13 de janeiro de 2014 10:17

Por Cíntia Rojo

Ines de la Fressange at Chanel SS12

Olá queridas,

Da última vez que escrevi sobre estilo o retorno foi muito bom (se você perdeu, leia aqui). Muitas amigas me disseram que aquelas perguntinhas simples, para descobrir o estilo pessoal, tinham ajudado muito nas compras (algumas até disseram “NÃO” para algo que não era a cara delas) ou naquela arrumação geral que o armário sempre pede no período exagerado de compras, entre o Natal e as liquidações de janeiro.

A meu ver, nenhuma época é mais propícia para auto-avaliação do que o Ano Novo e isso inclui estilo e imagem e pressupõe que avaliemos as roupas do armário com algumas questões: “essa roupa merece fazer parte desse recomeço?”, “que lembranças ela me traz? Quero conviver com essas lembranças?” ou – a mais importante de todas, na minha opinião – “essa roupa traduz minha personalidade? Essa roupa revela quem, de fato, sou?”.

Para dar mais uma ajudinha na minha organização de começo de ano, me espelhei em pessoas que admiro. Lembram-se que inspiração é mais importante do que ter peças da moda, não?! Depois que defini meu estilo, corri na internet pra pesquisar aquelas mulheres que sempre estão lindamente produzidas. Não olhei muitas fotos de tapete vermelho mas preferi aquelas fotos do dia-a-dia das celebs (obrigada, Paparazzi!). Comecei então a  agrupar as mulheres que estivessem com um estilo mais parecido, peguei o grupo com mais representantes e comecei a destrinchar no Google Images para ver como realmente essas mulheres se vestem. Daí cheguei na Inés de La Fressange, uma modelo francesa, de 54 anos, magérrima, que é autora de um livro sobre o estilo de vida parisiense (o livro é uma graça, um tanto esnobe como toda parisiense – palavras da própria Inés – mas é recheado de fotos inspiradoras).

Inés é muito alta por isso usa e abusa das sapatilhas e das sandálias rasteirinhas. Ela gosta de chapéus. Gosta de blusas sequinhas, ajustadas ao corpo, e cintos. A partir do estilo de Inés, faço adaptações como trocar o jeans de corte reto pelo corte flare (mais aberto na barra) para equilibrar minha figura (tenho quadris arredondados e o corte reto acentuaria essas curvas desproporcionalmente). A partir dessas dicas, ficou fácil manter ou descartar do armário aquelas peças que não traduzem quem sou.

“Mas, Cíntia, você se inspira numa magra para se vestir?” Bem, parto do princípio de que bom gosto e elegância independem do número do manequim, mas só para satisfazer os que discordam dessa opinião, gosto muito de Queen Latifah e Otavia Spencer, que se vestem muito bem em eventos oficiais sem a pompa do tapete vermelho.  É bacana achar alguém para te inspirar, especialmente naqueles dias em que você não tem idéia alguma de como se produzir. Mas se o seu gaurda-roupa já é fiel a seu estilo e personalidade, as coisas ficarão mais fáceis pois qualquer peça que você escolher mostrará ao mundo quem você realmente é.

(Foto: Inés de La Fressange para Chanel, via Google Images)