23 de março de 2016 10:49 comportamento

8 coisas que já deixei de fazer por ser gorda

Por Renata Poskus Vaz e Simone Fiúza 

Por muitas vezes deixamos de aproveitar a vida, curtir uma festa, uma balada, deixamos de viver momentos felizes e oportunidades de nos divertirmos porque estamos gordas. Mas minha gente a vida é muito curta, não temos tempo para isso não! Hoje estamos aqui, amanhã podemos não estar mais, os momentos passam e não podemos deixar para sermos felizes quando emagrecermos, ou perdermos uns 5, 10, 15 kilos. Então aqui vão algumas dicas para deixar disso e ser feliz AGORAAAA!!

  1. Comer em público

coisas que deixei de fazer por ser gorda 1

Se há duas certezas na vida é de que todo mundo come e todo mundo faz cocô. Seja gordo ou magro. Mas a fama de comilão sem limites sempre cai sobre os gordinhos. Quando o magro se acaba comendo quitutes, todos olham como algo normal, uma extravagância do bem e com admiração: “olha, ela é magrinha e come feito um ‘pedreiro’, que bonitinha!”. Já o gordo, se repete o prato, é comedor-obsessivo-compulsivo, o gordo que vai explodir.

Por conta disso, já deixei de comer na frente das pessoas. Só comprava delicias delivery em que podia me deliciar secretamente sem ser censurada por olhares gordofóbicos alheios. Isso sim é doença: comer com culpa.

E na boa, amoooo ser o terror dos maître, garçons, sushiman dos restaurantes! Quando eu entro, principalmente com os meus amigos, que também são gordos a cara deles é impagável.

E sem contar quando você realmente quer comer saladas, frutas e afins fora de casa e mesmo assim sofre com olhares preconceituosos tipo: olha lá a gorda de dieta!

Solução: Coma sem culpa! E na boa quem está pagando a conta do restaurante? Então ninguém tem nada à ver com isso. Eu não invente desculpas recusando comida em festas, como: “estou de dieta”, “não estou com fome”. Do que adianta não matar a vontade comendo 1 ou 2 brigadeiros na rua e ter uma overdose brigadeirística em casa, devorando 20 pretinhos de uma vez? Aprenda, também, a cortar zombarias alheias. Eu me recordo quando um tio, em uma festa, falou pra todo mundo ouvir que eu deveria fazer uma dieta, pois estava repetindo o prato pela segunda vez. Eu respondi: “quando eu quiser emagreço, mas já no seu caso não existe dieta para parar de ser idiota”. Eu deixei de ser a piada e ele passou a ser ridicularizado por sua inconveniência.

2) Fazer cocô fora de casa

coisas que deixei de fazer por ser gorda 2

Ah, fala sério… Se todo mundo faz cocô, porque quando alguém suja o banheiro do serviço ou da escola, logo colocam a culpa no gordo? Gordo parece estar diretamente ligado com a culpa por todas as escatologias mundiais. Com pum então, nem se fala. Como se magrinhas não peidassem né?

Não sou uma técnica em peido, mas pelo que sei, aquele monte de shakes e proteínas ingeridos por saradas e magrinhas marombeiras para emagrecimento são altamente inflamáveis, uma bomba de peido, se é que me entendem.

Magra peida e faz cocô. Gorda também. Pronto! E quem não faz fica literalmente ressecada e mal-humorada. É deste estado que vem a palavra enfezada. Não esqueçam disso.

Eu até não ia por dias no banheiro, mas quando era magra, não comia, vivia de regime, apática e infeliz. Para mim, hoje, fazer cocô está diretamente ligado ao bem-estar e felicidade. hahaha

Solução: Não guarde dentro de você coisas que te fazem mal! hahaha… Sério, não fique com vergonha se eventualmente precisar usar um banheiro fora de casa. E se o cheiro azedar e te incomodar espirre seu perfume no banheiro, ou jogue no vaso sanitário um pouquinho do sabonete líquido. Para tudo se dá um jeito, s[o n]ao tem jeito pra morte! rsrs

3) Comprar roupas

coisas que deixei de fazer por ser gorda 3

Provador pequeno, quente, sem ar condicionado, vendedora chata que fica abrindo o provador a toda hora (PQP), além de super mentirosa, tentando te empurrar uma calça GG, só porque é a maior da loja, mas não deve vestir nem uma mulher manequim 42, quando você, na verdade, usa 54. Ufa, que sufoco!

Aí te sobram as roupas sem corte, de malha e todas aquelas que o resto do mundo não quis levar pra casa. Te restam duas opções: se espremer numa roupa tradicional, ou ficar olhando e passando vontade. Gasta pé, tempo e sola de sapato e não encontra o que quer.

Solução: Frequentar lojas especializadas, foi a melhor coisa que fiz em todos esses anos. Não perco mais meu tempo em loja alguma que não seja do ramo. Lá está todo mundo preparado para atender mulheres gordas, sem discriminação. Além disso, a diversidade de produtos é sempre maior do que em lojas que vendem para magras e gordas. Outra opção são as lojas virtuais, em que você compra pela internet, sem sair de casa. Por lei, após receber o produto, você tem até 7 dias para devolvê-lo, sem nenhum custo. (momento jabá: dá uma olhadinha lá na Loja Mulherão: www.lojamulherao.com.br ). Ou seja, você prova no conforto do seu cafofo, quantas vezes quiser, sem vendedora chata te enchendo o saco e sem ninguém olhando torto. Não gostou? Devolve!

4) Namorar

amor com gordinha

Antes de recuperar a minha autoestima, eu evitava namorar. Sempre achava que era indigna de ser amada e desejada pelos homens porque tinha incríveis 72 Kg (eu realmente me achava obesa mórbida!). Eu tinha vergonha de mostrar meus 2cm de gordura localizada, de ficar pelada com a luz acesa. Não curtia, não relaxava, boicotava relacionamentos, terminava antes do cara terminar comigo (na minha cabeça sempre achavam que iam me trocar por um lindo espécime feminino na versão mini size).

Solução: Para ser amada eu precisava, antes de tudo, me amar. Como amar alguém que só se menospreza, coloca pra baixo e tem uma visão negativa sobre si mesma? Amor próprio encanta, atrai e sustenta a relação. Faça como eu fiz. Olhe-se no espelho todos os dias, veja suas qualidades e potencialidades e repita para si mesma: “não existe no mundo mulher como eu.” E não existe mesmo!

5) Ir à praia

gorda na praia

Deixei de ir à praia porque ficava com calor usando maiô, também achava uó a marcona branca que ficava na minha barriga. Mas ao mesmo tempo não tinha coragem de usar biquini e acreditava que a humanidade não era obrigada a ver um barrigão daquele tamanho desfilando pelas areias sem estar coberto. Deixei de curtir um voley com os amigos, ou um passeio de barco, ou até mesmo quando usei saia e blusa na praia, queimei as pernas do joelho para baixo, ir a praia tinha deixado de ser um momento prazeroso, relaxante, para ser um verdadeiro filme de terror bizarro.

Pra completar, amava andar na beira do mar, mas ficava completamente assada no meio das coxas.

Solução: Demorou, mas após seguir o mesmo ritual da terapia do espelho citada no item 4 deste texto, eu também tomei coragem de ir à praia. Foi um passo de cada vez. E deixo a mesma dica para vocês: primeiro você se liberta da canga, depois troca o maiô pelo biquini hot pant, depois, se quiser, investe em um fio dental, sem medo de ser feliz. Aqui no Blog Mulherão já demos 9 dicas para quem quer enfrentar o verão usando biquininho. Para ler, clique aqui.

Ah, e com relação às assaduras, descobri o milagre em forma de película protetora: Keep Movin. Custa 39 Dilmas e ninguém vê, ao contrário do branco hipoglós.

6)Fazer ginástica

spa 13

Fazer ginástica entre saradões e gostosonas pode parecer um filme de terror, parece que todos estão te olhando e esperando o primeiro mico para rirem horas de você. Sempre ficava tensa, reparando em quem olhava para mim, tentava emitar os outros para não correr o risco de pagar mico. E sem contar o personal da academia que gasta 3 horas ensinando a “gostosona” a fazer o quatro apoios e mal te dá atenção, isso me irrita profundamente, já chamei atenção de vários.

Sem contar que quando chegamos acreditamos que muitos se perguntando o que estamos fazendo ali, afinal para as pessoas gordo é preguiçoso, sedentário, não faz porra nenhuma.

Solução: Posso dizer algo do fundo do meu coração? Nem todos julgam as pessoas ou são preconceituosas, temos que parar de olhar para os outros e focar no que estamos fazendo, se vamos para a academia com certeza estamos em busca de saúde e bem-estar, dane-se o resto. Mas se mesmo assim você é uma gorda fitness como eu, que gosta de malhar e não quer encarar o terror das academias, procure uma academia especializada em mulheres, garanto que o ambiente é mais tranquilo. Ou compre na banca o dvd “Malhando com a Solange Frazão” e malhe no tapete de casa!

7) Ir à festas

festa gorda

Já deixei de ir em muitas festas primeiro começa o drama da escolha do look, puta que pariu o cú da bunda desculpe os termos chulos, mas esse é o grande problema da mulherada, desde a mais magrinha até a mais gordinha. Tiramos mil e um looks do armário e nada fica bom, até que finalmente encontramos aquele pretinho básico que já repetimos pelo menos umas 5 vezes em festas. Se for pegar carona com a galera já fica imaginando se a sua bunda vai caber no banco traseiro com as outras bundas kkkkkkkkk

Depois de tudo isso ainda encaramos os olhares de todos quando comemos, sempre, eu disse SEMPRE tem alguém olhando o que vamos comer, acho que as pessoas querem ter certeza que somos gordos porque comemos muito, é um verdadeiro saco! Sem contar quando vem aquele infeliz e pede pra você pegar mais leve, vou pegar mais leve na cara dessa pessoa! kkkkkkkk

SOLUÇÃO: Ah se liberta!! Toda vez que me convidam para uma festa eu fico imaginando o que terá de comida, falo a real! Para não ter problema em se irritar na escolha do look, prove sempre antes e já deixe separado, uma chance a menos de desistir. E se te olharem? Meu bem ofereça o que está comendo, compartilhe o pão! kkkkkkkkkkkk

Algum comentário sem graça? Se não te incomodar finja q não ouviu, mas se o sangue subiu rode a baiana e coloque a pessoa no seu lugar, responda a altura e se sair porrada me chama, porque nosso exército é pesado! hahahahaha

8) Fazer Sexo

coisas que deixei de fazer por ser gorda 5

Claro que também já tive vergonha de transar, afinal fazer sexo geralmente tiramos a roupa e quem iria curtir aquele corpo gordo, com dobras, celulites, um mapa mundi feito por estrias na barriga, melhor evitar. Sem contar que não temos a certeza que conseguiremos apagar as luzes, melhor abortar a missão. Não dá, não dá! Sexo é algo vital, precisamos para sobreviver, fazer sexo libera endorfina, todas as inas possíveis, é uma loucura.

SOLUÇÃO: Se ame, se ame e se ame!! Se a pessoa está com você, ela está afim do tchákátckáká e quer estar ali com você, ninguém é obrigado à nada. Larga disso, se entregue, curta o momento, afinal a mágica do momento é que se torna inesquecível e não celulites e gordurinhas, a pessoa vai lembrar da sua pegada e não de pequenos detalhes (esses que nos fazem gostosas). Uma bebidinha também ajuda a relaxar e se soltar, mas não vai entornar o caneco de 51 e nem lembrar do que fez no dia anterior, pelo amor de Deus.

Esperamos ajudar muitas gordinhas que estão deixando de serem felizes pela gostosura, se liberta minha gente, mais amor por favor! =)

Bjokas e se amem!

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES