24 de fevereiro de 2012 16:07

Por Renata Poskus Vaz

Na minha adolescência integrava um grupo de teatro dirigido por meu querido amigo e talentosíssimo Roni Guilherme. Recordo-me que, durante os ensaios, quando nos corrigia em alguma cena e tentávamos explicar o porquê de não termos seguido uma orientação dele, Roni dizia: “não justifique, faça”. Cresci com aquela frase na cabeça. Enquanto adolescente o achava intolerante, pensava que como meu diretor ele deveria parar e ouvir minhas justificativas. Só agora, crescidinha, noto o que ele queria dizer com “não justifique, faça”.

 As vezes a gente perde muito tempo se justificando por ter errado, por ser assim ou assado, enquanto poderíamos aplicar nosso tempo “fazendo diferente”, corrigindo nosso erros, não com palavras, mas com ações.  Ok, você deve estar se perguntando: “mas porque a Renata está me dizendo isso agora?”. Por vários motivos. Entre eles, para que você tente aplicar essa técnica em sua vida.

 “Não justifico o porquê de estar acima do peso”

Se você fica se vitimizando por estar acima do peso, pare de reclamar da vida e tome uma atitude. “Estou acima do peso porque engordei 30 Kg na gravidez, ou porque entrei em depressão e blá, blá, blá”. Esses desabafos você pode fazer aqui, em nosso Mulherão, no terapeuta ou no seu diário, mas em seu dia-a-dia não se justifique para pessoas que nada tem a ver com o seu peso. Se o seu próprio corpo te incomoda, tome uma iniciativa para mudá-lo. Procure um profissional para orientá-la, faça dieta, exercite-se.

 Se estiver se reeducando com relação à alimentação e for à uma festinha, não responda as ofertas de docinhos e salgadinhos com: “não, obrigada, estou de regime”. Só dizer que não quer e agradecer já basta. Dizer que está no regime gera uma série de cobranças que, de repente, em início de dieta, você não estaria preparada para ouvir. Além do que, parece que tem gente que só vive da desgraça alheia. Só porque está de regime, o cunhado chato ou a prima invejosa vão passar a bandeja com delícias na sua frente, cinco vezes mais, só para testar a sua boa vontade.

 “Não aceito justificativas do porquê de ter sido traída”

Você foi traída por uma amiga ou um namorado e não sabe como reagir?  Não aceite justificativas. É muito comum, quando erram conosco, tentarem atribuir a culpa por seus deslizes a alguém. O algoz vira a vítima e vice e versa. Se o namorado te trai, certamente ele dirá que é porque você não lhe dava atenção suficiente, ou porque o relacionamento esfriou, ou porque você elogiou fulano… Só quem já levou um chifre daqueles sabe bem o que estou dizendo.

Então, poupe-se! Não escute justificativas que só vão te deixar nervosa ou, injustamente, culpada. Não estou pregando o fim do diálogo, mas a conversa deve acontecer antes que os problemas ocorram e não depois. Como já diz o título deste artigo, não justifique, faça. E faça direito.

Com amizade vale a mesma premissa. Antes de trair a sua confiança, o “amigo” teve tempo para pensar em seus atos. Afinal, não somos mais crianças. E não somos animais que agem por impulso. E ao pensar, optou por prosseguir mesmo que seus atos te causassem algum tipo de sofrimento. E você não merece sofrer injustamente.

“Reconheço meus erros, mas não me justifico para meu chefe”

No trabalho é muito bacana quando a gente consegue reconhecer que errou e assume que precisa se aprimorar. Todavia, não adianta ficar usando justificativas para tentar encobrir ou amenizar seus erros. “Chefe, eu não terminei esse relatório porque a Cristiane do RH ficou de me mandar os dados e não mandou”. O exemplo ao lado reflete muito do que costumamos fazer. Para justificar não ter concluído uma tarefa, atribuímos a culpa a alguém ou a algum fato, como o trânsito (saia mais cedo de casa), a falta de energia elétrica (não deixe para a última hora a conclusão de um serviço), ou a falta de contribuição de um colega (se isso acontecer, comunique seu chefe antes do prazo expirar). Então, se não conseguiu por qualquer motivo concluir a tarefa, assuma o erro, peça desculpas (sem ladainhas) e peça uma nova data para entregar o relatório.

Não se justificar mostra seu compromisso em querer aprender, crescer, ser um ser humano melhor. Mostra que você não tenta encobrir seus erros, que é madura o suficiente para reconhecer que precisa melhorar e agir da melhor forma nas próximas vezes. Seja feliz. Não justifique, faça.