17 de novembro de 2009 14:07 Saúde

Obesas grávidas: gestação de risco?

Saiba o que fazer para ter uma gestação tranquila e saudável

Por Renata Poskus Vaz

Mesmo a mais saudável das gordinhas, na gestação, pode ter sérias complicações de saúde e colocar em risco a vida do bebê e a sua própria vida. Por isso, todo cuidado é pouco e o acompanhamento médico é essencial. Se possível, a gravidez deve ser planejada para aumentar a segurança, saúde e tranquilidade da mãe e do bebê.

De acordo com o Dr. Cesar Eduardo Fernandes, ginecologista,obstetra e professor da Faculdade de Medicina do ABC, a mulher obesa corre mais riscos de intercorrências médicas do que uma mulher com o peso normal. Isso inclui maiores índices de hipertensão arterial, pré-eclampsia (que pode causar a morte do bebê e/ou da própria mãe), diabetes gestacional, retardo do crescimento intra-uterino com nascimento de recém-nascidos abaixo do peso, além de risco maior de prematuridade. Filhos de obesas não são mais gordinhos do que os das gestantes magras. Isso é um mito. Durante a gestação, as obesas podem sofrer deficiências placentárias, ou seja, os nutrientes não chegam até o feto e, por isso, ele nasce menor.

Emagrecendo na gravidez

O ideal é que a mulher que deseje engravidar consulte um médico antes e perca peso para sair da obesidade, propiciando a facilidade de ovulação (sim, pois as gordinhas têm mais dificuldades de ovular do que as magrinhas).  Entretanto, todas nós sabemos que nem sempre a gravidez é programada. Então, o que fazer quando se descobre que já está grávida? É simples, emagrecer durante a gestação.

Sim, Dr. Cesar afirma que grávidas podem controlar a alimentação e até perder peso durante a gravidez, sem riscos.

Então, nada de se acomodar e engordar mais 30 Kg com a desculpa que está grávida e que não pode deixar faltar comida para o seu bebê. O estoque de comida dele já está armazenado em você há muito tempo. Seja responsável, cuide do seu filho e da sua saúde.

Elas engravidaram…

“A primeira obstetra que consultei disse que do jeito que eu estava nem começaria o pré-natal. Do bolso, tirou o cartão de uma nutricionista e pediu que eu a procurasse. Chorei muito quando saí de lá. Ela nem se quer me pesou ou fez exames básicos.” Danúbia Rilo, que na primeira gestação engordou 30 Kg e na segunda 14 Kg. É mãe de Emanuelle, 4 anos, e Guilherme, 2 anos.

“Quando engravidei, procurei o obstetra e me surpreendi quando ele me sugeriu uma reeducação alimentar e pediu que eu emagrecesse. Não sabia que grávidas poderiam perder peso sem prejudicar o desenvolvimento do bebê. Como estava bem acima do peso, fiz diversos exames, passei a me alimentar corretamente e emagreci 30 Kg até o fim da gestação.” Alzira Dias, mãe de Matheus, 2 anos.


Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES