22 de setembro de 2010 20:01

Por Aline Gouvea

Amiga,

Tenho imenso respeito por você, mas fiquei meio chocada com aquele seu papo de ontem. Quanto machismo, menina moderna e carioca! Jura que você acredita que toda mulher tem de se fazer de frágil e dependente para manter um homem ao lado? Você acha fácil deixar de ter opinião própria e jogar as responsabilidades na mão dele?

Dessa vez eu não vou seguir seu conselho. Imagine você, logo eu que vivo te perguntando as coisas! Mas desta vez não vai dar. Pra mim, cada pessoa tem um dom diferente: umas gostam de matemática, outras adoram trabalhar com vendas, outras preferem trabalhar sozinhas. Umas optam por viver sob as asas dos pais, outras querem ganhar o mundo. Vovô Gouvêa dizia sempre: existe muita qualidade de gente por aí.

Ouvindo você defender com tanto afinco sua vida de esposa-mãe-dona de casa, percebi que seus conselhos são muito bons, mas para quem pretende ter filhos e viver da mesada do marido. Não é meu caso, já que tenho carteira assinada e diploma.

Ser esposa exemplar ou ter uma profissão não é mérito e nem demérito, é apenas questão de escolhas. E há de se respeitá-las, pois toda escolha demanda em consequências e cobra um preço. Você sabe disso. Eu também pago um preço por não ter sido uma esposa mais dedicada. É que aquilo não era pra mim e não consegui fingir mais do que 3 dias. Por mais que eu quisesse tentar, não dava pra esconder minhas frustrações. Eu sempre fui assim, minhas infelicidades sempre foram sardas em minha pele branca.

Ontem, mesmo que eu não falasse nada, você perceberia minha fisionomia de horror enquanto você provava, quase cientificamente, que o homem gosta de mulher submissa e fútil. Mulher que pensa, segundo sua teoria, dá trabalho demais e assusta os homens.

Amiga, tive uma vontade louca de te matar. Ou de me matar, porque naquela hora tive certeza de que vou morrer sem nunca mais ouvir um homem dizer que me ama.

Em relação àquele comentário sobre mim, tenho uma correção a fazer: não preciso fazer de conta, deixar o homem achar que sou frágil. Sabe por quê? Porque sou mesmo a pessoa mais frágil do mundo. E se você fosse um dos homens com quem me relacionei, veria que isso assusta muito mais do a tendência a ser indepedente que já nasceu comigo. Você ficaria espantada em saber como minhas fragilidades e carências são infinitas. Curiosamente elas não me fazem acreditar que minha felicidade está na mão do outro.

Não dá pra julgar nossas escolhas ou objetivos, por isso me sinto obrigada a repetir TENHO IMENSO RESPEITO POR VOCÊ. Mesmo estando ainda meio atordoada por ver tanto machismo no seu estilo de vida, que eu considerava o melhor way of life do mundo.

Nunca, nem naquele momento extremamente delicado que passei uns 5 anos atrás, me envolvi com um cara só para falar “o meu namorado”. Não sei se isso é graças ao meu medo de homens machistas ou à terapia. Só sei que sempre evitei homens que preferiam meus peitos às minhas conversas. Claro que adoro que meu homem me ache gostosa, mas ele também tem que me admirar. Não viveria bem com um cara que pensasse que sou tão fragilzinha a ponto de não saber tomar decisões. Odeio quem me subestima.

Fico curiosa: você vive numa boa assim? Não lhe parece meio constrangedor saber que seu marido não confia no seu intelecto? E, mais importante, não rola uma dose de culpa por ser mais um dos ítens com que ele precisa se preocupar?

Eu tenho um grande medo de ser um motivo a mais de preocupação para meu companheiro. Talvez fale sobre isso na terapia hoje à noite.

Outra correção a meu respeito: não estou por aí beijando várias bocas procurando o cara certo. Estou, sim, disponível para viver uma paixão. Acredite: eu procuro um grande amor. Marido já tive. 

  • Mel Santoro

    Que texto, hein? Acertou na mosca: beijando os errados é que a gente encontra o certo.

  • Gostei do texto. Fluido e ritmado… Li até o fim… e olha que ando na net sempre correndo!

    Concordo com o meio termo… nem com vc, nem com a sua amiga… concordo comigo mesma!

    Acredito na escolha que fiz… e acreditem meninas… SOU FELIZ!

    Beijos***

    Karina Williams
    @ANNAJOANAMODA

    • Quando fazemos escolhas de coração, elas se transformam em caminhos de felicidade.
      Beijos

  • Juliana

    Sou muito louca, muito independente, muito livre…
    Mas adoro que ele abra a latinha de cerveja pra não estragar minhas unhas, gosto desse mimo, delicadeza e preocupação… E até gosto de reclamar qdo ele aperta demais a garrafa d’agua.

    Mas eu sou muito importante pra mim a ponto de me vender por um título como “namorada” e “esposa”.

  • Olá, adorei o blog!!! Já sou seguidora.
    Amei o texto… concordo e assino embaixo!
    Abç

  • Falou e disse, garota!

    Excelente texto!

    besos

    Tati Gaião

  • Bia

    Em pleno século XXI achar que ser frágil segura homem é retroceder no tempo e voltar à época em que mulher não passava de um mero bibelô, e que casamento era uma mera formalidade para se estar inserido em uma sociedade.
    Mas de fato a mulher com conteúdo e independente assusta aos homens, porém não assusta mais do que a mulher insegura! Falo por experiência própria. E, por favor, me corrijam se eu estiver errada!
    Não devemos colocar nossa felicidade nas mãos de ninguém, pois cabe unica e exclusivamente a nós mesmas buscá-la.
    Homens (companheiros, amigos, amantes) são necessários, mas não são essenciais à vida de uma mulher! Não devemos procurá-los porque precisamos deles, mas sim porque gostamos deles.
    Ótima noite!

  • Claudia

    É… Uma situação mt delicada!
    Nós mulheres independentes, resolvidas vivemos esse dilema! Ser frágil não combina conosco, e ser como somos, realmente acredito que assuste os homens (e ja ouvi isso de vários homens). Eles gostam de mulheres que não trazem risco. Assim ele podem fazer o que bem entendem e a mulher ta sempre ali do lado… Pq é dependente dele pra tudo (inclusive emocionalmente).
    Já sofri com muitos homens assim. Pulam fora qdo nao conseguem manipular nossas atitudes.. Isso sem falar dos que nem conseguem ter coragem de tentar!
    Mas, NAO podemos ser outro tipo de mulher só pra agradar esses homens frágeis (ele sim, são frágeis! com MEDO de uma mulher bem resolvida?!?!? AFF).
    Um dia encontraremos AQUELE que se sentirá tao independente e bem resolvido como nós somos!!!

    • Faby

      Realmente, Claudinha! Disse tudo!!!!

      • Ana

        O que acontece é que há homens inteligentes e homens que gostam de frágeis e inseguras… Vc é quem escolhe.

    • Mari

      Engraçado, vejo esse discurso meio batido de q homem tem medo de mulher independente e acho meio mito…. Sempre tive meus relacionamentos e apenas um cara se incomodava com minha independência….. Aliás, nem era com a independência, era com meu sucesso mesmo…. Em geral, eles adoram não ter que decidir ou resolver as coisas por mim e mtas vzs adoram q eu os ajude a resolver as deles…. Acho q isso é uma desculpa mt esfarrapada que eles dão qd simplesmente não gostam de mulher mandona…. Do mesmo jeito q detestamos quem queira nos dar ordens, eles tb detestam…. Às vezes as pessoas confundem independência com perfil bossy….
      Acho que devemos parar de repetir essa asneira machista e parar de massacrar com mais essas receitinhas ridículas do tempo da vovó as mulher que não se submete aos homens….. Como se isso fosse lhe causar infelicidade…

  • Edileidi

    acho que não devemos ir a nenhum dos extremos, o saudável para cada uma de nós é : amar , ser amada e respeitada na medida do respeito que nos exigimos e oferecemos.
    seremos felizes se fizermos as escolhas que nos façam felizes, parece redundante, mas é apenas a verdade… bjs

  • Fátima

    O mundo é feito de escolhas e todos nós fazemos as nossas. Minha escolha foi tentar equilibrar a mulher e a profissional. Nunca pensei em ser a dona da verdade, a resolve tudo, a que manda, a que controla 24 horas por dia, mas também não quero ser a passiva, a submissa, a dependente, a que obedece, por todos os dias da minha vida. Gostei do comentário da Juliana e assim como ela, dou muito valor a mim mesma e não vou me vender para ter um marido para apresentar aos amigos e nem para ser a super profissional que não precisa de ninguém.

  • Thirley Lima

    Sou casada, bem resolvida profissionalmente, mas acredito que ñ seja necessário chegar a esses extremos, acho que o meio termo é o ideal. Afinal de contas, lutamos diariamente por direitos iguais, mas sei tb que se muitos maridos resolvessem gastar o salário com salão de beleza, roupas e congressos, e as esposas assumissem as despesas de ksa e dos filhos e etc..as esposas ñ iriam gostar…não é mesmo?
    Um dia desses eu estava sentada na varanda com minha avó e minha prima, ai minha prima levantou e disse que já ia p ksa, ia fingir que estava triste pra ver se o marido dava um denguinho a ela…minha avò imediatamente respondeu: _Larga de ser besta menina, homem num gosta de mulher triste em ksa, ele larga vc triste lá e vai a procura de uma que esteja alegre na rua! Agora eu pergunto, ela disse alguma mentira? A vida é assim, os homens são assim. Meninas…eu amo abrir minha carteira e ver que naum dependo financeiramente do meu marido pra nada…mas adoooorooooo qdo tenho que gritar o nome dele na cozinha prq ñ consegui abrir o pote de azeitonas e ele vem com akele sorriso lindo de Superman e com um simples toque no pote consegue abrir o que eu havia tentado fazer sem obter êxito, e olhando nos olhos dele eu digo:_O que seria de mim sem vc?
    Por isso meninas acho sim que dá pra ficar no meio termo, pelo menos deixa-los pensar que dependemos dele em algumas coisas pra ñ assustá-los tanto assim, e não acabar perdendo um grande amor.

    • Thirley,
      que sábia é a sua avó, hein? E, pelo jeito, vc aprendeu com ela: ser indepedente não é perder a delicadeza. Marido não é banco 24h, é parceiro!
      Beijos

      • Mari

        Gostaria de entender pq não abrir um pote de azeitona é “manter a delicadeza” … Acho isso tão machista qt dizer que temos q ser frágeis para prender homens… Reduzir um homem a mero fazedor de coisas cotidianas que não gostamos de fazer ou que simplesmente temos dificuldade, é reproduzir esse machismo velado do tempo de nossa avó….

        Adoro quando meu companheiro fica admirado quando eu falo de igual pra igual com mecânicos, com vendedores de carros que tentam nos enganar, ou mesmo quando eu abro um pote de azeitonas… Ele tem sempre a certeza de que ele está lá, não pq é necessário para me proteger, e sim pq eu o amo e o admiro…

  • Gleiziane Fernanda

    Ontem estava com meu Baby, e ele me disse algo fascinante: “VOCÊ É O MEIO TERMO”, NÃO MUITO FRÁGIL, MAS TAMBÉM NÃO MUITO FORTE… NA MEDIDA EXATA!!! Como foi bom ouvir isto, pois sei que sou independe, que não vou viver agarrada a ele como se fosse a única coisa que existe, mas também não vou deixar de ama-lo por ser determinada e forte. Não quero dominar, não quero ser a dona de casa perfeita, a que faz tudo, que cuida de filhos, que cozinha, que ama o marido e tudo mais, quero ser FORTE PARA AMAR MINHA FAMÍLIA E CUIDAR DE MIM, mas sendo forte sem perder a sutileza de uma mulher….. Adorei o texto. Bjs

  • Ariane

    Nossa…que carta hem..rs

    Não acredito que haja uma pessoa com esse pensamento machista ainda…isso pq procuramos a liberdade e independência feminina…

    Beijinhosss

    • Ariane,
      acredite: ainda existe mulher que pensa dessa forma machista. Daí é que surgiu a inspiração para o texto.

  • Alessandra Pires

    Acredito que a vida a dois não é uma coisa assim tão fácil e muito menos receita de bolo, mas temos que entender que somos muito diferentes dos homens, inclusive na maneira de pensar. Há uns 2 anos comecei a ler “Homens são de Marte Mulheres são de Vênus” e no pouco que lí, pude ver que os homens são mais frágeis do que eu imaginava, uma crítica que damos a eles, são recebidas como se estivéssemos falando que eles são incompetentes. Eles ficam muito magoados. Uma coisa que acredito é que por mais que a mulher seja independente e que esta não seja submissa ao homem, um gesto de cavalheirismo sempre cai bem, pois gostamos de ser bem tratadas, valorizadas, mesmo as que tem Diplomas, as que ganham mais que os homens, as que são “indomáveis”.
    Por fim, a vida é feita de escolhas e cada escolha tem seus prós e seus contras, suas renúncias e suas aceitações, suas dores e suas delícias.
    No mais, beijos, que Deus nos abençoe nessa arte de ser mulher!

  • Acho que nós mulheres podemos ser o que quisermos…frágeis e fortes em momentos que acharmos necessário…
    Sou formada, fiz especialização, pretendo um mestrado, tenho namorado e pretendo me casar…oras…porque não??? ele me respeita, me ama, me acha inteligente e me denga qdo preciso….
    bjoooss

  • Simone

    Uau! muito bons o texto e os comentários!
    já disseram tudo, só quero acrescentar algo que já concluí, marido é até fácil de encontrar… mas, uma paixão, um com-pa-nhei-ro, nossa, como é dificil!
    Mas ainda não desisti, só não vou fingir nada pra isso.
    Beijo a todas!

  • Juliana

    CARA, QUE TEXTO LEGAL….OUTRO DIA ME VI EM UMA SITUAÇÃO QUE ME TIROU TOTALMENTE O TESÃO DO BONITÃO…ACHO Q ELE NEM IMAGINA, QUE EU SUMI POR CONTA DE UM COMENTÁRIO….ELE VIROU PRA MIM E DISSE QUE EU ERA MUITO BOAZINHA…AFFF..NÃO ACEITO ESSE TIPO DE “ELOGIO” ..ISSO ME FEZ PARECER QUE ELE ME ACHAVA COM AR DE MENINA BOBA..NÃO PRECISO DISSO..CUIDO DA MINHA VIDA E DAS MINHAS FILHAS SOZINHA…..PREFIRO QUE ME ACHEM BATALHADORA A DIZER ” BOAZINHA”..FUIIII..BEIJOS!!!

  • Larissa

    Nem toda mulher que depende do marido é fútil ou submissa. Estou grávida e optei por não trabalhar esse ano, pois tenho uma prioridade bem maior do que qualquer emprego nesse mundo. Sou formada, estou terminando minha pós graduação, faço curso de artesanato e cuido da minha casa. Não me sinto menor do que nenhuma mulher que trabalhe fora ou seja independente.
    Meu marido “me banca”, mas não me envergonho disso. Pois, pelo meu filho, tudo vale! E não pretendo voltar a trabalhar tão cedo, p/ ganhar um salário e perder momentos únicos da vida do meu filho. Quero ver seu umbigo cair, nascer seu 1o dentinho, e por aí vai.
    Invisto mto em mim, por isso não parei de estudar. Mas, optei por uma vida que me orgulho, pois foi pelo meu filho.
    Meu marido jamais me obrigou a não trabalhar ou a trabalhar. Me deu a escolha de fazer algo que eu tivesse satisfeita e feliz. Ele faz questão de investir em meus estudos ou o que quer que eu resolva fazer.
    Enfim…penso q. cada um leva a vida que pode, que quer e que se sente bem. Não dá para julgar por uma simples aparência que isso é machismo….há de analisar a situação como um todo.
    Afinal, fazer o que os outros pensam ou dizem, não é ter liberdade. É ser pressionado por uns e outros ou pela sociedade a tomar uma outra atitude, diferente do que vc optou, definitivamente não é liberdade.
    É só minha opinião!
    Abraços!

  • Na verdade o post nao falava nada de mulher que depende do marido, mas sim das que fingem ser submissas e fúteis porque acham que assim nao vao perdê-lo… inclusive a autora disse que respeita todas as escolhas.

    Muito bom o texto!!

    Beijos

  • dedezinha09

    Simplesmente AMEIIIIIIIII, vc põe na mesa para discussão, um assunto que muitas esconderiam debaixo do travesseiro.
    Tambem sou idependente e destesto demonstrar e que o diga fingir fragilidade.
    Sábias palavras.Parabens!!!!
    http://www.avidadepoisdaobesidade.blogspot.com

  • Andreia

    Me vi a anos atrás nesse texto, pois vivia uma vida com o meu marido que não era minha, era submissa, , não podia opinar em nada, precisava dele até para comprar absorvente, isso sem contar nas amantes que ele tinha fora. Foram 07 sofridos anos, que eu me acha incapaz de ter um emprego, porque ele me fazia sentir assim, mas um certo dia acordei, abri os olhos para a vida e mudei, hoje trabalho, sou independente, e não baixo mais a minha cabeça, luto pelos meus ideais. Ele continua comigo não sei o porquê, mas acho que ele agora sim me ama de verdade, pois me respeita e me admira como sou.
    Obs: casei com 17 anos logo engravidei e hoje tenho 32 anos, tive um casal de filhos lindos (01 menino hoje com 14 anos e uma menina com 10).
    Hoje me sinto quase 100% livre e feliz.
    Parabéns pelo texto, adorei!!!

  • izabel Soraia

    Concordo totalmeeeeeeeeeente com o comentário da Larissa, acredito que a verdadeira revolução feminina é se sentir inteira a aceita para poder fazer as escolhas que bem entender, sem se sentir inferior.

  • Adriana

    Me desculpe… mas não gostei do texto não… cheio de mágoa, rancor e preconceito… me pareceu uma super lavagem de roupa suja… não achei agradável, na vida temos escolhas e nada nos dá o direto a julgar quem fez a escolha certa e errada…

  • keilla

    Acho que nos cobram dimais isso sim.
    Cobram de nós mulheres…
    Não basta ser profissional…tem que ser a melhor,com muitos diplomas e cursos(e dizem que homens tem melhores salários).
    Não basta sermos mães,temos que ser super mães,(pq quando algo da errado….onde estava a mãe?)
    Não basta sermos mulheres…(temos que ser lindas,maravilhosas,cheirosas aff)
    Agora também temos que ter ponto G(que ninguém sabe e ninguém viu).
    Muita cobrança,vai parar aonde essa lista?
    Cada uma de nós tem saber oq é prioridade pra nós,o q realmente nos faz feliz.
    A vida é tão curta e cheia de surpressas,tantas coisas acontecem e sai do nosso controle.
    Então sendo dona de casa,ou mega empresaria,o importante é ser feliz.

  • viviane

    Gostei muito do texto e dos coments..Sinto na pele a rejeiçao as vezes por alguma opiniao que tenho..Os homens com os quais convivo gostam de mulherem caladas,que falam baixo, sem muitos sorrisos ou grande espressao…eu que sou desinibida,falante sou tida como assanhada,safada…fico triste de saber que ainda existem mulheres que se fazem de santinha pra agarrar homem..Triste

  • Fernanda

    Gente, sem estresse!!!!!
    Sem sombra de dúvidas, somos extremamente cobradas, mas temos toda a capacidade para nos transformarmos em mulheres cada vez mais batalhadoras… seja sustentada pelo marido, seja bancando as proprias contas, o que interessa de fato e podermos viver livres e independentes…. o resto é resto, cada um é cada um…

    Bj amo esse blog.

  • sueli

    meninas amei esse blog,que idéia fantástica,afinal todos merecemos tratamento humano,mas tem gente q acha q ser fofa é não merecer isso.vcs fazem exatamente ao contrário,nos tratam com dignidade que por sinal merecemos,somos iguais a todos só vestimos numero maior.gostei do blog pois até agora pelo menos não me pareceu apelativo no sentido de nos fazer melhores que outros por exemplo os magros,existem pessoas maravilhosas de todos os jeitos magras,gordas,altas,baixas……vcs encaram assim que ótimo obrigado.

  • Letícia Teles

    Uau! É tudo que tenho a dizer. Não sei quem é sua amiga, mas conheço várias que também vivem como ela e felizes! Eu até chego a admirar elas em certo ponto, e a odiar os maridos/namorados que não as valorizam como deviam, porque eu acho que elas merecem muito valor, já que toda escolha tem consequencias e preços, e o que elas pagam é muito alto para mim, dai sai a admiração…

  • EU NÃO ACHO NADA, CADA UM QUE SABE DE SI, MAS… QUANDO ALGUÉM VEM COM UMA TEORIA ESTROGONÓFICA PRA CIMA DE MIM EU TAMBÉM ME REVOLTO! VIVEMOS NUMA DEMOCRACIA E É IMPORTANTE A DISCUSSÃO,NÃO A IMPOSIÇÃO.
    TUDO ISSO NOS FAZ CRESCER E NOS COLOCA A CONFRONTAR COM NÓS MESMAS! Auto conhecimento é importante viu gente? Ninguém tem que ter peninha das donzelas sonhadoras que estão por aí…Será que ela se arruma toda pra esperar o marido chegar em casa? pode ser que anda por aí lendo as dicas de O Cruzeiro…ou o diário da vovó…sei lá …
    PERFEITO ALINE ASSINO EM BAIXO AMIGA !!!estamos em 2010 né?
    Bola pra frente que retranca é dura e nada é para sempre. PÉ NO CHÃO MOÇADA

  • Aline, amei o texto! Inacreditável que ainda existam pessoas com este pensamento tão fechado. Acertou em cheio e concordo com tudo que você diz, casamento, relacionamento não é prisão, e ninguem tem que se anular em prol do outro. Adoreeei gata!! Arrasou! Bjs

  • Olá, Aline! Estou chocada com essa carta! Sou casada, dona de casa e mãe de 4 lindas crianças. Abandonei a faculdade de bacharelado em Matemática (UERJ) e uma profissão de produtora artística pra cuidar da minha família. Mas de forma alguma sou uma mulher frágil e dependente. Meu marido e meus filhos não vivem sem que eu administre cada pedacinho de nossas vidas, eles é que são dependentes de mim e isso me faz feliz (que é o que realmente importa). Veja bem, não crio meus pequeninos pra que passem o resto de suas vidas sob minhas “asas”, mas eles são um projeto, são meu melhor projeto. Deixar no mundo pessoas honestas, criar cidadãos trabalhadores, solidários e de bom caráter, não é pra qualquer uma, tem que ser uma mulher forte, de fibra e de pulso. Imagine criar seus filhos dentro de um mundo corrupto, cheio de duplas intenções e de “facilidades”, e ter que dizer todos dias a ele que o certo é trabalhar, estudar e ser correto! Uma mulher que abdica de fazer um bom trabalho acadêmico ou numa grande empresa pra criar filhos, não pode achar que a futilidade e a fragilidade são bons exemplos pras suas filhas e filhos. Criança aprende muito mais com exemplos do que com palavras. Hoje, meus pequeninos não são tão pequeninos, e voltei pra faculdade. Faço matemática na UFF, e meus 4 filhos se orgulham muito de mim! Parei por um tempo pra cuidar deles porque achei que isso era o certo, agora retomo minha individualidade com meus filhos ao meu lado me dando forças pra continuar o “meu” caminho. Quem não seria feliz assim? Bjs e boa sorte.
    PS: Meu marido me acha a mulher mais forte do mundo e me dá todo apoio. Existem homens que nos admiram pelo que somos e não pelos atributos físicos!

  • Fernanda Prado

    Eu estou cansada um pouco de ser submissa e muito frágil, embora trabalhe e ganhe o mesmo que meu marido, embora ele me trate muito bem, vejo minhas amigas “poderosas’ e dominadoras darem um caldo na homarada. Imagine que elas mandam e desmandam os namorados/ maridos, ganham presentem caros e quando querem saem e viajam sozinhas. Uma delas escolhe até a roupa do bonitão. A outra tem 54 anos e o namorado 36!!!!!!E ele arrasta aquele bonde! Ela só falta mandar ele calar a boca! Onde mesmo eles preferem as submissas? Não é isso que eu tenho visto. Homem gosta de mulher poderosa.

  • Amei o texto!
    ‘Eu tenho um grande medo de ser um motivo a mais de preocupação para meu companheiro’

    Parabéns!