11 de setembro de 2014 15:07 Uncategorized

Dicas para ser uma empresária bem sucedida

renata poskus empresaria

Por Renata Poskus Vaz

Este texto é para você, amiga leitora que pensa em abrir seu próprio negócio.

Pensei bem antes de escrever este texto por dois motivos. O primeiro é porque eu soaria como arrogante ao me autointitular uma mulher bem-sucedida profissionalmente. Até aí, dane-se! Não posso me desculpar pelo insucesso alheio e tenho certeza que posso ajudar muitas muitas mulheres com meu depoimento. O segundo motivo é que fiquei com medo que me sequestrassem… hahaha… Então, deixo bem claro que ainda não atingi o último grau do sucesso profissional: o retorno financeiro esperado. Um dia eu chego lá! rsrsr

Vamos às dicas:

Saber identificar se você tem perfil empreendedor

Empreendedor nasce empreendedor. Tem gente que nasce para mandar e gente que nasce para obedecer. Todos são importantes, mas cabe a você decidir se tem essa veia de “patroa”. Você não precisa necessariamente ser uma pessoa “mandona”, mas precisa ter coragem, saber conversar com diversos tipos de pessoas e ser muito disciplinada. Também tem que ter fé. Pois haverá dias em que você terá muitas contas para pagar e nenhum dinheiro no bolso e terá que acreditar que momentos ruins existem e passam. Você não terá chefe para pedir socorro e tem que estar preparada para isso.

Desde pequena eu pensava em abrir um negócio próprio. Já quis ter uma escola infantil, uma casa de café colonial e depois uma agência de comunicação. E cá estou eu, hoje, com loja, evento, blog e um monte de trabalho que eu amo coordenar. Mas tudo isso só deu certo porque no fundo eu sempre tive certeza da minha competência.

Fazer escolhas não vantajosas para o presente, pensando no futuro

Para quem ainda não me conhece, sou formada em jornalismo e pós-graduada em marketing. Mas antes de me formar precisei ralar muito para pagar minha faculdade. Trabalho desde os 14 anos. Já fui assistente de classe em uma escola de método japonês de ensino, professora de ballet, recepcionista de eventos, secretária, babá, atriz, hostess em uma pizzaria e bancária. O trabalho no banco foi meu último emprego fora da área da comunicação. Apesar do salário generoso e dos inúmeros benefícios, eu sempre soube que não ficaria lá para sempre.

Mesmo assim, eu me dedicava muito. Fui uma excelente funcionária, diga-se de passagem. Sempre pensava que meus clientes poderiam ser parceiros profissionais no futuro e que eu precisava mostrar minhas potencialidades, mesmo fora da área que eu pretendia seguir.

No último semestre de faculdade, decidi deixar o banco para fazer estágio na minha área: jornalismo. Ganhava, na época, um salário de R$2500 e tinha apenas 23 anos. Larguei tudo para ganhar R$300 como estagiária de comunicação na Prefeitura de São Paulo. Não podia mais comprar roupas, viajar, passear com minhas amigas… Tudo mudou!

Eu não tive dúvidas em deixar meu emprego, mas depois, quando me vi sem dinheiro, criando dívidas, ralando feito uma condenada, é claro que senti arrependimento. E graças a Deus que não pude voltar atrás, porque no final deu tudo certo. Fiz a escolha correta! O conhecimento que obtive como estagiária e posteriormente como jornalista, assessora de imprensa, redatora, editora e roteirista foram essenciais para o sucesso do meu atual trabalho.

Você tem que abandonar a sua zona de conforto se quiser empreender e fazer sucesso!

Não desista

Diante das dificuldades você sempre vai querer desistir. Vai duvidar de si mesma milhares de vezes. Vai chorar. Vai querer voltar atrás. Então, pense em seu negócio como se fosse um filho. Você sempre sonhou com ele, desejou, concebeu, deu à luz e não pode em hipótese alguma deixá-lo morrer. Se fosse um filho seu doente, você desistiria dele? Nunca! Então, peça socorro, apoio, recue, avance, mas nunca desista!

Prepare-se para perder alguns amigos e fazer muitos inimigos

Quando você começa a empreender, deixa de sair e gastar como antes. Você sabe que neste mês tem dinheiro mas não terá garantia alguma de faturar no mês seguinte. Já não presente nas baladas como antes, verá seus amigos se afastando. Isso sem contar com aqueles que sentirão inveja da sua coragem e sucesso. No fundo, muitos gostariam de largar tudo e, sem garantias, correr atrás dos seus sonhos. Mas nem todo mundo tem coragem. E é a sua coragem, mais do que as suas próprias conquistas, que irão invejar.

Com o sucesso do seu trabalho, novos inimigos também surgirão. Gente talentosa vira seu concorrente, gente sem talento vira seu inimigo. Isso porque quem não tem talento sabe que só te derrubando é que conseguirão te superar. Não tema!

Sofri muito com isso. Ataques, fofocas e traições me atingiam com facilidade. Demorei a perceber que deveria me importar menos com o que falam. Vira e mexe, ainda vejo provocações na internet envolvendo o meu nome e o meu trabalho. Hoje consigo ler e rir. Não respondo. Me dá preguiça. Meu trabalho atingiu um nível de credibilidade e respeito que mesmo as fofocas e provocações colaboram para que ele se fortifique e seja valorizado.

Mas, calma! Novos amigos também surgirão. Fique atenta e aprenda a identificar as amizades sinceras.

Você não terá apoio para começar

No começo, ninguém vai querer te apoiar. Sua família, seus amigos e seu marido possivelmente vão te desaconselhar a largar a estabilidade do seu emprego para abrir seu próprio negócio. Vão te chamar de louca, folgada… Acredite em você e em mais ninguém. Não espere ajuda neste início e não se frustre. Abstraia.

Você não vai ganhar dinheiro fácil

Um negócio leva quase 3 anos para estabilizar e começar a dar algum lucro. Já vi muitas mulheres montando negócios e fechando em um ano, porque não tiveram paciência de esperar esse processo. Negócio próprio é como uma horta, você tem que investir, regar, cuidar e esperar por anos para dar frutos. Você tem que estar disposta a viver com pouco dinheiro e sempre reinvestir o que ganhar, para seu trabalho prosperar. Também perderá dinheiro. Isso é inevitável. Mas tenha fé.  Lembre-se sempre que não existem ideias ruins, o que existe são empreendedores impacientes ou que desistem fácil das coisas.

Você será muito feliz!

Você trabalhará 18 horas por dia, fará inimigos, pensará que está ficando louca, cogitará desistir, vai ganhar muito dinheiro em um dia, nada no outro, mas mesmo com tudo isso, será muito feliz. Não há nada mais gratificante do que traçar metas e executá-las com sucesso. Ver que está se matando, se sacrificando, mas por seu próprio negócio e não o de alguém que é indiferente contigo. No final, tudo terá valido a pena.

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES