28 de maio de 2013 01:56

Lau Brambilla 1

Por Lau Brambilla

“Você já se olhou no espelho?”. Essa frase tem mexido com a minha cabeça na última semana. Recebi essa pergunta de repente, em meio a uma conversa um tanto quanto “coração aberto” com o meu namorado.

Tenho 24 anos e comecei a namorar pela primeira vez na minha vida há pouco tempo. Cá entre nós, sempre fui o tipo de garota que os meus amigos de infância e adolescência chamavam de “amiga fiel”, “ela é quase um menino”, “uma irmã pra mim”, etc. Sempre achei que me encaixar como “um dos meninos” era algo natural. Entendo hoje que isso era – pelo menos para mim – um meio de defesa para toda a insegurança que me rondava por ser gordinha. Sempre fui um poço de insegurança. Nunca confiei realmente no meu taco, apesar de sempre dizer que estava bem com a vida e com o meu peso.  Acredito que isso influenciou no fato de eu ter sido a “amiga-menino” e também a “encalhada” a maior parte da minha vida.

Foi então que, há um mês, comecei a namorar… E meu namorado me perguntou como pôde, até então, eu nunca ter namorado, sendo como sou.  Quando ele falou isso eu fiquei com aquela cara, sabe? De coxinha? Então… Exatamente essa cara: de coxinha! (Caso vocês não saibam o que é uma cara de coxinha, vai aí uma dica, clique aqui).

Como assim, do jeito que eu sou? Eu fiquei sem entender. Ele deu uma risada e me fez a pergunta que me fez querer escrever esse texto: “Você já se olhou no espelho?”.

Eu já tinha me olhado muitas vezes no espelho, e a maioria delas só para odiar o que eu estava vendo e vestindo. Quase sempre essas “olhadas” no espelho me faziam  querer me esconder e cancelar minhas saídas. Enfim… A resposta para meu namorado era: “sim, já tinha me olhado no espelho“. Com cara de inconformado, ele me perguntou: “Você se acha feia?”. Eu nunca parei pra pensar se me achava feia. Quando as pessoas falavam que eu era bonita, eu agradecia educadamente, pois certamente a pessoa só tinha falado aquilo por educação, não é mesmo? Eu nunca tinha servido para ser “a bonita”, afinal, eu era “quase um menino”, certo?

Errado. Descobri que eu pensava aquilo porque sempre vivi dentro da mesma caverna, olhando para as sombras na parede. Eu nunca parei pra observar o que havia de diferente lá fora. Eu considerava que se eu não fosse aquilo que eu era ali, se eu não me encaixasse da forma que eu já me encaixava, eu não serviria para ser outra coisa. Eu mesma me deixei guiar para me tornar só uma amiga querida e não mais do que isso… Mesmo quando eu gostava do menino eu insistia no fato de que ele “era só um irmão pra mim” e aí, como amigos, eu não tinha como sair machucada por causa da minha feiura e gordura.

Então, esse cara maravilhoso me aparece e me fala isso… “Você já se olhou no espelho?”. E fala rindo, como se a ideia que eu tinha no passado sobre mim mesma fosse ridícula e equivocada. Sensação de pernas quebradas. Foi então que ele me disse aquela frase que toda mulher gela ao ouvir “Você está gordinha”, mas completou com um “Mas isso não te faz menos bonita”. E graças ao “mas” eu não gelei e nem me importei por estar gordinha (ou gordona, que seja…). Eu sei que eu estou mesmo, e então conclui que nunca  havia me olhado no espelho de verdade. Nunca olhei para além do que ele me mostrava, além do meu peso.

Não, eu nunca tinha parado para fazer isso. Acredito que ainda não consegui ver por completo o que eu sou, não tive tanta coragem em menos de uma semana, mas sinto que nesses últimos tempos eu tenho mudado. Minha confiança em mim mesma tem mudado e um amigo meu uma vez me disse que “A coisa mais sexy em uma mulher é quando ela confia nela mesma”… Acredito nisso. Nós somos tudo aquilo que nós mesmas acreditamos que merecemos ser, e nós podemos ser tudo o que quisermos, basta nos olharmos de verdade no espelho e acreditar que a gente pode. Aos pouquinhos eu me olho um pouco mais e descubro que tenho uma ou outra coisa nova que eu gosto. Eu estou tentando me olhar de verdade no espelho agora.

E vocês? Já se olharam no espelho hoje?


relacionados

Você vai gostar também

...
  • Mirror

    Olhar no espelho, com a profundidade e seriedade a que este texto propõe, é, de fato, muito difícil. Pelo menos para mim.

    Porque olhar-se no espelho implica em Reconhecer-se. E reconhecer-se não é nada fácil. Se já temos dificuldade de reconhecer as nossas falhas, limitações e porquê não, qualidades, diante de nós mesmas, imagine então reconhecer-se diante de toda uma sociedade, que julga, culpa, cobra…

    E acredito que o peso, neste momento, é muito mais moral do que propriamente físico. O peso na consciência incomoda mais do que o próprio peso das gordurinhas, dos pneuzinhos, das marcas de cada mulher.

    Me olho sim no espelho, mas confesso que ainda estou longe de atingir este grau de reflexão a respeito do que vejo e como me sinto em relação ao que vejo. Pois, como foi muito bem colocado pela (linda) Lau Brambilla, este olhar profundo se dá através de um processo. Processo pessoal de reconhecimento, aceitação, significação e ressignificação da sua própria imagem. Duvido que alguém consiga passar por essas várias transformações repentinamente.

    Uma roupa ou sapato novo podem sim elevar bastante a auto-estima. Mas a segurança que tanto precisamos, a confiança em si, a sensação de ser bela, estar bela, bem resolvida consigo e com o mundo, essas são mais difíceis. Não encontramos na promoção e nem dá pra levar 2 por 1. Quem dera hahaha…

    Por isso admiro muito a autora deste post. Pois ela conseguiu encontrar a segurança e confiança que sempre estiveram presentes nela. Bastou um olhar mais atento, um “Olhar no espelho” detalhado, para que esses sentimentos pudessem ser identificados e, veja só, compartilhados. Sinto muita inspiração e ânimo ao ler algo assim =3

    Me dá pistas para continuar com a minha própria busca s2

    Muito obrigada.

  • erika

    Muito obrigada pela sua coragem. Passei a vida toda por esta mesma situação e mesmo tendo me casado com um homem maravilhoso nunca parei para me olhar no espelho. Chorei ao ler seu post. Acho que toda menina gordinha que se esconde como a amiga deveria ler. Mais uma vez obrigada!!!!

  • Daniele Machado

    O texto é sensacional!!! Me identifiquei demais! Passei a adolescência e uma parte da vida adulta achando q nunca encontraria alguém pra mim, pq sempre fui considerada (a real informação é: sempre me considerei) a irmã dos meninos que gostava. Até que um belo dia resolvi que isso tinha q acabar! Comecei num processo de reconstrução da minha própria imagem… E hj tenho meu noivo (q me acha linda!!! e alguns amigos dele tb…descobri depois…hehehehe) e sou considerada pelas minhas amigas (a grande maioria delas, magras ou em uma eterna guerra pra ficar com corpo de panicat…rs) a mulher mais sexy que elas conhecem. Detalhe: tenho pouco mais de 100kg!

  • Lau, sou sua fã desde que nos conhecemos!

  • Francisco Osires

    “Olhar no espelho e ver o espelho dos olhos, pois eles são os espelhos da alma”, foi a conclusão que eu cheguei e deveras, como uma coisa tão simples pode ser tão reveladora!!! Adorei o post!!! Abraços e sucessos!!!

  • Samantha

    Nossa lindo texto. Acho que nos cobramos demais!!! Queremos ser aquilo que não somos…. confesso que estou em uma fase difícil, me achando feia…. mas preciso me olhar no espelho!!!

  • Keli Paixão

    Eu tbm era assim sabia?? Tbm agradecia quando me diziam que eu era bonita, e fingia que acreditava, sempre desconfiava muito qdo tinha algum garoto interessado em mim, ele poderia estar ou não, como aconteceu algumas várias vezes, e se realmente estava eu pensava: Ele é louco, quer me conhecer?? O que ele viu em mim??
    Estou em um processo de reconstrução da minha imagem, já fui muito má comigo mesma, quero me sentir feliz com minha imagem, já me aceito mais como eu sou, e me recuso a aceitar a imagem que os sacanas fizeram de mim e eu fui burra de acreditar. Aproveita bastante o namoro, é tão bom!!

  • Pati

    a-m-e-i seu texto…so o que tenho a dizer…;-)

  • Cristiane Ramos

    Adorei o texto, e nunca tive problema com baixa estima, diga-se de passagem a minha alta estima esta em alta!!! Temos sim que nos descobrir diariamente, nos amarmos, nos sentirmos dessa forma saberemos o que a vida tem de melhor, que somos nos mesmos!!

  • Amei o post… Me identifiquei e vou recomendar no meu blog…..
    http://www.reticenciaseaspas.blogspot.com
    beijinhos

  • angela

    não e não tenho coragem,isso dói, a 1 mês fui rejeitada pelo um rapaz
    que eu estava interessada.E isso agravou mais o problema.agora não sei mais o que fazer eo que me resta.

    • Debora Sales

      Resta vc meu bem, vc e as pessoas que realmente importam! Enquanto vc ficar esperando e se importando demais com os outros vc nunca se libertará! Mulher bonita é mulher livre! Talvez não seja fácil, mas é prazeroso e o que da prazer acaba ficando fácil!
      Beijos
      C/ Deus!

  • Patrícia Almeida

    Amei o post e me identifiquei muito, pois tenho 24 anos e nunca namorei ou nada parecido.Sou muito tímida e minha auto-estima nem sem se fale acho que esta escondida no dedinho do pé, agora estou numa fase pior ainda que não tenho vontade nem de sair de casa tudo porque estou desempregada.Já me apaixonei por amigo tudo começou como uma amizade legal mas rolou um sentimento por minha parte, uma “amiga” falou como ele e a amizade acabou, depois disso eu travo com meninos fico sem reação o que deixa parecendo uma pessoa metida, mais na verdade é só timidez, penso que nunca encontrarei alguém. Tenho que admitir que aprendi muito com os blogs plus size,tenho até melhorado um pouco mais acho que estou longe de me tornar uma pessoa com iniciativa e menos tímida e quem sabe um dia encontrar um garoto que olhe pra mim não só como uma amiga ou como uma gordinha bonitinha como muitos me tratam.
    Obrigada pelo espaço e pelos posts!!!

    • Samantha

      Oi Patricia, sabe aquele ditado que a nossa mãe diz: “Toda tampa tem sua panela! ” Então é a pura verdade…. tudo tem seu tempo de acontecer, e se não aconteceu é porque não chegou a hora. Você deve estar pensando….que conversa mole….pois eu também pensava assim… mas aconteceu conheci meu marido me casai e hoje tenho uma filha linda. Casei com 33 anos. Tudo demorou para acontecer na minha vida. Mas aconteceu o melhor.
      bjos

  • Ana Flavia

    Lau, lindo texto! Me identifiquei super.
    De fato, olhar no espelho com os olhos do amor por nós mesma, é libertador.
    Beijos

  • Oi Lau! Amei teu texto…e ele me deixou pensando em muita coisa…
    Eu nunca fui gordinha, tinha um corpo legal (mas não pensava assim, sempre tinha a barriguinha que me incomodava, quadris largos etc etc etc)… mas daí eu engravidei… e engordei… e continuei gordinha… e comecei a me sentir mal… olho minha filhinha linda, fofa e acho que ela é demais, mas não me olho no espelho não… quando me olho é só pra me auto-criticar.
    Meu corpo arredondado, barriga saliente, seios grandes e coxas muito grandes são coisas que me incomodam, mas a parte que me faz sentir mal é meu rosto, está arredondado demais, com aspecto de inchado, coisa que nunca tive… a imagem que tenho de mim mesma está distorcida, eu sei… meu noivo(e futuro marido, casaremos dia 12/06/2013) garante o contrario de tudo que eu falo, só me elogia…. eu aceito, claro, acreditando na sinceridade dele, mas não conseguindo enxergar tudo o que ele fala em mim…
    Quero recuperar minha auto-estima, juro que quero… mas a minha deve estar escondidinha em algum lugar em meio a tanta confusão na minha mente… talvez um dia eu reaprenda a olhar nos espelhos e enxergar a verdadeira eu, mas por enquanto sigo tapando os espelhos ao meu redor…

  • oi?obrigado por abrir meus olhos lindo texto eu tenho treze anos e passo pelo q vc descreveu muito muito obrigada mesmo

  • Cris

    Oi, lindo poste, seu namorado é demais! Eu me olho no espelho, e até gosto do que vejo, me acho bonita, e as vezes até linda, o duro é quando seu companheiro de longa data te diz o contrario, que não sente desejo porque vc esta gorda, aconteceu comigo, ai eu penso que se fosse um homem eu me desejaria sim, a gente já é tão insegura mesmo quando tantas pessoas nos elogiam e vêem nosso valor, agora imagina quando fazem o contrario, tentam te convercer que não é nada? Porque é exatamente assim que me sinto!

  • Audrey Pacaterra

    Lau
    Estou com seu namorado e não abro! Vc é linda mesmo! Sempre foi! E, cá pra nós, além de linda, super inteligente e antenada. Amei seu texto e me identifiquei muito com ele. Depois de vários relacionamentos horríveis, com homens que nunca me deram o valor que eu merecia, enfim, encontrei a pessoa certa e isso, aos 42 anos!!! Claro que não me arrependo por nada pois aprendi muito com eles. Depois de muito tempo resolvi me amar, me aceitar gordinha, real e cheia de defeitos sim…pq não?! Agora, estou eu com meu príncipe encantado (sim! ele existe! rs) e ele, assim como seu namorado, tbém me fez várias perguntas relativas à isso, entre elas e a minha preferida: “Como pode você uma mulher como você não ter ninguém, nunca ter se casado? Como nenhum homem conseguiu ver a mulher maravilhosa e linda que você é? Bando de Perdedores!”. E não é que depois de pensar bem, percebi que meu namorado tem razão? É exatamente isso que eles são: perdedores! Perderam muito tempo procurando perfeição onde só existia verdade e procurando uma beleza artificial onde só existia um coração enorme recoberto por um corpo rechonchudo, sim!!! Portanto, parabéns aos nossos namorados por conseguirem enxergar, mesmo antes de nós mesmas, as mulheres maravilhosas que somos! 😉

  • Joseline Andrade

    Oie.. Gentee eu to doidaaa por esse óculos.. ja vi ele em outros sites… por favor se alguém puder me informar eu agradeço

  • Aline

    Vejo que nao fui a unica a chorar ao ler este post… parabens menina, vou fazer o possivel para me olhar no espelho … #postPerfeito

    • Aline

      Me olhar sem me criticar *

  • Gianna

    parabens pelo lindo texto, eu tenho 23 e terminei o texto e escrevo esse comentario agora em lagrimas. Me tocou de verdade, percebi que existem pessoas que tb passam por isso todos os dias. E sinceramente vc foi mto forte ao escutar a resposta dele. Porque eu ja escutei coisa semelhante e nao me liguei ao “mas”, e sim tive meu orgulho ainda mais dilacerado mesmo a pessoa tendo falado realisticamente bem de mim. Por isso vejo que olhar-se no espelho ainda é um grande obstaculo. Comprar roupas é um maior ainda, e especialmente achar-se bonita e confiante o suficiente sem desistir das coisas que se gosta de fazer por vergonha de mostrar o corpo, esse talvez seja o maior dos desafios. Por isso te agradeço pelo texto e a possibilidade de reflexao.

  • La

    Eu me vi em cada palavra do seu texto, obrigada por tornar meu dia um pouco melhor hoje. Hoje você me fez me olhar no espelho.

  • Oi bom como eu só sofri nassa vida, que eu não sei para que nasci, não sou facil de mexer porque toda minha vida fui desprezada humilhada, não confio em ninguém, hoje me sinto um lixo se alguém se entrerregar querer me ajudar quero mudar minha aparência, quero colocar dente arrumar cabelo mais não me faz calçar salto tenho pavor

  • Quero mundar porque ninguém além dos filhos e animal me ama minha mãe me despreza, não sei falar direito não tenho nada apenas um barraco meus filhos cachorros passarinhos e gatos eu crio 3 crianças mais depois da traição da meu marido não sai mais na rua 31 anos jogando no lixo casamento de sofrimentos de +