1 de Março de 2012 06:25

Por Eduardo Soares

Notaram como tem gente que se transforma (para pior) quando determinada religião/doutrina é abraçada com fervor? Tal mudança negativa soa como paradoxo, afinal de contas em tese a conversão sugere uma (inédita) vida harmoniosa e, por isso, feliz. Certamente você deve conhecer vários casos onde a pessoa era feliz e alegre antes do batismo mas, sabe-se lá o que aconteceu no meio do caminho, a mesma figura torna-se reclusa depois da “nova vida”. A questão não é a escolha feita, qualquer um de nós pode simpatizar com a religião que achar melhor.  Tem gente até que não frequenta igreja e mesmo assim acredita verdadeiramente em Deus mais do que muito religioso “repetidor de Amém”  por aí. Como disse antes, a questão não envolve a escolha e sim o fanatismo. Tem coisa mais insana que as famigeradas Guerras Santas? Tem coisa mais estúpida do que o sujeito bomba-humana que sacrifica sua vida (e de vários que nada tem a ver com a situação) em nome das quarentas virgens no céu?

Será que essa gente não percebe que Deus não usa uma camisa branca de seda com a expressão “I LOVE FANATISMO” em letras garrafais?

*******

Notaram como tem gente que consegue ser mais falsa que a risada da Val Marchiori (cultura inútil: o melhor programa de humor escrachado do momento é o tal Mulheres Ricas)? Ao conversar com uma amiga de trabalho recém demitida, ficou nítido o jogo de cena que algum fazem para manter uma possível imagem de “pode confiar em mim, sempre estarei do seu lado”. A amiga em questão estava ausente do trabalho desde novembro passado e por isso sua demissão era certa (tão certa que foi alvo de um papo nosso ocorrido em dezembro). Ao retornar para o trabalho na semana passada, eis que a moça ouviu isso: Menina! Que surpresa te ver por aqui!! Como você está linda!!

Falsidade n° 1: não, ela não está linda pois acabou de sair do hospital onde ficou internada por duas semanas, entre a vida e a morte. Nem a beleza irretocável da Carla Gugino ou Drew Barrymore resistiria a um longo processo de recuperação pós-hospitalar;

 Falsidade n° 2: a frase dita beira o absurdo ainda mais quando vem da chefe de DP/RH. Pombas, “que surpresa te ver por aqui” foi dito pela pessoa que digitou o aviso prévio!

Dissimulação é uma das maiores doenças do nosso ego. Para concluir, a chefe desavisada ainda queria ganhar um abraço da demitida. Judas atualizado é assim: trocou o beijo no rosto por outros gestos.

*******

Notaram como tem gente desconfiada desde o nascimento? Esse tipo procura provas/certezas o tempo todo. Mas o que eles fariam se encontrassem?

*******

Notaram como tem gente que vive a rasgar elogios para você, 24 horas por dia, sete dias na semana? Sinceramente, esse paparico moral em excesso te faz bem? Você nunca estranha isso?

*******

Notaram como tem gente que confunde persistência com insistência? Aliás, esse será o tema exclusivo das nossas prosas futuras.

*******

Notaram como tem uma cambada de ricaços em depressão enquanto o sujeito da periferia vive a sorrir com o pouco que tem? Confesso que não entendo ambos: se o dinheiro facilita a vida, como pode a madame/grã-fino torrar a grana no psiquiatra por causa de “vazios da alma”? Em contrapartida, de onde vem (e pra onde vai) tanta felicidade suburbana?

*******

Notaram como tem gente que usa pesos e medidas diferentes? O coroa setentão a desfilar com a mulher de vinte e poucos é visto como velho safado, inseguro, isento de auto-afirmação (falamos sobre isso no post da semana passada). Por qual motivo raramente/ou não usamos a mesma definição quando vemos a senhora de 60 a namorar o estudante de vinte? Observem que a diferença de idade nos casos citados é a mesma (quarenta anos), mesmo assim o olhar crítico da maioria muda de acordo com o sexo do alvo. Temos exemplos de dois famosos solteirões convictos: por que criticamos as escolhas sentimentais etárias de um Antônio Fagundes da vida e aplaudimos a “iniciativa” da Marília Gabriela ao assumir seus bebês-namorados-bibelôs? Será que o ator e a apresentadora estariam à procura da tal auto-afirmação camuflada através das escolhas sentimentais,que nada mais seriam que distintos gestos de auto-ilusão quanto a velhice inadiável que caminha a passos lentos para todos nós, famosos ou não? Tradução: estou ficando velho(a), preciso disfarçar, fingir que os anos não estão passando! Hmmm…já sei! Tem coisa melhor que namorar com metade da minha idade?

Já diria Zélia Duncan: é difícil conjugar a vida…

  • Levi

    Perdoe-me, minha colega, afranqueza, mas acho que acordastes com o pé equredo e externastes vossa visão perconceituosa em searas que não dominas.
    Por favor, reveja vossos conceitos equivocados sobre as prefer~encias pessoais de outrém.
    Permanecer recluso e taciturno é opção. Budistas, Sacerdoces católicos, dentre outros, vivem enclausurados, no entanto, não significa estarem deprimidos.
    Personalidaes são como silhueta: cada um tem a sua.
    Creio que devas procurar um analista ou um editor.

    • Carla

      Isso mesmo Levi,achei que só eu tinha essa opinião!!!
      ei que quando se trata de religião,tudo vira polêmica,mais no começo desse post,é muito preconceituoso e julgador!
      Coisas que não deveria acontecer em um blog que se trata de Mulherões!

  • Edu Soares

    Correção: Hmmm…já sei! Tem coisa melhor que namorar alguém com metade da minha idade?

    Desculpem a nossa falha.

  • Eu gostei muito do texto,não sigo nenhuma religião,mais tá sendo muito criticado a religião no começo dele,peraí quem somos nós pra acharmos que a vida de quem abraçou a religião é reclusa?!
    Notaram como tem gente que pré julga a vida alheia!

    De resto,ótimo texto,ótimas palavras.

  • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk….. É ISSO AÍ…SOCA A CARA DESSA RALÉ!!!!!

  • Ou melhor: é isso aí EDU… Texto maravilhoso. Pra além do conteudo (adoroooo), uma paisagem em letras. Concordancia e forma, vc escreve divinamente na minha opinião. GOSTO DE GENTE ASSIM, QUE FALA O QUE PENSA E BOTA PRA QUEBRAR, DOA A QUEM DOER. E “paw” neles!!!! rsrs

  • Paula Regina

    Gostei muito do texto, Edu!

    Crônica que ao ler pode parecer uma coisa, mas, com maior afinco e criticidade, percebemos nuances outras. Pelo menos eu entendi assim…

    E concordo contigo, conheço amigos que se modificaram devido a religiosidade. Não gosto de xiitismo, fundamentalismo e fanatismo sejam esses em que religião for.
    Eu gosto é ter amigos bacanas, elegantes, educados e do bem e a religião desses pouco me importa ter ciência.

  • Concordo contigo Edu!

    É um saco ver um bando de gente hipócrita que senta em cima do própio rabo e fala do rabo dos outros.
    Julga, humilha, destrata em nome de Deus, isso ou aquilo é errado e blá blá blá. Bando de gente falsa sem coração.
    Quanto a diferença de idade entre namorados nem tenho oq dizer, cada caso é um caso e nem cabe a mim julgar…

    Bjoss

  • LuuhOlivier

    Não eu não gostei do texto, mas concordo que Deus não ama o fanatismo. Sou evangélica, e tudo o que mudei foi o fato de não enfiar o pé na jaca todo fim de semana. Coisa que todo ser humano devia fazer não por causa da religião, mas sim pelo fato de que o alcool não é bom, vicia, te faz gastar dinheiro á toa, promove acidentes, e acaba com milhares de famílias. Não esquecendo que a cerveja, cachaça, vodka e etc…são um caminho bem largo e curto para as drogas. Não falo mais palavroes como antes, nãoi perco minha noite em lugares que só facilitam de eu ser assaltada ou extrupada, ee sim me preocupo mais com o que eu visto, com quem ando. Sou mais feliz, pq minha felicidade não depende de mim e sim de quem me criou, por isso ja estou com marquinhas de alegria no rosto, sou pobre, passo sim por dificuldades, mas nescessidades nunca, pois Deus me sustenta. E te digo, o motivo de ter varios ricos, tristes, depressivos, é pq eles tem mto pra gastar mas não tem uma experiencia verdadeira com Deus. Eu quero concertar o meu comentário de ser pobre. Pois pobre é aquele ser infeliz, sem amor verdadeiro, sem amigos verdadeiros, e que pensam como você. Realmente não sou pobre. Outra coisa que vc não entende são os elogios, bem, todo o ser que merece ganha elogios, por beleza, ou por um bom trabalho, ou por ser diferente de vc…
    Não é estranho, e não faz ser exageradamente elogiado. Mas vc não compreende pq vc não deve ter feito nada na sua vida que mereceu ou que mereça elogios. Mas não esquenta, um dia qnd vc conhecer quem te criou, vc vai entender um pouco mais dessas coisas que vc escreveu, (inédita) vida harmoniosa. E o sujeito que ficou esquisito após o batismo, pode saber que ele mesmo em alguma parte da vida nova dele, ele errou e esta se sentindo culpado, ou fracassado, isso por falta de diálogo, ou por falta de ter verdadeiramente intimidade com o pai que criou ele, pois Deus não castiga ninguem, vc só colhe o que plantou, Deus não manda ninguem pro inferno, vc se joga nele por que quer. Esse ser que ficou diferente apos o batismo deve procurar um pastor ou nem precisa, basta ele entrar no seu quarto e bater um papo com Deus. As coisas com Deus a vida, a conversa com Ele é muito diferente que sua cabecinha pensa. 🙂
    Renove sua Mente

    • Faço minhas palavras as suas, adorei seu texto, acho que falou tudo aqui!!

  • Eu não me lembro de ter lido algum texto do Edu e não ter gostado,mas confesso que também achei que ele foi infeliz nesse texto, ainda mais num blog que luta contra preconceito, achei preconceituoso quando falou sobre religião, quando falou também dos ricos que sofrem de depressão, no meu ponto de vista, religião não é um assunto para discutir,porque sempre acaba em polemica,cada um tem sua crença e temos que respeitar a maneira que cada um lida com ela.Religião é igual futebol e politica, se discute discute, e cada um tem sua visão, nunca se chega num acordo.

    Quanto ao ricos que sofrem de depressão, essa doença não escolhe classe social para acometer, a unica coisa é que os ricos tem dinheiro para pagar consultas caríssimas e medicamentos mais caros ainda, eu sou pobre e infelizmente sofro com síndrome do panico e confesso que o sus não dá condição para fazer um tratamento bom,por isso eu gasto por mês mais de 300 reais com medicação e isso me causa um grande aperto financeiro,já que sou casada com um portador de deficiência física e ele também necessita der tratamento hidroterápico,entre outras coisas, se eu fosse rica não teria problema para fazer um tratamento com mais dignidade, então ser rico e depressivo não é um problema tão grande assim.
    Sem contar, que a depressão é uma doença que acomete nosso lado espiritual e emocional / físico.O Espiritual ( que é a doença da alma) só é sanado quando buscamos Jesus,somente Ele para curar nossa alma…e o medico para nós ajudar a curar nosso lado físico ou emocional.
    Infelizmente eu como leitora do blog desde 2009, tenho que postar minha opinião sincera e verdadeira! Embora, não podemos te condenar Edu,porque errar é humano e eu entendo que nas suas outras postagem você foi muito feliz, embora, estou externando minha opinião não significa que não gosto dos seus textos, infelizmente todos nós temos momentos que não somos tão felizes.

    Quero deixar aqui meus Parabéns pela suas outras postagem! e dizer vou continuar acompanhando suas postagens.

    um grande beijo,

    Sucesso

  • Achei interessante como as pessoas vestem a carapuça… li e reli o texto e nem precisava… o Edu foi bem claro ao iniciar cada frase com “TEM GENTE QUE…” o que não seria necessário explicar que NÃO se trata de generalização, não existe regra absoluta no mundo e foi só isso que ele quis demonstrar. O problema que a medida do preconceito e da discriminação está nos próprios olhos de quem vê/lê.
    Entre o veneno e o remédio a diferença é a quantidade/intensidade.
    “Não gostar de um texto” também não da o direito de ninguém ser ofensivo, se você mudou pra melhor é mais um motivo para saber se conter e medir.
    O blog não é apenas para falar sobre mulherões mas suscitar questionamentos acerca de preconceitos e é interessante notar como as pessoas já estão definitivamente condicionadas a encontrar preconceito e discriminação em qualquer lugar…..

  • Denise

    Faco minhas as palavras de Luuh Olivier concordo plenamente e sinceramente acho que vc esta precisando ter um encontro verdadeiro com Deus e so entao vai compreender como ficamos muito mais feliz quando nos batizamos, Concordo que tem pessoas que ezageram quando se convertem a determinada religiao e tenho certeza que Deus nao se agrada das atitudes de pessoas que matam o proximo e dizem que e em nome de Deus.Deus nos deu um mandamento ” nao mataras” e “ame o teu proximo como a ti mesmo”, As pessoas sao livres pra fazerem o que quiserem mas depois vao ter que prestar contas com Deus. Inclusive voce. espero que reveja suas opinioes. um abraco.