24 de abril de 2013 00:41 Uncategorized

Fluvia Lacerda aparece mais magra em fotografia e deixa algumas fãs revoltosas

Por Renata Poskus Vaz

“Ok, ok, eu aumento, mas não invento”, hoje vou me inspirar em Nelson Rubens, o fofoqueiro das telinhas, e trazer uma fofoca sobre a nossa diva plus size Fluvia Lacerda. Em sua Fan Page, Fluvia divulgou uma foto em que aparece mais magra e super sensual: jeans apertadinho, jaqueta e um pequeno top.

A barriga de Fluvia, com certeza, é o que mais chama atenção na foto. Está longe de ser uma barriga negativa, dessas que algumas celebridades ostentam por meio de fotos em suas redes sociais. Também não é uma barriga tanquinho. É a barriga dos sonhos, com uma dobrinha na lateral aqui, outra ali, mas sem um volume exagerado. Sonho de qualquer mulher plus size!

Fluvia Lacerda magra

 

Após publicar a foto em sua Fan Page, muitas fãs elogiaram o novo corpo da modelo, enquanto outras se mostraram decepcionadas, como se a diva estivesse deixando de ser plus e, consequentemente, uma referência e contrariando tudo o que defendeu há anos. Comentários chateados também podem ser lidos em nossa Fan Page, no compartilhamento dessa foto (veja aqui)

Dias depois, Fluvia publicou um comunicado em sua Fan page. Não citou diretamente a indignação das fãs com relação àquela foto, porém, para bom entendedor, meia palavra basta.  Seguem trechos do comunicado, que pode ser lido na íntegra aqui:

“… jamais apoiei o sedentarismo, já que eu mesma não vivo dessa forma. (…)  assim como não sou a favor dessa obsessão absurda em favor a magreza, também não sou a favor da obesidade. (…) Sei que em pelo ano de 2013 não é preciso destacar a importância de uma vida ativa e que escolhas mais saudáveis na alimentação são essenciais, pois hoje todos temos acesso a todas essas informações de forma ampla.  É preciso explicar que uma modelo plus size também precisa manter suas medidas. (… ) Amo minhas curvas e tento cuidar do meu corpo com muito zelo, afinal só tenho ele! Assim como nunca fui presa a dieta alguma em busca de emagrecer também jamais me ancorei numa alimentação com escolhas que possam danificar minha saúde. Se subo ou desço de peso, não sei. Mas garanto que minha saúde é minha prioridade e movimentar o corpo é algo de extrema importância pra mim. Se o jeans tamanho 48 cabe, o que ainda é o caso, eu tô feliz!

Jamais critiquei uma mulher por sua aparência física, na verdade LUTO arduamente contra isso. Acho que o termo “mulher real” jamais deveria ser usado, pois toda mulher É REAL, independentemente do seu biotipo. Isolar alguém, apontando justamente sua aparência, cor da pele, opção sexual ou classe social em busca de denegri-la é justamente algo que sempre fui extremamente contra. Assim como já sofri preconceito por ser gordinha, uma mulher que é naturalmente magra não merece criticas com relação a sua aparência. Não é justo, e eu não sou a favor.  Sou a favor de que sejamos felizes embaixo de nossa própria pele. Que sejamos felizes com saúde, física e também emocional, psicológica.  (…) 

Vamos focalizar também em batalhar em prol de um mercado de moda mais democrático, onde todas tenhamos opções diversas para se vestir bem. Vamos batalhar em prol de perpetuar uma independência de pensamento onde todas aprendam a se amar, sejamos altas, baixas, ruivas, negras, asiáticas, cabelo liso, crespo ou encaracolado … Que aprendamos a nos amar independente do que a mídia nos impõe acreditar ser certo ou errado. 

Desejo a todas muita SAUDE, muitas alegrias, muito orgulho em ser VOCÊ MESMA.”

A Fluvia, de certa forma, lavou a minha alma. Digo isso porque criei o Blog Mulherão em uma época em que ninguém tinha coragem de se autointitular “plus size” e, de certa forma, colaborei em divulgar a moda plus size no Brasil. Na época, tinha 72 Kg e usava manequim 44 e até hoje, mesmo tendo engordado quase 20 Kg, continuo escutando que sou indigna de defender a democratização da moda plus size no Brasil por ser “muito magra”. Senti na pele o que é não encontrar uma roupa 44 em loja tradicional (que  quando existem tem o tamanho de uma roupa 40) e é muito difícil escutar de alguém maior do que eu que existe roupa sim, que para mim é fácil. Não, não é.

É uma chatice ter que ficar me explicando por parecer mais magra do que minhas leitoras. Tenho que pedir desculpas por ter pernas finas e sem celulite, ou por não ter braços flácidos, ou por não ser gorda como gostariam que eu fosse.

Imagino como Fluvia se sente. Embora tenha negado, acho que Fluvia emagreceu sim. Colocando meu espírito Nelson Rubens em exercício, posso garantir que quando dizia que usava manequim 48, na verdade, ela usava um manequim maior. Hoje ela parece estar mais magra usando finalmente o manequim 48. Mas continua sendo uma mulher plus size, com medidas generosas, muitas curvas e mesmo que ela estivesse usando 44, o que mudaria?

Uma modelo plus size é como qualquer outro ser humano. Tem o direito de, quando sentir seu calo apertando, emagrecer, engordar, se exercitar, etc. Trabalho ela sempre terá, usando 50, 48, 44… Ou até 40, 38, como Crystal Renn, que emagreceu e voltou a ser modelo tradicional.

O que as garotas plus size precisam entender é que ninguém assinou contrato para ser gorda, que emagrecer com saúde é natural e que uma pessoa pode emagrecer e continuar achando válida a ideia da democratização da moda e o respeito às diferenças.

Sinceramente, acho que está faltando respeito entre nós. Vocês concordam?

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES