31 de janeiro de 2012 08:06 comportamento

Onde você se encaixa?

Por Keka Demétrio

 

Não sei por que a gente fica insistindo em coisas que definitivamente não vão vingar. Eita orgulho que nos faz ser idiotas e perder nosso precioso tempo.  Há um tempo, cheguei à conclusão que nem sempre é o sentimento que mais pesa quando temos que deixar um amor para trás, mas sim o orgulho ferido. Nossa, depois da descoberta do meu amor próprio, esta foi uma das descobertas mais libertadoras.

Pensa bem, quando ficamos sabendo que o tal amor da nossa vida tá com outra, ou ao menos conversando com outra, o que pensamos na hora é se a outra é mais bonita, mais inteligente, mais preparada e articulada que a gente, e mesmo que ela não seja o maldito orgulho nos faz acreditar que é. Perde-se a noção do que um relacionamento precisa para dar certo e foca-se na destruição da imagem daquela mulher, que nem é tão linda, inteligente e articulada como nós, mas que a nossa falta de inteligência emocional deixa claro que tomou nosso lugar.

É uma pena, mas é assim que a maioria de nós agimos. Quando estamos em um relacionamento, deveríamos aprender com os homens a trabalhar um pouco a nossa racionalidade. Poxa, Keka, logo você, uma romântica incorrigível, um perfeito exemplar do que é emoção vir falar sobre racionalidade? Sim, eu mesma. Sou emotiva, mas não sou burra.

Quer ver uma coisa: se o seu tal amor te largar por outros motivos que não seja outra mulher, tenho certeza de que você não vai sofrer tanto. Quando somos preteridas por outra é nosso orgulho que entra em jogo, nos sentimos diminuídas, incapazes, menos e muito menor que a tal dita cuja, mas não pensamos em momento algum que fomos pequenos ou incompetentes para administrar nosso amor. Sim, porque relacionamentos também precisam ser administrados, cuidados, revitalizados. É preciso estar atento às demandas que vão surgindo e às intempéries de uma vida a dois.

E o que tem a ver isto tudo com o fato de insistirmos em algo que não vai dar certo? Tudo. Se você está neste barco, pare, pense e pondere os seus reais sentimentos. Será que é mesmo amor, ou orgulho de mulher revestido de paixão? Se for amor, e tudo indica que não há reciprocidade, não vou dizer para não ficar triste, para não derramar algumas lágrimas, porque sei que isso vai acontecer e é até bom que aconteça, mas, por favor, seja inteligente, não perca a capacidade de amar, Deus sempre tem o melhor para quem confia Nele. E você pode fazer a sua parte colocando aquele vestido lindo e estampar nesses lábios um sorriso contagiante. Tenho certeza de que novos pretendentes não irão faltar. Apenas permita-se.

Agora, se for orgulho revestido de paixão, ative sua inteligência emocional e me diga: vale à pena sofrer por algo que você nem tem certeza se quer? Vale perder tempo, energia, e os outros gatos que estão esperando um sinalzinho seu, só porque encasquetou que tem que provar que é melhor que outra mulher? Definitivamente, não vale. E depois, existem mil maneiras de mostrarmos o nosso valor, e uma delas, aliás, uma das mais admiráveis, é sair deste tipo de situação com a elegância que só uma mulher bem resolvida e que se ama possui, de cabeça erguida, ostentando como triunfo seu amor próprio. Pense nisto.

 

 

 

 

 

 

 

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES