24 de setembro de 2009 22:06 Moda e estilo

Gorda ou magra?

Preconceito: ser pp do mundo gg não é fácil não!

Celina 4Celina Lulai, 27 anos

Quantas vezes ouvi de pessoas magras que sou fora do padrão, que para mim não tem roupa, que eu não posso ter alguma coisa por ser “fora do padrão”… Lojas que não têm roupas do meu tamanho, vendedoras olhando com cara de desprezo… Ficava muito triste e não me conformava. Quando me assumi gordinha, me liberei dos traumas, e fiquei em paz comigo mesma, achei lojas que vendem exclusivamente para mim, aí começo a sofrer outro tipo de preconceito: o das pessoas que usam manequins maiores do que o meu. Como já tinha superado a fase do preconceito das magrinhas, começo a sofrer o preconceito das mais avantajadas do que eu. Sinto-me ofendida todas as vezes que me chamam de “magra”. Uso manequim 46 com muito orgulho! Considero-me bonita, mas sei que tenho dobrinhas a mais, e não me preocupo com isso. Temos que nos aceitar e aceitar as outras pessoas como elas são! Um beijo a todas e se sintam felizes consigo mesmas, pois outras pessoas não farão isso por vocês.

DSC_1578_RTaiz Marques, 29 anos

Visto manequim 44 e sou considerada gorda, com orgulho. Quando entro em uma loja “comum” para comprar roupas sempre saio de mãos vazias e sob olhares do tipo “tadinha não vai encontrar nada que caiba nela”. Já em uma loja especializada em tamanhos maiores me deparo com o problema ao inverso, o meu tamanho nunca tem pois é feito em menor escala ou com o caimento pensado para pessoas que vestem tamanhos maiores que o meu. Acabo ficando desengonçada na roupa. Daí fica a dúvida, onde me encaixo? O que sou eu afinal? Gorda ou magra? Vejo e apoio as PLUS quando dizem “abaixo ao preconceito, ser gordo, saudável, é normal” e acabo virando alvo tanto das “magras” quanto das “gordas”. Que fim do preconceito é este que elas buscam criando um novo contra às pessoas que têm o corpo como o meu?? Seria utopia demais pedir um mundo onde todas as medidas fossem consideras “normais”?

Renata Poskus 7Renata Poskus Vaz, 27 anos

Tenho sobrepeso. Posso parecer magra perto de alguém que usa manequim 50, mas só eu sei a dificuldade que passo na hora de comprar uma roupa. O manequim G das grifes tradicionais sempre é pequeno demais para mim. Para piorar, quando se usa manequim 44 e se está quase 20 Kg acima do peso considerado normal, todos esperam que você emagreça, até atingir o esquálido manequim 38. Quando comecei a escrever para o Mulherão, percebi que muitas meninas se identificavam com os meus textos. Entretanto, não foram raras as vezes em que ouvi dizerem que eu era magra demais para o mundo plus. Há até quem diga: “se é tão bom ser gorda, porque você é magra?”. Eu estava convidada a participar de uma entrevista no programa da Claudete Troiano, na Gazeta. Fui desconvidada em cima da hora. Disseram que eu não representaria bem as gordinhas por ser magrinha. Aí perguntei para a produtora se ela me encaixaria em uma pauta de biquínis. Ela ficou sem graça, é claro. Deve ter pensado: “jamais colocaria essa gordinha em um biquininho”. Oras…. Magra ou gorda? Não importa. Sou uma PP deste mundinho GG e exijo que todas vocês respeitem a mim e a outras meninas que usam a partir do manequim 44. Da mesma forma que vocês não gostam de sofrer preconceito por estarem muito acima do peso, nós também não gostamos de sofrer preconceito por estarmos apenas um pouco acima do peso. Desdenhar ou desqualificar alguém por causa do tamanho do seu manequim é coisa de mulherzinhazinhazinha e não de mulherão.

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES