20 de maio de 2016 15:39

Por Renata Poskus Vaz

Ana Paula Valadão é uma mineira quarentona, linda, cantora e que se diz cristã. Casada com um pastor de uma igreja batista, faz a linha pura, virgem e santa. Fundou uma famosa banda gospel, a Diante do Trono, que reúne milhares de fãs, seguidores e consumidores de seus DVDS por todo o País. Suas músicas realmente tocam corações, o único problema é quando Ana Paula Valadão abre a boca.

Há alguns anos, Ana Paula Valadão ofendeu milhares de pessoas ao propor jejum aos seus seguidores visando o emagrecimento. No Cristianismo, o jejum é um instrumento de profunda comunhão com Deus. Não significa passar fome, sofrer. Deus não quer que ninguém sofra. Jejuando, o corpo deixa de focar sua energia na digestão e o fiel volta sua energia para a oração. Apenas isso.

Mas lá foi Ana Paula Valadão dizer que o Jejum é uma forma de emagrecer. E que pastores gordos não podem ser bons líderes. Julgar, zombar e escarnecer não é agir como um cristão. Veja o vídeo abaixo, pra crer.

Aí, hoje, Ana Paula Valadão posta o seguinte texto em seu Facebook:

c&a

Ela se refere à essa campanha da C&A:

Minhas observações:

  1. Boicote, incitação ao ódio, desrespeito à diversidade de gênero, intolerância, entram em que parte do Cristianismo? Desculpa, mas onde eu toco tambor ensinam outra coisa pra gente!
  2. Quando a Ana Paula Valadão, que vive exibindo looks de grifes famosas, fez alguma campanha de boicote às redes que usam trabalho escravo? Escravizar pessoas sofredoras pode. Vender para todas as pessoas, independente do gênero, não. 
  3. Será que Ana Paula Valadão se lembra que Jesus usava cabelos compridos, vestidos e sandálias? E que era delicado e afetuoso?
  4. Será que devemos contar para ela que em outras culturas, homens ma-chô-chô também usam saias, como os escoceses, por exemplo, sem necessariamente serem homossexuais?
  5. Será que Ana Paula Valadão sabe que algumas grifes trabalham com roupas unissex apenas para privilegiar o conforto e não porque querem que todos façam uma mudança de sexo?
  6. Jesus veio à Terra para mostrar que podemos ser como ele: tolerantes, amáveis, acolhedores. Ser Cristão é seguir o que Jesus ensinou. Tem ateu que é mais cristão do que esses falsos profetas.

Quando nos preocupamos muito com a sexualidade alheia, é porque há algo muito mal resolvido dentro de nós. Eu poderia viver na ilha de lésbos à moda antiga, sem homem por perto e cheias de pepecas flamejantes me seduzindo e só cederia se eu quisesse, se fosse essa minha orientação. Ainda não tive o prazer de ter um papo sério cara a cara com Jesus, mas acredito que ele acharia muito mais condenável julgar a sexualidade alheia, do que ser homossexual.

A nossa sexualidade e a roupa que vestimos é apenas um pequeno detalhe dentre centenas que constituem a nossa personalidade.

Eu apoio todas as lojas que respeitam pessoas e toda a sua diversidade, inclusive a C&A. ♥