17 de outubro de 2012 20:48

Há apenas uma coisa que me assusta mais do que o preconceito. É o preconceito cometido por aqueles que também já foram vítimas de preconceito. Você passa a vida inteira sendo ofendida por ser gorda e no dia em que recupera sua autoestima passa a discriminar aqueles que são diferentes de você. Confuso? Calma que eu vou explicar.

Preconceito contra as magras

Vira e mexe vejo mulheres gordas compartilhando imagens de magras no Facebook com dizeres que discriminam aquelas de silhueta menor. As frases variam pouco, quase sempre se restringem a: “quem gosta de osso é cachorro” ou “isso não é bonito (magreza), isso sim é bonito (sobrepeso)”. Fico me perguntando que mal fizeram as magras de nascença ou aquelas que emagreceram por algum problema. Assim como ninguém é obrigado a achar gorda bonita, ninguém é obrigado a gostar do corpo magro. Mas ficar aí disseminando ódio não rola. Como uma mulher que por tanto tempo sofreu discriminação por causa do seu excesso de peso pode esquecer que por trás daquela figura magra existe um ser humano, com sentimentos?

Se existe gordofobia, existe magrofobia, sim. O desafio está em ser feliz, ter autoestima sem precisar desqualificar ninguém por causa da sua silhueta. Esse preconceito também rola com as amigas que emagrecem, seja por cirurgia ou por opção. Enquanto é gorda é super bem aceita no grupo das amigas gordinhas. Ficou magra, já era. É banida ou recriminada por ter abandonado a “causa”. Talvez seja insegurança das magrofóbicas e não um desprezo verdadeiro. Mesmo assim, deve ser combatido.

Não consegui aquele emprego porque sou gorda!

Outro aspecto importante a se destacar é no que se diz respeito ao mercado de trabalho. Eu sempre fiquei muito com o pé atrás com os processos seletivos realizados por intermédio de empresas de recrutamento. Isso porque fica muito difícil, para mim, leiga, entender como uma pessoa que não trabalha na empresa que ofertou a vaga, seja capaz de decidir quais candidatos são ou não aptos para aquela vaga. Como julgar se as informações naquele currículo são ou não consistentes ou relevantes?

Todavia, já vi dezenas de pessoas gordas conseguindo emprego e tendo passado por dinâmicas e seletivas de empresas de recrutamento. Inclusive, tenho leitoras e amigas próximas que são gordas, muito bem resolvidas e com excelentes empregos e salários, exercendo, inclusive, cargos de chefia. Tendo isso em vista, como alegar que gordas não conseguem empregos por serem gordas? Sim, claro que isso deva ocorrer, pois os selecionadores são humanos e como quaisquer humanos, mesmo diante do exercício de suas atividades profissionais, podem discriminar um candidato feio, baixo, gordo, negro… Isso acontece. Mas não é regra! Portanto, não é desculpa ficar eternamente desempregada usando como argumento que selecionadores magros jamais a aprovariam.

Reavalie, inclusive, o seu currículo. Pessoas que conquistam vagas pelas quais você também pleiteou, podiam ser mais preparadas, já pensou nisso? Não desista!

Gente, ser gorda não é uma causa, uma bandeira e nem um estilo de vida. Ser gorda é uma condição física que pode mudar. Você tanto pode emagrecer, como também pode engordar mais 100 Kg e o desafio está em manter a sua essência, o seu caráter, sem se colocar eternamente na condição de vítima, sem menosprezar ou atacar aqueles diferentes de você.

 Ele só gosta de magra!

 Acusar um homem de preconceituoso ou gordofóbico por só gostar de mulheres magras é um exagero sem tamanho. Se o homem não faz nenhuma referência pejorativa às mulheres gordas, apenas diz que prefere magrinhas, que é louco por mulheres miúdas, ele não está sendo deselegante, apenas está manifestando uma preferência. Da mesma forma que elegemos o “muso” de nossas vidas, com características que admiramos e que variam de pessoa para pessoa, porque exigir que todo homem sinta atração sexual por você? Ninguém é obrigado a gostar de mulher gorda. Mas, felizmente, muitos adoram mulheres voluptuosas, repletas de curvas, como nós.

Então, se você se apaixonou por um homem que só gosta de magra, não adianta lutar contra isso. Você tem duas opções. Ou emagrece para tentar alguma chance de conquistá-lo ou viva como é, porque certamente um dia alguém vai valorizar cada curvinha que você tem.

 Segue, abaixo, um texto bacana sobre magrofobia:

Got sin? Gordas x magras

 

 


relacionados

Você vai gostar também

  • Clap clap clap … nem tenho o que acrescentar. Parabéns!!!

    • renatavaz11

      Obrigada! 🙂

  • silvani vicente da hora

    Nossa que bom que perdi o sono e vim logo conferir essa matéria.
    Amei,vc disse tudo,tem gente que ataca as magras,pra compensar sua gordura ou vice r versa.
    Infelizmente conheço uma ex-gorda(pós cirurgia bariatrica ) que inferniza a vida das gordas,esquece de dentro de um corpo volumoso como o nosso,existe um coração do . tamanho do coração de qualquer ser humano.
    Gostaria ate de sugerir que postasse uma matéria sobre ex- gordas que descrimina as gordas atuais.(desabafo).
    Parabens pela matéria rica.

  • Helena de Souza Rodrigues

    Ameeeeiiiiiiiiiiiiiio texto! Raramente alguém se refere a nós gordas como gordas! Sempre tem aquela falsidade de gordinha-fofinha-gostosinha! Meus parabéns por sua matéria! Magr ou gorda o importante é se respeitar e respeitar os outros! Hoje eu já aceito e acredito que existem sim pessoas que se setem muito bem no peso que tem… ainda que eu não seja uma delas! Tenho me esforlado muito para chegar num peso x, que não é perigoso para minha saúde! E vou conseguir……

    • renatavaz11

      kkkkk Ai Helena, tenho que tomar cuidado com essa minha boca. Sabe, antes eu achava o termo gorda bem cruel. Porém, convivendo com outras meninas mais gordas do que eu e que se autointitulavam “gordas” vi que essa história dos diminutivos era muito mais pesado. Então, refiro-me às minhas clientes, leitoras e a mim mesma como gorda. Ontem, conversando com um amigo, sem querer mencionei que ele era gordo. Estava num contexto, numa frase, mas ele pegou aquela palavra e fez um inferno. Ficou verdadeiramente ofendido e magoado. Aí percebi que tenho que ter mais delicadeza para falar sobre isso. Ele disse: “não é porque você não se importa que te chamem te gorda, que tenha que sair chamando os outros assim. Eu não sou gordo!”. Bom… Perdi um amigo. rsrsrs

      Você disse que não se sente bem com o peso que tem. Acho que é questão de tempo se acostumar e ser feliz assim, ou tentar mudar. O que não rola é o desespero, dietas da moda etc.

      Beijos

  • Paula Regina

    Renata, meus parabéns pela crônica.

    Conheço, e já te falei a respeito, uma pessoa que emagreceu e fica boicotando o emagrecimento alheio para que apenas ela possa exultar o “novo” corpo; que somente ela fique com um sucesso ou com o status de determinada e disciplinada, esquecendo-se que ela emagreceu por uma desilusão amorosa, um término de casamento, e quis emagrecer porque a nova companheira do ex-marido é magra e bem sucedida e porque mais enxuta, um novo bofe viria mais rapidamente.
    Isto é, emagreceu a não para si e sim para dar resposta a seu coração ferido e humilhado pela traição do marido e um término de relacionamento.

    Ou seja, Renata, há vários vértices para a questão emagrecimento e as pessoas ao redor. E o mais triste é ter ciência que o ser humano não apenas precise estar bem por fora, o por dentro também precisa ser trabalhado da mesma maneira.

    bj grande.

    • renatavaz11

      Não posso atirar pedras sobre quem magrece para agradar os outros porque já passei por isso muitas vezes em minha vida. Meu emagrecimento sempre veio para agradar alguém ou para ser aceita. Meu peso não me incomodava, mas eu sabia que incomodava pessoas ao meu redor e queria a todo custo ser aceita. Eu sei o que sente sua amiga e consigo compreender também que ela queira reinar sozinha nesse mundo das recém-magras, embora não ache iso certo. rsrsr

      Beijos, Paulinha!

  • Patrícia Number

    Fiquei pasma ao ler o texto acima!EU admito que não acho corpo magro bonito e que tinha preconceito.Acho talvez pelas discriminações já sofridas na altura dos meus 40 anos de obesidade.Talvez mais uma vingança contra aqueles que são o oposto de mim.Vou rever meus valores.Detesto preconceito e o texto me fez refletir.Estou envergonhada de mim mesma.Obrigada por me abrir os olhos!

    • renatavaz11

      Paty, que bom ver gente que admite um mau comportamento e que se propõe a mudar para melhor. No entanto, fique tranquila, como disse no texto, ninguém é obrigado a achar alguém magro ou gordo bonito. A gente só não pode exteriorizar isso de forma que magoe as outras pessoas. Um beijão e continue acompanhando o Blog Mulherão.

  • Kelly Katielly

    Eu não sei se tenho magrofobia ( acabei de conhecer esse termo aqui. kkkkk). Mas tenho sim medo de ficar magra. Estou acima do peso tido como “ideal” há mais de 15 anos e me sinto bem. Só que agora estou hipertensa e tive muitas complicações por causa do peso. Terei ( por determinação médica) que perder mais de 20 kilos. Iniciei o tratamento perdi uns 5 kilos, comecei a ficar flácida, escorrida, murcha, sei lá, feia. Estou de fato apavorada. Não me vejo magra. Não acho magreza bonito. Meu marido não gosta de mulher magra e sei que essa mudança vai interferir drasticamente na minha personalidade. Já tive pesadelos com isso. Me via magra, depressiva, com vergonha do meu corpo, sem querer colocar nem a ponta do nariz na rua. Não discrimino quem é magra mas, sinceramente? Não quero isso pra mim.

    • renatavaz11

      Kelly, vc tem todo o direito de não querer ficar magra. Da mesma forma que as magras tem em não querer engordar. A questão é respeitar as escolhas alheias.

      Olha, uma dica que te dou é fazer exercícios físicos. Pelo que entendi seu problema é de pressão. Então, você tem que fazer exercícios aeróbicos para aumentar a sua capacidade e resistência cardiovascular, além de dieta. Mas você pode sim ganhar massa magra, músculos e continuar com curvas.

      Procure uma nutricionista e um educador físico. Vc vai continuar gatona, com saúde. Vai virar uma mulher fruta. rsrsrs

      beijos

  • Isabelle

    Adorei! Sofro preconceito do meu cunhado! Ele sempre me fala que ‘quem gosta de osso é cachorro’ sempre me apresenta para os amigos gordos dele e fica me convidando para ir para a churrascaria, pizzaria com os amigos gordos dele e da minha irmã que também é bem gordinha!! Adorei tudo o que você escreveu! vou pedir para ele ler!

  • Adelaide Cristhina Rebouças

    Falou tudooooo! A pessoa tem é que se sentir bem!
    Existem gordas bonitas e feias!
    Existem magras bonitas e feias!
    O que não pode é a pessoa deixar de viver porque está gorda!
    Temos que nos valorizar sem desvalorizar o próximo!

  • Sharon

    Tem uma coisa q eu não entendo até hj….pq RH pede foto!!!Antes,eles fazem uma seleção….eles nem te conhecem,ao vivo, e já vão presumir q vc é daquele jeito e pronto e acabou!!!
    Tem emprego q diz….tem q ser magra e foto e medidas e peso!!!Isso tudo, ainda mais, se for de eventos!

  • Sofri muito preconceito quando pesava 40 kg. Hj peso 57 kg e sou feliz. Mas fiquei traumatizada e tenho medo d emagrecer. Apelidos: tripa seca, perna seca e olhares discriminatórios! Alem da falta d seios! Era horrivel eu me sentia um zumbi! A conhada q exibia seus 50 kg d bunda e me humilhava todo istante. So meu marido me deu força e minha mãe claro né . Atè a irmã discriminava. Amigas eu ñ tinha. Me tornei ruim mal cheia d odio q ate hj reflete em mim.

  • Ci

    Ótimo texto, todas sofremos com os comentários maldosos das pessoas. As pessoas julgam demais umas as outras e esquecem que ninguém é perfeito. Sou magrinha desde nascença e sempre sofri com dizeres: anoréxica, Olivia palito, magrela…etc e não, não são todas as roupas que cabem em mim. Hoje, já não me importo e me amo como sou. Mas, realmente preconceito tem em todas as partes e infelizmente muitas gordinhas não entendem as magrinhas e magrinhas que não entendem as gordinhas, ou seja, vira uma “guerra” desnecessária e sem sentido. Conclusão: Ame quem você é, respeite o próximo e seja feliz! 😀

  • Daya

    Ameiii!!! Muito bom ver que um blog mais voltado para gordinhas tem essa percepção, nenhuma opressão é válida!!! Só não achei o post dessa matéria na fanpage do site, mas fiquei muito feliz pelo texto! Infelizmente acabei de sair de um grupo feminista que simplesmente negava a opressão que as magras sofrem também. Unidas é que vamos vencer! Respeitando a dor alheia. Abraços, e parabéns!!!