28 de março de 2015 04:10

loja plus size

Por Renata Poskus Vaz

Muitas pessoas me perguntam quais os primeiros e mais importantes passos para se abrir uma loja plus size multimarcas. Antes de mais nada vou dizer que cobro por esse trabalho de consultoria. Mas de forma genérica, vou explicar aqui como funciona esse processo.

Gostaria de salientar que em 6 anos trabalhando no mercado plus size já vi muitas lojas abrirem. Infelizmente, já vi muitas outras fecharem por erros que poderiam ter sido evitados com um pouco de atenção e bom senso.

1º passo – Descobrir se você tem perfil para ser um empresário

Algumas pessoas simplesmente não nasceram para gerir negócios. São desorganizados natos, ou não sabem delegar. Para ser um empresário, é necessário ter disposição para trabalhar, saber mandar, cobrar, ensinar, lidar com pessoas, ter jogo de cintura, saber enfrentar crises sem perder o foco e o entusiasmo.

Tem que ter dedicação total e exclusiva. Não adianta abrir a loja e colocar a amiga da prima da vizinha para tocar, enquanto não se obtém lucro suficiente para você sair do seu emprego seguro e confortável. A loja nunca dará lucro desta forma. Lembre-se do ditado popular que diz: o gado só engorda sob o olhar do dono.

Como um bom empresário, você não terá direito a décimos terceiros e bonificações. Enquanto todos estão recebendo salários extra, você estará pagando muitas contas extras. Lembre-se que também não vai tirar férias quando a maioria dos trabalhadores assalariados estão na praia curtindo os dias quentes de verão. Estará sempre sem segundo plano. A sua prioridade tem que ser sempre o seu negócio.

Está preparado para tudo isso? Então você é um empresário em potencial.

2º passo – Identificar se a moda plus size é o mercado ideal para você investir

Você não precisa ser gordo ou ser apaixonado por moda para abrir uma loja plus size. O maior erro, ao meu ver, é abrir um negócio de moda plus size achando que por este ser um mercado carente, que você vai lucrar facilmente. Não é bem assim. Este mercado exige investimento e sacrifícios como qualquer outro.

Mulheres gordas são como outras quaisquer, que pesquisam, reclamam, sonham, pechincham e boicotam lojas e marcas se sentirem lesadas. Foi-se o tempo em que elas compravam qualquer coisa, em qualquer lugar, sem reclamar, por terem vergonha de estar acima do peso e se acharem indignas de questionar o que lhes era oferecido.

O mercado tradicional das mulheres magras está aí, é seguro, rentável e sem muitos segredos. Já o plus size está em evolução constante e acelerada. Ou seja, para entrar nele você deve estar sempre aberto à mudanças.

3º passo – Saber como será o perfil da sua loja e dos seus clientes

Que tipo de loja você quer abrir? Uma boutique chiquérima, com roupas das melhores (e mais caras) marcas plus size? Então escolha um bairro que tenha um perfil de público condizente com o produto que você venderá. Não dá para montar uma loja dessas em uma rua de comércio popular, ao lado de lojas de roupas baratinhas vendidas à baciada.

E não venha me dizer que a sua roupa tem qualidade, ao contrário das outras. Naquele ambiente, as consumidoras vão atrás de preço baixo.

Já se seu negócio for voltado ao comércio popular de moda plus size, com clientes de renda mais baixa,vendendo roupas por preços mais acessíveis, escolha uma loja perto do metrô, trem ou terminal de ônibus. É imprescindível que o local seja de fácil acesso por meio de transporte público.

Eu poderia te dizer que os melhores imóveis comerciais são os de esquina, com enormes vitrines ou em avenidas super movimentadas, com direito a estacionamento. Acontece que há sim como ter uma loja sem nenhuma dessas características. Você pode abrir seu negócio em uma sobreloja ou até em uma casa com perfil comercial com portas fechadas, no melhor estilo boutique com atendimento exclusivo. Neste caso, você não poderá contar com o público passante. Terá que divulgar sua loja de outras formas para que seu público em potencial saiba que sua loja existe e passe a visitá-la.

Abrir em ruas com concorrentes pode ser vantajoso em alguns aspectos e desvantajoso em outros. A vantagem principal é saber que se uma loja está aberta há muitos anos naquela rua, é porque lá existe um público consumidor que pode vir a comprar em sua loja também.

Mas há desvantagens. Já presenciei guerras de preços entre lojas coladas, com produtos semelhantes. Na disputa por clientela, iam copiando vitrines e produtos, baixando o preço, até que de tão baixos já não garantiam lucro algum para a loja, mas estavam lá apenas por ego, vaidade.

Além disso, no caso de multimarcas, as confecções costumam não vender para mais de uma loja na mesma imediação. Então, você sempre terá que ter fornecedores diferentes do seu concorrente e nem sempre poderão ser os seus prediletos.

Não tenha medo de abrir loja em uma área inexplorada, desde que você identifique que por lá há muitas gordinhas com o perfil dos produtos que deseja vender.

4º passo – Fazer um planejamento financeiro

A coisa mais importante do seu negócio é fazer um planejamento financeiro. Você precisa de um investimento inicial para montar sua loja. Você deve contemplar na sua conta o mobiliário, aparelho de telefone, computador, programas de emissão para cupom fiscal e ERP, araras, manequins, espelho, provadores, etiquetas, material gráfico publicitário, um site de divulgação, o material de limpeza da loja, o cafézinho, a segurança eletrônica, as contas de água, luz, telefone, internet, salários dos funcionários e colaboradores etc… É muita coisa. E você não tem que ter o dinheiro para o primeiro mês, mas para os primeiros dois anos. É o que chamamos de fundo de caixa, ou capital de giro.

Sim, um negócio de sucesso demora de 2 a 3 anos para emplacar e se auto-sustentar e você deve estar preparado para isso. Caso não tenha um dinheirinho reservado é capaz de no primeiro mês sem vendas se desesperar e fazer cortes ou liquidações malucas fora de hora para levantar capital e que te comprometam seriamente nos negócios e no relacionamento com suas clientes.

Se não tem dinheiro para investir despreocupado, não entre neste ramo. Ou então, comece pequeno, vendendo roupas porta a porta. Grandes donas de boutique hoje, já foram sacoleiras no passado.

5º passo – contratar um bom contador

Você deve ter o auxílio de um bom contador em sua cidade que o ajudará a regularizar seu negócio. Ele também poderá orientá-lo com relação a emissão de notas e toda a burocracia para que sua empresa comece a funcionar bonitinha, sem nenhum problema.

Deixo como indicação para quem deseja abrir loja em São Paulo, a contabilidade que me presta serviços e que tem outros clientes lojistas (o escritório fica na Casa Verde, Zona Norte):

D´Paula Assessoria Contábil Tel: (11) 3326-9494 e (11) 4117-1716  e-mail: dpaulacontabil@hotmail.com

6º passo – contratar uma empresa de comunicação

Não adiantar colocar o seu sobrinho que faz desenhos bonitinhos no computador para criar a sua marca, seu logo e toda a comunicação da sua loja, para economizar. Este amadorismo que era comum no segmento plus size, em que as famílias cuidavam de todas as etapas dentro de uma loja, caiu no descrédito. Consumidora nota serviço mal feito.

Por mais que você ame os desenhos do sobrinho, as fotos que a prima tira e os looks que sua filha caçula cria para as Barbies, comece a utilizar o lema: família, família, negócios à parte.

Contrate primeiramente uma empresa que te ajude a definir o nome da sua loja, seus valores, missão, um logo bacana e toda a sua comunicação (mesmo que o básico do básico). Você precisa de folhetos, precisa de um site bonitinho e uma página no Facebook com cara profissional. Precisa de e-mkt para divulgar o lançamento da loja. Precisa de campanhas sazonais: Dia das Mães, Dia dos Namorados, Natal etc…

A empresa que indico para esse serviço é a MUFASA. O contato de lá é kauane@mufasa.com.br e danilo@mufasa.com.br.  O telefone da Kauane é (11) 99525-6023 . Eles não são careiros, são jovens, modernos, antenados e muito experientes

7º passo – registre a sua marca

Após definir com a empresa de comunicação algumas ideias de nomes e logos para a sua empresa, peça para uma empresa de marcas e patentes para fazer uma consulta no INPI sobre a possibilidade de registrar essa marca escolhida. Já vi empresas abertas, com logo na porta, roupas etiquetadas, sacolas de papel carísismas impressas e tendo que jogar tudo isso fora porque já existia uma empresa com aquele nome devidamente registrada. Isso é gravíssimo e pode sair muito caro e até condenar seu negócio ao fracasso antes mesmo de abrir.

Registrar domínios de sites no Registro BR ou colocar determinados nomes na razão social da sua empresa não te garantem o direito à marca.

Há também outra situação. O nome de sua loja pode fazer tanto sucesso que outras empresas por má fé passam a utilizá-lo indevidamente, ou ainda tentam registrá-lo com pequenas alterações para se aproveitar do seu sucesso e credibilidade.

Quem cuida da marca Mulherão e eu indico para vocês é a FG Marcas e Patentes. Eles são especializados em marcas e patentes. Já trabalhei com outras empresas, mas apenas essa me passou a segurança que eu precisava.

Não é um serviço barato, mas é necessário. O contato da FG Marcas é: (11) 3145-2550 e embora a empresa seja em São Paulo, pode fazer o registro e acompanhamento de marcas do País inteiro.

No site da FG Marcas, eles falam como registrar uma marca. Leia aqui.

***

Bom, estes são os primeiros passos para abrir a sua loja de moda plus size. Sábado que vem vou dar outras dicas e fornecedores para vocês. Vamos falar de confecções de roupas, fornecedores de araras e manequins, vitrinistas, modelos, fotógrafos etc. Também vamos falar de decoração. Espero que gostem. E podem tirar suas dúvidas aqui nos comentários que eu respondo no próximo sábado. Beijos!

Meu contato para consultoria em negócios de moda plus size: renata@fwps.com.br  (11) 98489-7672

  • Elaine de Cassia Domingues

    Gostei das dicas.
    Há tempos que penso em abrir uma loja na minha cidade, que não oferece nada de plus size

  • Andressa Faria

    Acompanho o vosso site, e adoro as dicas. Sou brasileira e vivo em Portugal e por aqui há muitas roupas, biquínis e roupas de ginástica que chegam via “sacoleiras” e pensei em ter um negócio.
    Mas esta realidade que descreve assusta um pouco e o esforço financeiro fica fora da minha realidade.
    Obrigado pela dica.

  • Sâmara Blenda Silva

    amei Renata essas dicas serão muoto uteis pra mim

  • veralu

    maravilhoso adorei bem explicado e esclarecedor aprendi umas coisas tirei duvidas de outras exclareci outras muito bom espero pela segunda parte ….