26 de agosto de 2010 08:23

Por Keka Demétrio

Conheço inúmeras pessoas que dizem já ter desistido do amor. Eu mesma já passei por uma época em que estava tão dolorida emocionalmente que acreditava paiamente que o amor não fora feito para mim. Ledo engano. O amor não tem idade, sexo, classe social, nem vê compatibilidade de tipo sanguíneo, ele simplesmente acontece e se instala em nossos corações tomando conta de nossas vidas.

Durante esse tempo em que me sentia a mais infeliz das mortais, antes de sequer saber o nome do homem que tentava se aproximar de mim, eu já procurava no futuro, quem sabe, pretendente, mil e um defeitos. Dizem que o melhor ataque é a defesa. Mas será que é certo ficarmos nos defendendo sempre de coisas que nem sabemos se vão ser boas ou ruins? Será que é certo deixarmos de viver emoções que nos rejuvenescem a pele por medo do futuro?

Claro que depois de certa idade, e de ter vivido certas experiências, nós vamos ficando mais seletivos. Passar a escolher com algum cuidado nossos parceiros não é errado, errado é quando disfarçamos os medos adquiridos ao longo dos relacionamentos, excluindo qualquer um que a vida coloque em nosso caminho, dizendo que esse não é o ideal e vivendo sob a ilusão de que irá aparecer o tão idealizado homem dos sonhos. Afinal, pensamos que se já sofremos tanto, então agora nada mais merecido do que ter ao lado alguém do jeitinho que sempre quis. Mas a vida não é assim, não se fabrica pessoas de acordo com as especificações impostas pelo cliente, e relacionamentos para realmente serem baseado no amor, são aqueles em que conseguimos lidar com os defeitos do outro, porque para conviver com as boas qualidades apresentadas não é preciso de amor.

Às vezes, quando nos pegamos relembrando o passado, e sentindo de novo certas dores, nos colocamos outra vez na retaguarda. Mas se um relacionamento não deu certo isso não quer dizer que foi tudo em vão, mas sim que houve troca de emoções e que existiam certas finidades para que isso acontecesse. O grande problema é que projetamos nossos sonhos no outro e nos esquecemos que por seremos indivíduos únicos, também nossos sentimentos são percebidos de formas diferentes. Portanto, não subestime o outro, não o culpe pelos sonhos que você não realizou, pelo abraço que não recebeu, pelo beijo mal dado, dar e receber amor também é uma arte, e nem todos conseguem interpretar da mesma forma. Enfim, tentar excluir das nossas vidas sensações que fazem nossas pernas tremerem com a simples aproximação de alguém que nos deseja e nos atrai é o mesmo que deixarmos de viver.

Fiquei sabendo de um senhor de 92 anos que mora em Belo Horizonte, mas que vai sempre ver a namorada de 91 anos que mora a exatos 426 km de distância. Isso para mim é a prova inconteste de que o amor é que nos mantêm vivos e que faz com que os olhos brilhem de verdade.

  • O ser humano é algo realmente complexo, temos de entender isso, de aceitar e nos cobrar menos. Não sei porque mas vivemos colocando no outro nossos anseios e expectativas. A felicidade é algo que esta dentro de nós e são momentos, nada na vida é o tempo todo. Eu li um dia desses que somos viciados por novidades, adrenalina e movidos pela busca da felicidade. Outra coisa, a gente se cansa rápido das coisas então estamos sempre buscando novidades, ou seja o que até a pouco trazia felicidade logo não trará mais, então la vem o ciclo vicioso da busca…Aprende a se amar, mas se amar mesmo que o outro verá em você o amor que você busca. O que Deus quis dizer com : “Ama a teu proximo como a ti mesmo”, é isso. Como você pode amar o outro se nem sabe amar a si mesmo??? Bom, é isso, meio enrolado mas era o que eu queria dizer. Bom dia ( rs)

    • Keka Demétrio

      Tati, bom dia!!!
      Achei suas colocação ótimas e bem claras. 🙂

  • Dani Peregrino

    Quem bom que eu adquiri o delicioso vício de sempre passar por aqui!

    Ao ler seu texto hoje, duas frases me vieram a cabeça:
    “Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar.”do Fernando Pessoa e “Tão bom morrer de amor e continuar vivendo.”Mário Quintana.

    Quinta apaixonante!! bjus

    • Keka Demétrio

      Ainnn, Dani, Pessoa e Quintana são formidáveis!!
      Não sei o que foi, mas acho que hoje o sol está tão lindo, e as nuvens estão formando desenhos inimagináveis…deve ser a quinta que está mesmo apaixonante…rsrs
      Bjosssss

  • Acho que todo mundo em algum momento tem medo do amor… mas infelizmente a alternativa pra deixar de amar é ficar sozinho e amargo. Nao é uma boa ideia, né?

    No amor a gente corre o risco de se machucar o tempo todo, assim como na vida o tempo todo a gente corre o risco de morrer. E vai deixar de viver por causa disso? Entao nao pode deixar de amar!

    Beijos

    • Keka Demétrio

      Ain, flor, q tdos os deuses me livrem de ficar uma velha rabugenta!!! rsrsrs

  • Adriana Líbini

    Aiii amiga, como sempre suas palavras são fenomenais! Acho que todas nós já passamos por situações parecidas de culpar as pessoas, por alguns momentos que não passamos, sendo que na realidade a grande culpa, somo nós mesmo! Acho que acreditar sempre é fundamental! Pelo menos no meu ponto de vista!

    Adoro vc keka! Beijokas

    • Keka Demétrio

      Ahh, quantas culpas desnecessárias carregamos, eo pior, culpas que nos machucam e nos cegam diante da vida.

      Adoro vc tbem!!! 🙂

  • Lu Rodrigues

    Que lindo Keka!
    Disse tudo!

    • Keka Demétrio

      Lu, um beijo!!! 🙂

  • Kelley

    Keka esse texto ficou maravilhoso…
    Vc ta muito inspirada viu!!!
    ADOREI…

    Parabénssss….

    beijossss

    • Keka Demétrio

      Ahh, obrigada, flor!!
      Tô precisando mesmo é me inspirar mais….rsrsrs

      Bjoooooooo

  • Olá, Keka. Acredito que vivemos em uma cultura onde o “amor perfeito”, o famoso amor de conto-de-fadas, ainda é muito valorizado. Quando não se consegue atingir ou manter o “amor perfeito”, começam a aparecer os sentimentos de frustração e culpa. Procuramos apenas enxergar as virtudes daqueles que amamos, esquecendo que esta pessoa tem defeitos, tantos quanto nós. E quando insistirmos em esconder os nossos defeitos nessa pessoa, acabamos, futuramente, nos decepcionando, lamentando por não ter dado certo, que tudo foi em vão. Acredito que amar é enxergar que a pessoa que amamos não é melhor nem pior que nós, que esta pessoa tem virtudes e defeitos como nós temos. Se esta pessoa é especial pra você, então, você, com certeza, é especial pra ela. E se o relacionamento acabar, devemos levar dele só aquilo que foi bom e seguir em frente, por mais difícil que isso seja.
    Bom, é isso. Beijos e bom fim de semana.

    • Keka Demétrio

      Gato, acho que o mais difícil hoje é arrumar um namorado, com muitos ou poucos defeitos…kkkkkkk

      Boa semana!!
      Bjosss

  • Ariane

    Ai Keka….

    Você sempre arrazando né…rs
    Nos meus simples, mas bem vividos, 21 anos, posso dizer que ja amei. É a melhor sensação que existe no mundo, mas o melhor ainda é ser amada!
    Mas acho que finalmente acordei pra vida e vi que não existe aquele amor de conto de fadas…
    E também não estou procurando um como tal…acho que estou mais esperando..rs
    Porque cansei de procurar e sofrer…rs
    Hoje falo isso rindo, pq sei que um dia aparecerá alguém me me ame, me deseje do jeitinho que sou.

    O Amor é lindo…e não vejo a hora de amar novamente!!! rs

    Te adoro Keka!!!
    Sou sua fanzonka!!

    Beijinhos

    • Keka Demétrio

      Uauuuu, 21 aninhos e na espera??? Ain amiga, e o que sobra pra mim que já tenho 38 muitíiiissssimos bem vividos???? rsrsrs
      Amiga, não fique esperando, viva tudo o que tem direito, sempre, em qualquer idade!
      Adoro vc!
      Bjossss

  • Cynthia

    “…não se fabrica pessoas de acordo com as especificações impostas pelo cliente, e relacionamentos para realmente serem baseado no amor, são aqueles em que conseguimos lidar com os defeitos do outro, porque para conviver com as boas qualidades apresentadas não é preciso de amor.”

    Uma vez li que: Amar é um aprendizado exigente, que exige de nós minúcia. Até citei isso num comentário em um texto do Edu. E é uma verdade , não é? A gente quando se apaixona, tem uma tendência a achar tudo completamente perfeito, mas com o passar do tempo, com a rotina, o outro vai se mostrando a nós como de fato é, porque a rotina acentua defeitos e faz com que as qualidades sejam atenuadas. Cabe a nós então, decidir: ou continuar amando aquela pessoa,e encontrando razões para amar mais ou e desistir e continuar procurando aquele amor “perfeito” e tão SONHADO.

    Cheiro amada!

    • Keka Demétrio

      Amiga, já sofri e chorei, mas desistir de amar nuncaaaa, se eu me propor a isso estarei anulando meus sonhos, e sonhar é mtooo bom!!!

      Cheirooo

  • Ada Cristina

    Olá, querida Keka!

    Sempre um texto reflexivo e danado de bom!
    A dificuldade hoje em dia é AMAR sem ter medo de ser feliz. Se não deu certo, ficamos tristes, mas a vida continua e devemos acreditar que podemos ser felizes outra vez.
    Vejamos os poetas, quantas dores de amores passaram e continuaram a AMAR.
    Quem nunca sofreu por amor? Não devemos desistir. Amar é simplesmente amar e aceitar o outro do jeito que ele é, como diz a música de Barry White…

    Grande beijo, minha amada!

    Ada Cristina

    • Keka Demétrio

      Amada, qdo a gente fica muito tempo sem amar, até a dor de amor passa a fazer falta…rsrsrs
      Bjooooo

  • neuzinha

    lindo.amei…….

    • Keka Demétrio

      Beijos, flor! 🙂

  • Pingback: Qual o perigo em ser seletivo? (via Mulherão) « Beto Bertagna a 24 quadros()