25 de outubro de 2011 08:21 comportamento

Circo dos horrores, a que ponto você chegou, não …

Por Eduardo Soares

Resolvi dar férias sem prazo de retorno para minha tão requisitada paciência. Em trinta e dois anos na estrada, pouquíssimos foram os dias em que não recorri a principal característica de Jó. Alguns anos atrás, fui apelidado de Monge pelos companheiros de trabalho justamente por causa da minha maior virtude. Mas, de uns tempos pra cá parece que ela tem enjoado da minha cara (ou será que eu sem perceber a coloquei no esquecimento?) e o que antes era a principal característica hoje torna-se algo cada vez mais longe da realidade. Já fiquei preocupado com isso, juro. Por outro lado, por diversas vezes questionei o motivo da crescente impaciência/intolerância que tem conquistado meu (antes pacato) perfil.  Tento me adaptar as mais diversas situações do dia a dia só para tentar não ser um sujeito desagradável. Não demorou muito e desisti de querer agradar a todos (sabe o que é pior: essa coisa de procurar ser amigo de todos não estava agradando nem a mim).  Fiz esforço pra ser o sujeito engraçadinho, o centro das atenções, o inteligente (de fundo de quintal), o severo/crítico, o cara de mente aberta/liberal, o desconfiado, cético, otimista até na hora de diarreia, o pessimista até na hora de buscar o premio da Mega Sena. Conclusão? Rodei, rodei, rodei e me perdi. Como dizem por aí, ficou aquela sensação : você pode gostar de chocolate, doce de jaca, vitamina de abacate, coxinha e rapadura. Mas junta tudo pra ver no que vai dar…

Por que raios esse desabafo estranho? Não estou escrevendo com um cálice cheio de vinho do Porto do lado. A cota de nível etílico chegou no auge durante o fim de semana. Nos dias úteis procuro manter a sobriedade. Sobre o tal desabafo, acontece que de ontem pra hoje minha paciência foi testada a exaustão e também essa palhaçada de ser amiguinho de quem não presta já passou da conta. Segredo de Estado: Indiferença, minha cara leitora, nunca foi meu forte.

Domingo à noite, pela primeira vez compareci a um evento muito bacana aqui no Rio (Miss Plus Size Carioca) onde a sempre bela (e figuraça de marca maior) Tatiana Gaião passou a faixa/coroa para Géssica Carneiro . A quantidade de profissionais da imprensa no local era considerável e com isso não demorou muito para que diversos sites divulgassem o sucesso da cerimônia. Com o passar do tempo (e principalmente devido a este espaço virtual), meu nome ficou muito ligado ao mundo plus size, logo quem me conhece sabe que constantemente marco presença em ocasiões como a que aconteceu no Rio. Não sou mais frequente porque boa parte dos eventos acontece em São Paulo e nem sempre tenho tempo para cruzar o Estado para admirar os desfiles cada vez mais profissionais e impecáveis. Bom, ontem à noite e hoje cedo fui bombardeado com perguntas do tipo: cara, vi que rolou um evento sobre as modelos GG, você soube? Diante da minha afirmação, começa o fuzilamento imbecilóide:

– Numa boa, você não acha que isso é um circo dos horrores?

– Cá pra nós, quem realmente acha aquilo (os desfiles e as moças) bonito?

– Custo a crer que você goste daquilo, camarada. Qual é a tua?

– A que ponto você chegou, cara. Não pensei que tu fosse apelar tanto. Porque faz isso?

Meus caros, a paciência zerou. Acabou de vez. Se por bem menos ela sumiu, agora, além de gozar merecidas férias, ela deixou a intolerância no seu lugar. Repito aquilo que disse quando ouvi essas perguntas: não tenho SACO pra fazer média, nunca fiz e aos 32 anos na cara provavelmente nunca farei. Não tenho culpa se as atuais preferências quanto a beleza são esteticamente perfeitas (e podres por dentro). Recomendo imensamente que os autores das frases em negrito encontrem belas mulheres pela frente. Do tipo gostosonas: dotadas de peitos deliciosamente siliconados, barriga quase inexistente (de tão seca), coxas torneadas e suculentas e que sejam verdadeiras devassas na cama. E que essas mulheres (se você que lê isto possui tais atributos, não estou generalizando, apenas quero ver essa galera caindo do cavalo com direito a coice na cara) sejam portadoras de “embalagem” maravilhosa e caráter repugnante. QUANDO É, POMBAS (isso pra não xingar), QUE VOCÊS CAIRÃO NA REAL PARA PERCEBER QUE A BELEZA NÃO PODE SER RESUMIDA APENAS AO VISUAL???  A gostosona arrasa-quarteirão pode ser mais atraente do que a plus size pra você, seu otário, AGORA SAIBA QUE PESSOAS TÊM GOSTOS DIFERENTES. É evidente que admiro as não-plus-size, oras! Agora, meu gosto não é limitado apenas para esse tipo de mulher. Além delas, olho/admiro as famosas gordinhas, SIM! E elas são bonitas, SIM! Elas me excitam, SIM! Assim como a mulher magra, a baixinha, a alta, a sambista, a roqueira, a descontraída, a tímida, mulata, morena, ruiva, loira, a de cabelo verde, roxa, azul….

A irritação fica maior quando (como foi o caso hoje) uma GORDINHA esculhamba as demais, dizendo que os desfiles são para expor as pessoas ao ridículo, que a depreciação atingiu um nível surreal, e por aí vai. Assim como existe o negro racista (contra sua própria raça) e o pobre que vive com o Rei na barriga, nota-se também a mulher recalcada, a gordinha que se morde de ciúmes por não estar participando do evento. NUNCA ouvi vaias nos desfiles. NUNCA ouvi comentários do tipo “não sei pra quê raios ela faz isso” dos maridos nos Dias de Modelo, NUNCA ouvi comentários de humor negro nos eventos em que marquei presença. Pelo contrário, admiro a rapaziada que dá valor a mulher que tem do lado. Impossível não achar graça (favor não confunda com ironia) da cara de marido apaixonado ao ver sua mulher desfilando na passarela como foi o caso do meu camarada William e seu sorrisão de felicidade/orgulho a cada passo dado pela Érica Calderal. Assim como ele, tenho certeza que vários outros maridos/namorados/noivos/ficantes têm o mesmo prazer em contemplar a mulher que desfila beleza, simpatia e orgulho de ser quem é, sem a menor vergonha de não estar enquadrada nos atuais padrões de beleza estipulados por algum desgraçado desprovido de sanidade mental.

Por fim, diferente do que pensam ou comentam (mesmo quem em tom de brincadeira) nunca estimulei namorada, amiga ou leitora a engordar em nome do meu gosto. Isso seria sadismo. Se as idealizadoras dos movimentos plus size levantam a bandeira da saúde em primeiro lugar, por que raios eu iria ser voz contrária a causa? Sim, antes de entrar para o blog já fui contrário a namorada que pretendia fazer redução de estomago assim como fiz bico ao saber que a parceira estava pensando em fazer dieta. Com o tempo você nota que as coisas não são assim. Quem realmente gosta quer ver a pessoa feliz, alegre, disposta, cheia de vida. Pedir para a pessoa ENGORDAR (e conheço marmanjos que fazem isso) beira o absurdo do egoísmo insano. Irrita mais saber que certas meninas, numa total ausência de estima, fazem isso com medo de perder o sujeito que nunca deveria ter entrado na sua vida. E irrita muito saber que determinados idiotas esculacham as mulheres NA HORA DA INTIMIDADE. “Tá maluca? Faça um regime, você acha que me excita com esse corpo?”, foi a declaração de um noivo assim que viu a mulher toda produzida. E ele não está sozinho, existem vários “clones” seus espalhados por aí. SE VOCÊ NÃO QUER, RETARDADO, SUMA DA VIDA DA MENINA. CEDA ESPAÇO PARA O CARA INTELIGENTE QUE VAI DAR O VALOR A ELA QUE VOCÊ NUNCA DARÁ: FELICIDADE. E saiba que a vida tem efeito de roda gigante…

Definitivamente, hoje as palavras doces sumiram do meu pensamento. Sejamos realistas: as palavras do melhor psicólogo existente nunca serão suficientes caso você não queira mudar o percurso.  Não vou ficar martelando no velho clichê motivacional do ‘’Valorize-se ”. ACORDE PRA VIDA, PARE COM ESSA PASSIVIDADE DE FICAR APENAS ADMIRANDO OS EXEMPLOS DE SUPERAÇÃO DAS PESSOAS E CORRA ATRÁS DO TEMPO PERDIDO. Este espaço não é destinado para o publico infantil, todos nós sabemos (ou temos noção) do que queremos. VOCÊ sabe o que é melhor pra SUA vida? Ótimo…agora saia da frente do monitor e trace metas, canalize seu foco nas melhores idéias possíveis.

O texto acabou. O que está você esperando? Minha paciência acabou, vai deixar que acabem com sua vida?

 

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES