28 de fevereiro de 2012 20:17 Uncategorized

A volta da “nossa minha vida”

Por Renata Poskus Vaz 

Quando criei o Blog Mulherão, há 3 anos, não me preocupava muito com a proporção das coisas que eu ia escrever aqui. Até então eu era uma jornalista desconhecida e este espaço servia mais como uma válvula de escape, onde poderia expor minhas conquistas e frustrações.

Quem acompanha o Blog Mulherão desde o início deve se lembrar de um texto que fiz sobre o dia em que tomei Xenical (clique aqui e leia). Quer mais exposição do que aquela? Dizer que tomei um remédio que me fazia soltar puns cor de laranja, repletos de gordura? Rsrsrs… Nojento? Não, realidade! Experiências minhas, que transformei em nossas, ao dividir com vocês. Passagens de minha vida que, para alguns, pouca importância tem, mas para outras pessoas podem representar um diferencial, como um conselho, uma sugestão, um alerta ou um incentivo.

Com o tempo, esse excesso de exposição começou a interferir em minha vida pessoal. Da mesma forma que existem leitoras fieis que admiram meu trabalho, também existem algumas pessoas, sem luz própria, que ao invés de buscarem sua própria felicidade, passam o dia tomando coca e comendo fandangos enquanto reunem na internet argumentos para atacar outras pessoas (sabe aquela história de que, não conseguindo erguer seu acstelo, derrube o castelo alheio?). Eu queria me prevenir dessas perseguições e, aos poucos, parei de postar coisas sobre minha vida pessoal. Continuei com naturalidade falando sobre o que achava sobre os últimos modelitos da estação, mas não omitia opinião sobre mais nada diferente disso. Ou seja, passei a fazer o Blog Mulherão pensando nas pessoas que não gostavam de mim e não queriam o meu bem, quando na verdade deveria ser o contrário. E o Mulherão – Manual de sobrevivência para mulheres acima do peso, acabou virando apenas um guia de moda (ah, não ser pelos conselhos maravilhosos de nossa Keka Demétrio e as crônicas de nosso Edu Soares). Nada contra a moda, já que também vivo dela e ninguém consegue ser feliz sem se sentir bonito. Mas eu sou um mulherão com todas as letras e com todas as neuras que Deus permitiu existir. E se um dia fiquei famosa nesse mundinho GG, não foi fazendo média e fingindo ser a perfeitinha (porque de perfeita não tenho nada!).

Vou voltar a opinar sobre tudo aqui no Blog Mulherão. Não sou a sabe-tudo, mas sou a posso – tudo.  Antes de ser blogueira, já era escritora. E antes de ser escritora, já era mulher. E é essa mulher que vai pintar por aqui, mais vezes.

Me aguardem!

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES