4 de agosto de 2014 03:57

renata poskus lingerie 2

Por Renata Poskus Vaz

Tem mulher que praticamente já nasce sensual. Eu não sou uma dessas. Cresci como uma garota magra e entrei na primeira fase adulta de minha vida com menos de 60 Kg. Alta, loira, magra, características que, modéstia à parte, muitas mulheres gostariam de ter. Menos eu. Eu era estranha, não curtia meu próprio corpo. Queria emagrecer, mudar, aumentar isso ou diminuir aquilo, em uma insatisfação comigo mesma que parecia não ter fim. Nessas, ser sensual parecia algo impossível. Pode ser que um ou outro me enxergasse sensual, mas eu não. Eu não me via assim. E ao não me ver assim, transmitia isso para as pessoas. Eu as repelia.

Engordei. No começo não queria. Lutei contra isso. Como podem ver, do alto dos meus quase 90 Kg, perdi a batalha. E nessa de aceitar a “derrota” e aprender a conviver com os quilos extras, fui redescobrindo um novo corpo e uma sensualidade que deliciosamente me transbordava.

Os quilos extras se alojaram nos lugares exatos:  maças do rosto mais salientes, seios fartos, um bumbum que não existia e finalmente resolveu aparecer.  As pernas ganharam contornos. Lá estava eu:  um mulherão! E ao me enxergar assim, despertei minha sensualidade. Eu me via bonita. E mulher bonita e bem-resolvida, independente do peso, é sensual.

Aprendi que o olhar, que não me emagrece e nem me engorda, é responsável pelo menos por 50% da nossa sensualidade. Uma mulher com olhar seguro se torna irresistível. Uma mulher que olha para si mesma com menos crítica e mais doçura, se torna mais sensual. A nossa sensualidade nos faz sorrir, conversar, observar, conquistar, sem esforço e sem medo. Mulher sensual se destaca. Mulher sensual nunca está sozinha.

Mulher sensual pode ter 50, 100 ou 150 Kg. É a sensualidade que conquista, não o corpo. O corpo é  apenas complemento.  😉