11 de dezembro de 2009 13:20

Denuncie agressões de seu companheiro

Amigas, 9 de dezembro fui agredida verbalmente e pior, fisicamente por meu ex companheiro. Sempre fui confiante e muito determinada,  corro atrás daquilo que quero, lutei por um amor durante seis anos, tivemos um filho, sofri diversas traições e por amor me calei e perdoei. Quando acordei pra vida e fui lutar pela minha felicidade tanto profissionalmente, quanto pessoalmente, ele não aceitou e vem me perseguindo e controlando meus passos. Depois de um ano e quatro meses de nosso término, ele não aceita que eu seja feliz com outra pessoa.

Eu tenho um vicio muito comum entre nós, mulheres, que é desabafar em textos, escrevi  em um caderno o quanto estou feliz e contente de estar apaixonada  dentre outros relatos; ele leu e não suportou ver minha felicidade!  Pegou o note book que estava em minhas mãos e jogou no chão e me agrediu por várias vezes, tudo isso na frente de nosso filho de 2 anos. Em vários momentos escutei ele pedindo  “PARA PAPAI…PARA!”   Mas não parava, quando olhei seu rosto ele estava sorrindo e disse que estava certo.  Sorria até ao me dar tapas no rosto! Ai eu pergunto: isso é amor? Pois hoje em seu discurso ele diz que fez tudo isso por ciúmes e amor…rs. Amor? Que amor é esse?

Por isso, meninas, fui à delegacia da mulher e coloquei nas mãos da justiça e espero que tudo isso não saia impune. Foi tudo muito simples, fui muito bem atendida e tratada com dignidade,  não fui olhada como uma coitada e sim como guerreira de ter feito a coisa certa. Lógico, tive o apoio de uma grande amiga aqui no Rio e de minha nova amiga Renata, que me incentivou no momento certo pois por medo de ser apenas mais uma na estatística, estava abdicando do meu direito de justiça.

Sinto que muitas de vocês vão se identificar com a minha história e que muitas  por medo ou por vergonha não foram a delegacia. Não deixe uma agressão impune. Hoje tenho muitos roxos pelo corpo e pela alma, é muito ruim sim sentir que a pessoa que você conviveu tenha feito uma coisa dessas, mas não desisti de minha felicidade, continuo apaixonada e contente com minhas atitudes, com meu novo amor e com meu recomeço e o principal:  sem medo de tomar a atitude certa!

Quero mesmo é mostrar a todos o que aconteceu comigo, pois assim estarei incentivando a justiça!