29 de fevereiro de 2016 21:31 comportamento

Inacreditável: gordas são maioria entre noivas d …

Por Renata Poskus Vaz

Calmaê, meu povo e minha pova da nossa amada Gordolândia! Eu não acho nem um pouco inacreditável gordas serem a maioria entre as noivas do Rio de Janeiro ou de qualquer lugar do nosso Brasil, sil, sil. Afinal, mulheres curvilíneas são a maioria entre a população feminina do país. Gordas namoram, amam, casam, fazem saliências delicinhas com seus respectivos cônjuges, se reproduzem e são imortais, meu bem!

Porém, quem parece achar inacreditável, é uma tal de Lu Lacerda, colunista do IG, que há alguns dias postou em seu espaço a seguinte nota:

noivas gordas 2

noivas gordas

Ou seja, vamos aos fatos:

  • ela acha que cariocas lindas são as magras, apenas;
  • merecem noivos feios e obesos (por ela colocado como demérito);

Eu só queria dizer para essa tal de Lu Lacerda que nós, gordas, não temos apenas autoconfiança. Temos personalidade, beleza, curvas sensualíssimas e a cereja do bolo: pepeca gorda (yes, conviva com isso, baby!). Só não casei ainda porque sou chata e, pode acreditar, isso nada tem a ver com meu IMC ou com os bacons deliciosos que ingiro e se acumulam por minha circunferência hahaha

Eduardo Albuquerque, um marido recém-casado, prá lá de apaixonado por sua gordinha, a modelo Tati Gaião, postou um texto indignado para a colunista gordofóbica e que teve mais de 40 compartilhamentos no Facebook:

eduardo e tati

“Prezada Lu Lacerda,

Acredito que a senhora foi muito infeliz com seu post do dia 23/02/2016, aonde afirma que as noivas mais cheinhas não podem ser lindas e estão fadadas a casar com “feios e/ou obesos” ou “cheios da grana”:

Então vamos lá: (1) Tenho 1,78 e com 80 kgs, o que não me caracteriza como obeso (2) Feio? acho que não (3) E cheio da grana? Muito menos! Mesmo assim, casei com a 1ª Miss Plus Size Carioca: uma mulher linda e com um milhão de qualidades.

No entanto, não casei com ela pelo rosto bonito nem por nenhuma outra qualidade dela.  Me casei por ter achado uma companheira de vida, uma pessoa com quero envelhecer e montar minha família. Não ligo se ela é morena, loira, alta, baixa, gorda, magra ou flamenguista. Rótulos são para produtos e mulheres não estão nas prateleiras!

Casamento, ao contrário do que se imagina hoje, não é uma indústria!  O casamento é a união de duas pessoas perante à Deus, que dá início a uma nova família, a Sua criação mais bonita.

Enquanto as mulheres “lindas e magras” estão preocupadas com as calorias ingeridas e os horários da academia, “as demais” estão interessadas nos horários daquele filme imperdível que estreou ou naquele restaurante japonês bom e barato que abriu na esquina de casa. Essa é a diferença que a senhora não conseguiu pescar: As mulheres querem ser interessantes e não magras!

Assim, acredito que seu post traduz uma realidade equivocada, demonstrando espanto o casamento de “noivas cheinhas”, fazendo crer que as gordinhas não podem ser felizes e nem se casar, quando na verdade, o que se vê é que as mulheres amadureceram, querendo ser bonitas pra elas e não para o seu “padrão estético”!”

Clap, Clap, Clap! Sem mais.

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES