3 de janeiro de 2014 02:13 comportamento

As mal comidas x as mal casadas

Por Renata Poskus Vaz

Outro dia li um texto pela net, em que uma mulher defendia que preferia ser solteira do que casar com qualquer um só para dizer que não ficou para titia. Aquilo me intrigou, porque é óbvio que é preferível ser solteira do que casar com um “zero a esquerda”, mas há a possibilidade também de conhecer um “zero à direita”.

Nem todo mundo que casa cedo, ou com um cara que conhece a pouco tempo, fez um péssimo casamento. Conheço muitos casos de casais que tinham tudo para dar errado, por divergência de comportamento, pouca convivência e até mesmo um casamento celebrado às pressas por causa de uma gravidez não desejada, porém, estão aí, firmes, fortes e apaixonados.

O casamento pode ser maravilhoso, cheio de bossa e iê iê iê. Nunca casei, mas tenho fé, escuto testemunhos de pessoas próximas.

Por outro lado, também não é difícil encontrar senhoras casadas chamando solteiras de “mal comidas”, como se o fato de uma aliança no dedo garantisse uma vida sexual ativa para alguém. Eu sempre me pergunto isso. Como pode uma mulher que se diz bem casada, com filhos, perder tempo ofendendo solteiras por aí? Será que ela é bem casada de verdade? Algumas dessas casadas agem como se fossem seres superiores por terem um marido e acham as solteiras menos mulheres por não terem conseguido ainda um marido, ou simplesmente por terem optado em viver na solteirice.

Se fôssemos resumir nossa existência ao sexo, de fato teríamos 3 tipos de solteironas:

  • As que não transam porque não querem (sim existem as celibatárias!), ou porque não conseguem um parceiro que consideram à sua altura;
  • As que são mal comidas (sim, porque ninguém transa sozinha, e na solteirice você nunca sabe se o gato com quem vai começar a se relacionar, é um fusquinha ou uma ferrari e nem sempre vocês tem como chegar à um entendimento na cama, se o envolvimento é passageiro);
  • As bem comidas aquelas que tem um namorado, parceiros fixos ou eventuais e que transam de vez em quando, ou muitas vezes, várias vezes… Ui

E ainda há uma quarta solteira, a que consegue ser não comida, mal comida e muito bem comida… Tudo junto, porque a vida é uma caixinha de surpresas. 😉

Ah, e tenho um segredo. Existem também 3 tipos de casadas, quando nos referimos a sexo. E quer saber de uma coisa? Ela também pode ser mal comida, bem comida ou nunca ser comida. Ou tudo isso junto! E as que saem causando contra as solteiras, quase sempre transam uma vez por ano e ainda engravidam neste único e santo dia de bimbadinha e ainda ficam felizes, porque podem continuar fingindo ter uma vida sexual ativa e fazendo piadas com as solteiras (Beijo no ombro, Rê).

 Enfim, o que eu queria mostrar é que vocês, mulheres, são muito machistas consigo mesmas.  Madre Teresa de Calcutá não era casada, nem trepava e ainda assim era muito mais evoluída do que eu e vocês juntas. Ou seja, o que te define como ser humano não é quantas bimbadas por dia você dá ou se não dá, se tem um boy fixo, um amante, um boy que te enfiou uma aliança no dedo e te chama de “minha fêmea” , ou se você tem uma mulher, ou se tem vários parceiros ou se não tem ninguém.

Cuide menos da vida da pepeca alheia e cuide mais do seu interior!

p.s: sei que usei umas palavras e expressões chulas que não costumamos usar neste blog. Mas é justamente assim que as solteiras e casadas andam se comportando por aí.

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES