23 de agosto de 2016 22:28

Por Tatiane Amaral (leitora convidada)

Verão, calor, sol, clube, piscina lotada, família se divertindo. Minha sobrinha, 10 anos, uma menina linda, inteligente, encantadora, cabelão, olhos penetrantes, gorda. Se divertindo no toboágua, com seu lindo biquíni de cintura alta, mais na moda impossível. Eis que ela chega ao meu lado e pergunta: tia, você tem um maiô inteiro pra me emprestar? Não estou me sentindo bem de biquíni.

gorda não é ofensa 1

Eu, gorda, feminista, apaixonada por moda, por biquíni e pela minha sobrinha, sinto uma dor no coração de ouvir algo assim. Ela ouviu uma menina da mesma idade comentando com outra que ela era gorda, e imediatamente tomou isso como ofensa e se sentiu diminuída e insegura com seu corpo.

Tá mais que na hora de mudarmos isso. Gorda não é ofensa, é uma característica!

O problema é que aprendemos que ser chamada de gorda é dos piores xingamentos.

Em minha adolescência, quando meu pai dizia que eu tinha engordado, eu chegava a chorar, me ofendia muito, dizia pra ele não falar mais isso nunca. E sabe qual era a resposta dele? Que não entendia o porquê de se ofender tanto com o simples fato de eu ter ganhado uns quilos, de não ser magra. E eu nunca dei ouvidos a ele, e ele estava tão certo. Porque gorda como ofensa é algo feminino, homem não se importa de ser chamado de gordo, porque nunca lhes foi cobrado nenhum padrão, nenhum corpo assim ou assado.

E quem pode mudar isso? Certamente e felizmente nós mulheres, gordas, magras, médias, corpo pera, tábua, maçã, melão, melancia. Mulheres! Formadoras de opinião, formadoras dos filhos.

Digo e repito, gorda não é ofensa, é característica! Cada um é de um jeito e está ok ser assim! Nós e apenas nós somos donas do nosso corpo.

gorda não é ofensa 3

Quando pensar em ser magra porque se sente melhor assim, pense de novo. Se sente melhor assim porque você se sente mais feliz? Ou simplesmente pra ninguém te chamar de gorda, te ver como gorda. Pense em você mesma, no que você gosta. Tenha certeza de quem você é e de como gosta de viver.

Quando eu descobri isso, virei a mulher mais linda e poderosa do planeta, e o mais importante: uma mulher livre! Livre pra ser do jeito que quiser.

Se for pra se referir a mim, não me venha com gordinha, cheinha, fortinha. Sou gorda e ponto. Sei o valor de cada curva do meu corpo. Se quer me ofender, vai ter que se esforçar mais.

Naquele dia de sol, a tia gorda tentou ensinar isso àquela menina, pelo menos por aquele dia deu certo. Ela saiu linda e empoderada com seu biquíni e foi brincar na piscina.