6 de julho de 2009 13:26 Beleza

Leitora do Blog Mulherão fala sobre o prazer de se sentir mulher

Gisele Leal, 32 anos, revela segredos para não deixar a auto-estima cair

gisele 3

“Meninas, vou falar uma coisa: auto-estima é uma coisa de louco! Baixa ou alta, é um ciclo repetitivo.

Se estivermos com a auto-estima alta, nos sentimos lindas, nos arrumamos, nos perfumamos, fazemos maquiagem, e ficamos com a auto-estima melhor ainda. Em compensação, naqueles dias em que acordamos e levamos um susto ao nos depararmos com o espelho, nos sentimos péssimas. Resultado: mal penteamos o cabelo. Pegamos a primeira roupa que vemos pela frente. Perfume e maquiagem? Pra que? E aí, ficamos nos sentindo pior ainda. Parece que estamos 10 kg mais gordas do que no dia anterior.

Não tem nada mais poderoso para derrubar uma auto-estima do que roupa apertada. Então meninas, sem essa de guardar aquela calça jeans pensando que vai usá-la novamente quando emagrecer. Não! Livrem-se de todas as suas roupas apertadas (tem muita gente por aí que vai adorar ganhar essas roupas que estão paradas no seu armário). Roupa apertada destaca os pneuzinhos e reforça a baixa auto-estima, enquanto uma roupa do tamanho certo acentua as curvas e nos faz sentir como deusas. Não estou dizendo que não podemos usar roupas de modelagem sequinha ou justa. Podemos sim, compor o visual com peças de modelagem justa – mas no tamanho certo! 

Outro vilão no armário é o sutiã! Tenho uma dificuldade enorme em encontrar um sutiã legal, porque meus seios são pequenos e minhas costas são grandes. O que acontece é que o sutiã pequeno aperta as costas e deixa o caimento da roupa comprometido (eu particularmente fico me sentindo aquele boneco do Michelan – cheia de dobras). No final de semana passado, estive em uma loja de lingerie (aqui onde moro não conheço nenhuma loja de lingeries que ofereça tamanhos especiais), e encontrei um sutiã da Liz que é maravilhoso (Liz Fit Sense – http://www.liz.com.br/fitsense/pt/). Ele tem as laterais mais largas e reforçadas e as costas também, além do bojo menor (como se fosse um bojo 44 e as costas 46). O resultado foi maravilhoso, pois modelou e reduziu o meu tórax (e eu no meu otimismo acredito que vá melhorar a deformação que o uso de sutiã errado causou. Vamos ver, depois conto para vocês).

Voltando ao ciclo repetitivo que é a auto-estima, cheguei a essa conclusão há pouco tempo. Todas nós uma vez ou outra, acordamos com o pé esquerdo, nos sentindo a pior das mortais. Quando isso acontece, faço um tratamento de beleza expresso em casa mesmo.

Encaro um banho daqueles (com direito a esfoliante corporal), limpo bem a pele do rosto (adoro o sabonete gel da linha Faces da Natura) e me perfumo toda. Se a sobrancelha está deixando minha expressão pesada, já dou uma limpada na sobrancelha durante o banho (é isso mesmo, coloquei um espelho dentro do box!). Saio do banho abuso do hidratante – Atenção meninas, ou hidratante perfumado ou perfume – nunca misturem os dois, pois o resultado pode ser um desastre! – Ponho uma roupa decotada, um salto alto, seco o cabelo e faço uma maquiagem básica: corretivo nas orelhas, rímel preto e batom cor de boca. Um brinco, básico, ou não, para finalizar a produção e… Pronto! Fico me sentindo outra.

Não tem como falhar. Tentem, vocês verão como funciona. Os elogios já começam quando saio do quarto. Meu marido elogia, minha filha diz que estou linda e quando chego no trabalho também ouço elogios!

Nesta altura já estou me sentindo a mulher mais linda do mundo. E nem me lembro que estou com mais de 20 kg acima do peso, pois quebrei o ciclo vicioso da baixa auto-estima e iniciei um novo ciclo: o virtuoso.

Cabe apenas a nós iniciar todas as manhãs um o ciclo virtuoso da auto-estima. É uma opção que podemos e devemos fazer todos os dias: viver o prazer de se sentir um mulherão! “

 

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES