19 de abril de 2016 00:50

Por Renata Poskus Vaz

Nunca fui contra quem deseja emagrecer. Nunca deixei de admirar e querer bem leitoras que outrora eram gordas e, de uma hora para a outra, passam a exibir um manequim enxuto. Talvez, por isso, por não ser uma militante-da-banha-radical-que-odeia-as-magras-tudo, que sempre recebo notícias de leitoras queridas que deixaram de ter um corpo gordo, mas que mantém um coração plus. Muitas delas, em segredo, me dizem: “tenho vergonha de dizer que fiz cirurgia bariátrica“.

E, que saber? Você não precisa ter vergonha, mas também não tem a mínima obrigação de sair por aí justificando o seu emagrecimento. Ninguém sai por aí dizendo: “oi, tudo bem? cauterizei as verrugas da minha pepeca”, “e aí, amiga, como vai? Sabia que operei a hemorroida?”. Então, porque acreditam que tornar pública a cirurgia bariátrica é algo obrigatório?

Eu, Renata, não esconderia. Mas eu sou uma pessoa pública, conhecida por milhares de pessoas (pelo menos na gordolândia…hahahah). Há alguns anos tornei a minha relação com meu corpo pública. Acharia deselegante e desrespeitoso aparecer magra, de uma hora para a outra, sem explicar o porquê para pessoas que sempre me acompanharam e torceram por mim.

No entanto, conheço algumas pessoas, ex-modelos plus size, que fizeram cirurgia de redução de estômago e além de omitirem, pregam que emagreceram às custas de reeducação alimentar. É claro que todo mundo que faz cirurgia bariátrica se reeduca com relação à alimentação, mas ignorar que a cirurgia muda seu estômago de um buraco negro sedento por comida para o tamanho de um limãozinho, não é legal. Como se não bastasse, algumas dessas ex-gordas modelos gostam de menosprezar as próprias seguidoras. “Isso é pras minhas inimigas que não se esforçam e não conseguem emagrecer”. “Emagrei 50Kg com RA em 3 meses!”… A conta não bate. Suas seguidores se sentem frustradas por não obterem os mesmos resultados milagrosos, mesmo se esforçando muito. Acho de uma maldade sem fim. Se ganhamos dinheiro algum dia expondo nossos bacons, que sejamos honestas em informar as causas de nosso emagrecimento para as mesmas pessoas que indiretamente nos sustentaram consumindo os produtos vendidos usando a nossa imagem.

Porém, se você não é do mundo das sub-sub-sub-celebrities plus size, não tem o porquê de divulgar nada referente à sua saúde. Ninguém paga as suas contas, baby!

Se for tornar público o seu emagrecimento por meio da cirurgia bariátrica tenha em mente que:

  • Vão dizer que foi fácil; 
  • A cada delícia que for saborear, existirá uma patrulha para te controlar, censurar e criticar;
  • Vão te lembrar o quanto o emagrecimento rápido vai te deixar flácida;
  • Vão dizer que você mudou de personalidade após ficar magra.

Então, lembre que:

  • Só você sabe o quão difícil foi passar pelo pré e pós operatório ;
  • Ninguém tem nada a ver com o que você come ou deixa de comer. Se você engordar de novo o problema é seu. Você não é uma criança que precisa de tutores;
  • Você emagreceu pela sua saúde e não pela sua beleza. E se te incomodar eventualmente a casca enrugar, cair, você arranca na faca, na mesa de cirurgia hehehe;
  • Você não mudou. Revelou quem sempre foi, mas que mantinha escondida por trás da figura de “gordinha boazinha”.

Decidiu não revelar que operou? Então ligue o botão mágico, absoluto, libertador e resolutivo, do “foda-se”. Aprenda a interromper pessoas que são indelicadas e invasivas com você. Seu emagrecimento é uma questão de foro íntimo. Se perguntarem: “nossa, você emagreceu?”. Diga: “não, são seus olhos!”. Imagine só você 50 Kg mais magra e dizendo isso? rsrsrs  Ou o cara se toca que está sendo inconveniente, ou vai ter que se acostumar a tomar patadas.

Lembre-se, você é dona da sua vida! ♥

p.s: Você pode gostar de ler o texto: “Parabéns por ter emagrecido”. Clique aqui que eu te levo pra ele.