13 de outubro de 2009 00:12 Uncategorized

Até que o moletom nos separe…

Por Renata Poskus

Renata_Blog Mulherão 9Para as kamikazes do amor, posso citar um milhão de dicas de como acabar lentamente com o seu casamento. Não que você seja alguma masoquista nata, mas muita gente destrói a própria união sem perceber e com detalhes praticamente bizarros e teoricamente desprezíveis.

Falo de vícios, comportamentos e atitudes que incorporamos após o relacionamento atingir um nível de estabilidade considerado confortável e inabalável. Embora isso só exista mesmo no curioso, utópico e excêntrico país das maravilhas. Na vida real, tudo pode acabar. E quando chega neste nível, não há filho, pensão alimentícia ou cartas com ameaças suicidas que possam segurar uma relação.

Hoje, vou falar sobre um fator de risco comum na maioria dos casamentos, com alto poder brochativo e efeito lento, mas devastador: a calça de moletom.

Sim, porque você pode ser gordinha, mas não precisa ser esculachada!  Quando conhecemos nossos príncipes encantados, nos produzimos todas para eles. Se marcarem de nos pegar em casa às 19h, em um fim de semana, às 15h já começamos a nos arrumar. Depilação, creme no corpo, sobrancelha, maquiagem, cabelos arrumados e roupa impecável… Um verdadeiro ritual da beleza! Tudo perfeito, nos mínimos detalhes.

Aí chegam o casamento, os filhos e você já não usa mais as roupas bonitas e sensuais que usava no passado. Troca os belos vestidos, as calças justas e as blusas decotadas pela calça de moletom surrada e a camiseta de propaganda política do Mário Covas. E olha que o cara morreu no século passado!

Calça de moletom é melhor para brincar no chão com as crianças, para movimentar as pernas na hora da faxina. A camiseta serve perfeitamente para alvejar roupas sem medo e cozinhar sem temer que a gordura impregne no tecido.

Até aí tudo bem. Mas o que explica você continuar com este uniforme de guerrilheira tucana paraguaia até a hora do maridão chegar?

É justo para um homem se casar com uma princesinha e vê-la transformada em bruxa malvada? Sim, porque essa historinha de “ele me ama pelo que sou por dentro” é papo para boi dormir. O tesão é o que diferencia um casal de amigos de marido e mulher. A não ser que seu marido tenha sérios distúrbios sexuais, sentir desejo exacerbado mesmo te vendo largada, cheirando à mistura de gordura com água sanitária, com cabelos à la Valderrama, não é muito normal.

Se o seu marido fala que não liga em te ver de calça de moletom todos os dias é mentira dele, pura gentileza para não te magoar. Que homem que não quer uma mulher maravilhosa ao lado?

Você pode ser gordinha e maravilhosa. Agora, ser gordinha e relaxada é retroceder cinco encarnações na sua evolução espiritual. Não se mate! Resista, não coloque a culpa nos filhos, na faxina, no jantar, na falta de tempo… Simplesmente não use a maldita calça de moletom. E se usar, tome um banho e troque de roupa uma hora antes do horário habitual de seu marido chegar em casa.

Que marido não resiste à uma mulher perfumada e bem arrumada? Vista-se para você e, de quebra, impressione-o. Sua relação vai mudar. Afinal, é fácil reclamar que seu marido não te dá valor, mas que valor você dá a si mesma?

Jogue esta calça de moletom fora. E se não tiver uma roupa bonita para esperá-lo em casa, fique pelada. Ele vai preferir. Eu garanto!

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES