótipo que somos todas bobas simpáticas que buscamos na simpatia um jeito das pessoas não se importarem com nossa gordura. Eu sempre fui gorda, exceto nos períodos que desmaiava de fome ou ficava cinco horas por dia na academia, e nunca fiz questão de agradar quem não me agrada, de usar a simpatia de modo excessivo para conquistar os outros. O meu jeito é esse e eu não tenho que mudar para ser aceita, ser simpática porque é o seu jeito é uma coisa, forçar para agradar os outros é outra.

    Porém, se o cliente pede, eu sorrio (com dificuldade) porque é meu trabalho. Adoro desfilar para La Mafê com minha cara de ausência, como inventou a Renata. Acho que às vezes é muito melhor ficar séria do que com o sorriso forçado e torto que eu, e muitas modelos, acabam dando.

  • Kamila

    Olá Re,
    Adorei ver algumas fotos do FWPS, e como sempre, você arrasou no evento!
    Também li a reportagem da Deborah no portal IG, embora seja entendida no assunto, alguns comentários da parte dela poderiam ter sido evitados.
    Beijos!

  • Naiara Escobar

    No fundo no fundo eu acredito que muitas dessas jornalistas de moda só esperam uma oportunidade pra poder critícar ,o movimento plus deve incomodá-las muito ,assim como incomoda muita mulher por aí que se sente ameaçada ….ela exagerou um boncado , o ‘piriguetismo’ não é tão piriguete assim ….perfeitamente usável , pra quem tem vontade e um fisíco bacana como da modelo ….
    Beijos pra vcs ,estão de parabéns pelo evento!

  • Talvez, a opinião que eu vá expressar aqui, pode irritar algumas pessoas, mas, apenas se interpretarem da maneira errada.

    Tenho 25 anos, e sempre que vou em uma loja para gordinhos, fico horas procurando uma roupa que combine comigo, e que não me faça aparentar ter muito mais idade do que tenho, já que, normalmente, é isso que acontece. O mercado Plus Size está expandindo (graças a Deus, rs), e as grifes estão criando roupas com cortes e estampas diferentes, mais modernos. Porém, apesar de várias marcas já comercializarem os modelos Plus, eram roupas mais sérias e sóbrias, então, as outras pessoas estão acostumadas com nós, gordinhas, usando este tipo de roupa. E isso não é culpa delas, é culpa da mídia, que sempre tenta enfiar nas mentes um estereótipo padrão! Se o mundo vê uma moça magrinha com saia Mullet, short curtinho e até com as celulites ressaltadas por uma calça branca, a “sociedade” aceita e acha comum. Ela tem celulite? Tudo bem, toda mulher tem. Ela tem a “bunda mole”, não tem problema, ela é magrinha. Mas, por pura falta de costume, se alguém vê uma gordinha com um short, saia, ou com roupas brancas, mesmo que seja uma gordinha mais durinha, ela vai achar diferente e vai comentar. E eu acho que a Deborah Bresser se encaixa nesse perfil. Ela trabalha há séculos com moda, e há séculos está acostumada a ver todos os tipos de roupas em magrinhas! Então, quando alguém lança algo diferente para gordinhas, “choca” mesmo. E isso é um bom sinal, porque significa que nós estamos firmes, fortes, felizes e orgulhosas sendo nós mesmas. A sociedade têm sim esta imagem fixa na mente de que as gordinhas estão sempre se escondendo, e tentando se encaixar no padrão que a mídia impõe! E o “lançamento do piriguetismo Plus Size” (adorei isso. haha) está aí como um tapa na cara dessa sociedade, gritando em alto e bom som que nós também temos poder e confiança pra usar e abusar desse tipo de roupas.

    E pra finalizar, sinceramente, eu acho que não vi nada demais nas críticas da Deborah. Honestamente, eu acho que a maior parte do preconceito veio de nós! Que, ao invés de tentarmos entender o contexto, ficamos na defensiva, apenas lendo as críticas à grosso modo, e entendendo da maneira errada. Como eu disse acima, ela está acostumada com um estereótipo, e não vai ser do dia pra noite que ela vai se acostumar com nós, gordinhas, arrasando por aí! Rsrs…

    É isso! Perdão pelo post (porque isso não é um comentário, rsrs), mas eu tinha que expressar a minha opinião sobre o assunto, rsrs.

    Beijão, e tenha um dia lindo!

    Adoro o blog ;D, parabéns!

    • Rafaela

      Concordo plenamente com você Paty, infelizmente cada um tem seu gosto e sua visão !!

      bjss

      • Verdade! E, para convivermos em paz, temos que aprender a respeitar a visão alheia né… fazer o quê! Heiuhauheuihua!

        Beijão, Rafa!

  • Sempre tem alguém que vai descordar de alguma coisa! Críticas são construtivas, as grifes tem muito que evoluir, mas os primeiros passos estão dados! as modelos tem que se profissionalizar, algumas já estão no nível profissional, como a Mayara, outras ainda precisam de um pouco mais de experiência, mas isso só vem com o tempo e prática, vamos lembrar que são super poucos os desfiles de moda plus pelo mundo, então fica mais difícil adquirir experiência! rs
    De qualquer maneira o evento foi um sucesso, quanto mais gente falando melhor! rs

    Beijos, parabéns pelo evento e pelo blog!

  • Thereza Alcântara

    Olá!!
    Amei as fotos do desfile.
    Acredito que sem exageros tudo é permitido, seja para magrinhas ou gordinhas, basta se sentir bem!
    Bjs

  • Não conheço a autora da matéria no IG e fui lá ler. Achei que ela foi grosseira em muitos momentos, parecendo aquele povo ignorante que na rua fica encarando quem é gordo como se nunca tivesse visto! Comentar tamanho de bumbum de uma – com adjetivos exagerados e quase infantis – por exemplo, me pareceu rude além da conta!

    Mas, cada um dá do que tem, né?

    Beijão, boa semana.

  • Marlene

    Eu particularmente não gosto e não uso roupas muito acima dos joelhos, pois da um efeito estético que eu não gosto.
    Agora cada uma é cada uma né.Quem gosta usa.

  • Bruna

    Acho que tudo depende de como é o corpo da pessoa – se é um corpo BONITO, bem feito, não se é magro ou gordo, porque tem corpo feio em todos os tamanhos – e se a pessoa quer ou não disfarçar imperfeições. Eu ri muito do “periguetismo plus size” porque tenho uma saia IDÊNTICA àquela, que comprei na Renner – algumas provavelmente vão me esnobar porque uso 42 e teoricamente 42 não é plus size, mas isso é porque tenho quadris relativamente estreitos, sou gorda sim, uso sutiã 48. E, de boa…sou gorda mas malho, sou durinha, tenho pouca celulite, vou deixar de usar saia curta POR QUÊ? Porque a sociedade acha ruim? E ela paga minhas contas?
    Acho legal usar os recursos que a moda te dá pra esconder defeitinhos – que todo mundo tem, magra ou gorda, eu por exemplo acho meus braços grossos, não gosto deles, mas acho minhas pernas, minha barriga e meu bumbum bonitos. Então vou focar minha atenção em roupas que disfarcem o volume do meu braço, mas não vou me esconder atrás de uma muralha de roupas pretas de velha. Não tenho que me achar feia por inteiro só porque sou gorda – e nem quero disfarçar esse fato que é óbvio pra qualquer um que olhe pra mim.

  • Bruna

    A propósito, pirei no vestido de renda da Milanina, hehehe

  • Paula Regina

    Assim eu entendi: não foi o que ela disse e sim como ela disse. Realmente, existem toques, dicas, indicações bastante pertinentes por quem trabalha no mundo fashion, mas … podeira ter escrito de maneira mais lisonjeira, isso poderia.
    Adoro o programa, tanto a edição nacional, com Arlindo Grund e Isabella Fiorentino, quanto as edições inglesa e americana do What Not to Wear e todos, todos dão pitacos sobre o que fica bem e não fica bem em plus-size, contudo de maneira leve e pedagógica.

  • Roberta Barboza

    Qdo vi a materia ontem feita pelo ig, confesso que senti incomodada, sou plus e com muito orgulho, e tenho meu lado perua sim , adoro decotes, tendencia onça, no meu ver tudo estava perfeito, essa “profissional” , foi infeliz em seus comentários.
    bjs a todas

  • O que me chocou foi uma modelo como a Mayara (talvez a principal, o destaque do desfile) desfilando de LEGGING e com uma BLUSA QUE MAL CABIA NELA. Quem deixou passar esse desleixo?

  • Tania

    Eu acho que ela foi na onda do “como parecer mais magra”, sem entender que atualmente não estamos querendo “parecer” nada. Queremos usar nossas roupas, bonitas, para nos expressar. moda é isso, expressar -se através do que você veste.!

  • Gisele Ruiva

    Renata, Keka, equipe mulherão,
    EU PRECISO DAQUELA SAIA!!!!
    hahahah
    A de periguete mesmo—-

    Brincadeiras a parte, eu acho que não só essa pessoa precisa se inteirar do nosso mundo, e sim todos, a realidade é que infelizmente as pessoas nao conseguem entender que todos buscam viver bem, bonitas e felizes….

  • drasamid

    Algumas roupas eu não usaria de jeito nenhum, outras eu faço questão de ter no meu roupeiro…. a moda é assim, agrada uns e desagrada outros.
    Achei os comentários do IG Moda preconceituosos e debochados.
    Não curti!

  • Sharon Fanny

    Assim…não acho que todas as lojas sigam a verdadeira tendência apresentada por grifes que vende roupa para magros!Algumas coisas, realmente beiram à breguice!Mas, cada gordinha tem um corpo!Ela sabe o que realça e o que não realça!
    Eu tenho o braço grossão…então,não vou usar uma blusa aberta dos lados!Mas, na modelo que aparece com a blusa preta…ficou bem nela!!!

    E engraçado…quando vc ver a Miranda Kerr desfilando…ela não está rindo…assim como a Kate Moss e por ai vai!Pq desfile GG as pessoas tem que está sorrindo ou fazendo gracinha!
    Mas,no caso, da modelo que está séria…realmente, ela está séria demais!!!Tem q ter um olhar mais ameno….pensar que é um cabide mesmo!Pq o q tem que sobressair….são as roupas!!!

    Mas,essa mulher que se diz uma pessoa que sabe muito da moda….não sabe escrever um artigo crítico….ela realmente beira à falta de respeito e mais, um pouco, ela faz gracinha!!!

  • Pingback: Milanina | Defesa do Blog Mulherão – amamos!()

  • Crítica todo mundo tem às roupas plus. Eu sou blogueira e olhei peça por peça. Gostei muito de algumas, outras achei ousadas e outras simplesmente não gostei, sabem porque? Porque aquilo não me vestiria bem. Não compro e pronto, simples assim.

    Cada mulher sabe o que tem de melhor e isso serve para as gordinhas e magrinhas.

    Adorei as peças mais curtas, achei lindo e esse é mais um passo positivo para mostrar que a moda plus está melhorando e inovando cada vez mais e podem ter certeza … o que vai ter de fofa desfilando as pernocas roliças e sem imperfeições por aí =)

    Calças brancas eu adoro e só lembrando a crítica de moda aí … tudo depende do tecido que é usado, não é?

    Bom, não quero me estender tanto no assunto mas o que falar de algumas peças de alta costura que são apresentadas no SPFW e outras semanas de moda ao redor do mundo? Roupas que não são usáveis nem em marte e são ovacionadas por essas pessoas que “entendem de moda”. Oi?

    Beijos,
    Shirlei
    http://espacoplussize.com

  • Eu não gostei da maneira que a autora escreveu os comentários das fotos, não parecia uma jornalista de respeito, mas uma tia que vê outra mulher na rua e está pronta para julgá-la apenas pq quer se sentir melhor com seus próprios defeitos. Mas ao ler o texto dela, achei bom! Ela perde o tom tia invejosa e ganha o tom jornalista de moda esclarecedora. Concordo com ela que as marcas plus size ainda têm que evoluir na confecção de alguns shorts e calças que não são bem construídos para o nosso corpo e ficam com uma aparência de desleixo e que o stylist não foi feliz em algumas combinações de roupa, o q levou a algumas modelos com looks tias e/ou bregas.
    Para mim ela não estava apensa julgando o desfile e as roupas, mas instruindo o consumidor que talvez não saiba como usar as roupas desfiladas a seu favor.Essa instrução foi boa até um ponto, ela só se perdeu ao usar expressões depreciativas, pq me desculpem as Suelens do Brasil, mas “piriguete” é um termo depreciativo.
    Gente, ninguém acha a Cida ou a Rosário, empreguetes da novela Cheias de charme, piriguetes e elas usam saias nesse comprimento, ou até menores, agora a modelo é piriguete pq? Pq a perna dela é mais grossa? Pq as gordinhas carregam o estigma de fácil, e se usarmos saias acima do joelho é pq queremos dar? Por favor…
    Eu tenho 24 anos, se coloco uma saia na altura do joelho me sinto velha, mas sempre que coloco comprimentos mais curtos sou julgada e chamada de piriguete, sendo que meu comportamento é o oposto disso. EU QUERO USAR SAIAS NO MESMO COMPRIMENTO QUE TODAS AS MULHERES DA MINHA IDADE USAM E EU NÃO VOU PERMITIR QUE ME DEPRECIEM APENAS PQ MINHAS PERNAS SÃO MAIS GROSSAS E A SOCIEDADE QUER QUE EU AS ESCONDA PARA SE SENTIREM MELHOR .

  • Pingback: Defesa do Blog Mulherão - amamos! -Milanina Inverno 2014()