13 de março de 2012 08:08 comportamento

Você nem sabe o que fala

Por Keka Demétrio

Com o tempo a gente vai aprendendo a dominar os instintos, os impulsos e até mesmo o coração. Você descobre que mesmo que exista a pessoa certa para a sua vida ela pode não ser a pessoa da sua vida, então aprende a adormecer aquele sonho e parte em busca de outros que a vida vai te apresentando.

No começo parece coisa complicada e o habito de alimentar dores de amor acaba nos prendendo no fim de um ciclo e emperrando o início de outro. Então a gente sofre. E não importa a intensidade, dor de amor é a mais arrasadora. Algumas vezes somatiza no físico e nos coloca de cama. Já vi amigas definhando, literalmente, pela dor de amor. Depois deste primeiro momento, o amor próprio é matéria prima essencial para começar a reerguer-se.

Você tem que começar a transformar aquela raiva de ser preterida em algo positivo. Ao invés de gastar energia chorando e se sentindo vítima, pega esse orgulho ferido e use-o a seu favor. Alimente-o e mande tudo às favas, inclusive essa autopiedade e o dito cujo. Olhe para si mesma e se lembre que não foi a primeira vez que imaginou que iria dar certo e deu tudo, absolutamente tudo errado, e que não foi a única vez que se sentiu ridícula ao lembrar que ficava lendo e relendo as mensagens e e-mails trocados com o gato nos áureos tempos em que jogavam o jogo da sedução. Mas lembre-se também que passou, tudo passou. A dor, as lágrimas, a tristeza, o abatimento, a vontade de ficar jogado na cama até o mundo acabar, tudo isso passou, e mais rápido que poderia supor. E você mais uma vez se reergueu, mais uma vez percebeu que era maior e melhor do que fora outro dia. Acordou de novo para a vida de forma mais harmoniosa, mais segura, mais dona de si. Sim, as dores de amor também servem para nos mostrar o quanto devemos ser importantes e amar a nós mesmos.

E a vida é isso: a gente ri, chora, dá gargalhada, sente raiva, ciúmes, mágoa, quer que o mundo pare pra gente descer, depois quer ele gire mais rápido. O que não dá pra fazer é ficar esperando o amanhã, o quem sabe, o talvez. Não dá pra deixar pra viver depois o que a vida está te dando agora. Não dá para desperdiçar tempo, sentimento, emoção, enquanto um monte de gente não sabe ou não quer aprender a amar. Quanto àquele amor que você ainda credita ser o certo para a sua vida, o deixe guardadinho, quietinho, num lugar bem especial em seu coração, e não tenha dúvidas, se ele for o amor para a sua vida, na hora certa Deus vai colocar no seu caminho. Se não for, não fique triste, Deus sempre sabe o que faz e às vezes a gente não sabe nem o que fala.

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES