13 de outubro de 2012 03:16 comportamento

Por que ele não adivinha minhas necessidades?

Eu e meu noivo. Três anos e nada de adivinhações! rsrsrs

Por Renata Poskus Vaz

Ontem passei a madrugada toda no Netflix assistindo Teen Mom, um reality show da MTV dos EUA e que mostra os desafios de adolescentes que acabaram de ser mães. Uma delas tinha dificuldades tremendas de relacionamento com o namorado, pai de seu filho. Em uma das cenas, a garota preparava a casa para o aniversário de 1 aninho do bebê. O namorado, sentadão no sofá, não se habilitava a ajudá-la. Ela, nervosa, ao invés de pedir ajuda literalmente, bufava, batia o pé e fazia cara feia. Quando finalmente ela diz: “você não vai me ajudar mesmo, não é?” o namorado então se levanta e pergunta: “o que você quer que eu faça?”. Ela mais uma vez se enfurece enquanto ele continua insistindo para que ela passe as coordenadas, sem sucesso.

 Foi inevitável me colocar no lugar da adolescente. Isso já aconteceu muitas vezes em meus relacionamentos “adultos” e era algo que sempre me intrigava. “Por que ele não advinha minhas necessidades?”. Sempre me frustrei esperando que meus namorados adivinhassem o que eu queria ou precisava. Achava o cúmulo ter que pedir ajuda ou ter que explicar o porquê dele ter me desapontado em alguma coisa. Era comum fazer bico, às vezes ficava putadavida, rendia-me aos gritos, ao chororô e ficava repleta de mágoa, achando que estando ao meu lado, meu companheiro deveria perceber e se prontificar a me ajudar quando eu precisasse, ou então perceber que algo entre nós não estava bem. Eu pensava que se ele não percebia o porquê de eu estar brava com ele era porque não queria solucionar nossos problemas ou porque não gostava de mim o suficiente.

 Após muitas decepções e encenações (sim, nessas horas a gente vira a protagonista de um melodrama mexicano) para que percebessem minhas necessidades, entendi que não era descaso, preguiça ou falta de amor que eles tinham por mim. O motivo era apenas um: “coisa de homem”. Demorei anos para perceber que eles não têm a mesma sensibilidade que nós, mulheres, temos.  Homens são práticos e nada subjetivos. Eles não entendem sinais. Quando precisamos de algo ou temos algum problema ou reclamação devemos dizer, com todas as letras. Não adianta fazer bico, pois eles podem até perceber que algo está errado, vão parar para pensar e tentar adivinhar, mas dificilmente vão acertar o motivo correto do nosso descontentamento.

Certa vez, meu noivo esqueceu nosso aniversário de namoro. Eu já sabia que ele esqueceria. Primeiro porque terminamos nosso relacionamento e nos reconciliamos várias vezes e fica difícil guardar uma data nessas condições. Ele guardaria a data do dia em que ficamos pela primeira vez ou a de nossa última reconciliação? Depois, como exigir que ele guarde uma data, se ele já chegou a esquecer da data do próprio aniversário? Mesmo assim, fiz o teste. Não o lembrei. Ele me ligou várias vezes durante o dia e nem tocou no assunto. Conforme as horas passavam eu ia ficando mais impaciente, brava e concisa. Ele, óbvio, percebia a mudança nítida de humor e perguntava o que estava acontecendo, se havia algum problema. Eu me limitava a dizer: “nada, não está acontecendo nada”. Meu noivo se desdobrava para descobrir o que estava rolando. Chegou em casa, me abraçou, me beijou e percebendo que eu estava mal humorada, pegou o kimono e cogitou ir para o karatê. Foi quando comecei a chorar e falar: “você não gosta de mim, não lembrou que hoje é o nosso aniversário”. O mais engraçado é que ao reconhecer seu erro e pedir desculpas, ele se propôs a corrigir a falha de memória e me levar para jantar. E é claro que para fechar o desentendimento com chave de ouro, eu disse que não queria mais. Rsrsrs

Ok, você, leitora, deve estar rindo agora, mas certamente já cometeu alguma pirraça desnecessária dessas. Hoje, vejo com outros olhos essa postura do meu noivo e reavalio minha forma de reagir à ela. Se fosse hoje, eu logo o lembraria com dias de antecedência. Deixo claro o que é importante para mim, o que eu gostaria que ele fizesse por mim ou por nós. Tudo flui mais fácil dessa maneira.

Eu pensava que ser objetiva, sincera e direta acabaria com o romantismo em nosso relacionamento. Afinal, nós, mulheres, nos sentimos especiais com surpresas ou quando eles advinham nossos pensamentos. Porém, o romantismo não diminui. Eles se sentem seguros quando dizemos o que gostamos, queremos ou deixamos de querer e, com isso, passam a ousar mais nos surpreendendo e se preocupando com pequenos detalhes para os quais antes não se atentavam.

 Antes de ontem, meu noivo foi me buscar com um buquê de rosas. Achei lindo. Não era nosso aniversário de namoro e nenhuma comemoração especial, mas ele me surpreendeu e me encheu de carinho. Viu? Milagres acontecem! rsrsrs

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES