11 de outubro de 2011 13:15 comportamento

Você por mim

Por Keka Demétrio

Estou dizendo adeus, mas na verdade eu queria mesmo era que você dissesse: Fica!

Queria ouvir você dizer para eu não ir, mas não com frases ou pensamentos que a gente quando está dominado pela emoção nem entende direito o que exatamente significam.

Queria que você dissesse que tem sede de mim e que o meu riso purifica o seu ar; que tudo o que poderia dar errado continua podendo dar errado, mas que ao meu lado essas coisas se tornam apenas detalhes; que você descobriu que ao meu lado pode ser o menino que colhe frutas no pé, mas que também pode ser o homem que decide um monte de coisa importante durante o dia. Queria que você dissesse pra eu ficar por que meu brilho tem iluminado seus pensamentos e seu coração tem agradecido por isso; que embora você sempre seja um entusiasta pela vida, comigo isso tem se multiplicado; que depois que eu vim você se sente muito maior e melhor. Ou então que você dissesse simplesmente que me ama, o que seria motivo mais do que suficiente para que eu permanecesse por toda a sua vida.

Isso seria provavelmente tudo o que eu diria se você quisesse ir embora. Provavelmente por que eu diria também que ver o seu despertar faz minhas manhãs mais ensolaradas; que dividir com você a última barra de cereal a torna a mais gostosa de todas, e que deitar a cabeça feito menina no seu colo faz com que eu me sinta uma mulher muito mais completa.

Mas você não diz.

Então eu parto. Vou em busca dos meus pedaços para remontar-me feito quebra cabeça bagunçado de cinco mil peças. Vou tentando organizar pelos pedaços que ainda não se misturaram, tentando substituir as peças dos sonhos pelas da realidade que a vida me apresenta. Algumas, muito importantes, desapareceram, então, talvez eu busque em outros lugares peças substitutas que se encaixem nestes espaços, e queira Deus que elas sejam coloridas o suficiente para que eu sinta de novo o pulsar da vida. Vou trocando uma a uma na precisão da minha boa vontade, compreensão e amadurecimento.

Nesse exercício vou entendendo que o que fez as peças se desbotarem e doer o coração não foi você partir, mas os sonhos que não tiveram tempo para se tornarem reais; não foi tirar você da minha vida, mas perceber que eu nunca estive na sua. Neste instante, quando eu pensei que não iria conseguir, Deus me pegou no colo e me ajudou a substituir a peça mais importante: você por mim.

 

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES