19 de janeiro de 2010 02:18

Apoiar Elenita, a participante gordinha do BBB 10. Este foi o pedido de uma de nossas leitoras. E agora? Aceitar ou não?

Por Renata Poskus Vaz

Para algumas pessoas, Big Brother é perda de tempo. Para mim, é laboratório da vida real. Quantas vezes você já não se identificou com algum dos personagens da casa e reconheceu nas atitudes deles – boas ou más – as suas próprias atitudes?

Meu namorado já percebeu: quando começa o big brother ele não se atreve a me ligar até que o programa termine. Segundo ele, para mim o BBB funciona como uma espécie de gaiola cheia de ratinhos, em que analiso o resultado da convivência deles como uma experiência científica.

Sim… Ah, quantas vezes não vemos mocinhos virando vilões e vilões virando mocinhos, igualzinho na vida real? Falsidade, mentiras, amores, paixões, amizades verdadeiras, conveniências… Tudo escancarado e claro, bem diferente do que encaramos no nosso dia-a-dia. Big Brother Brasil 10 começou e me arrependi amargamente de não ter feito a minha inscrição e nem ter insistido para que minhas colegas de blog fizesses. Afinal, nesta edição, fenômenos de acesso na internet garantiram seu lugar no jogo e o mulherão é um dos sites mais acessados em sua categoria. Nada mais justo que uma gordinha do nosso grupo integrasse a casa dos BBBs. Sonho? Não! Para quem já sentou no sofazinho da Hebe (sem nenhuma modéstia) ocupar um lugar na casa seria perfeitamente viável.

Sim, mas nós nem pensamos em mandar nossas fitinhas para a seleção do programa. Mesmo assim, a direção consciente ou inconscientemente colocou na casa mais vigiada do Brasil uma representante mais corpulenta, com pernas grossas e braços bem torneados. Perto daquele monte de meninas mais esguias, uma verdadeira gordinha: Elenita. Jovem, professora universitária especializada em lingüística.

Em sua entrevista no processo de seleção para a casa, Elenita pediu desculpas pela sinceridade e se definiu como alguém “muito inteligente”. Ontem, recebi um comentário de uma leitora solicitando que levantássemos um mutirão a favor de Elenita para que ela, neste primeiro paredão do Big Brother Brasil 10, não fosse eliminada.

De acordo com a opinião de nossa querida leitora, não poderíamos deixar que a única representante plus size da casa fosse eliminada. Entretanto, para desapontamento dessa e de possivelmente outras leitoras, o Blog Mulherão não vai levantar bandeira para a permanência de Elenita na casa. Ao longo dos primeiros dias de programa, a participante demonstrou se tratar de uma pessoa culta, mas não necessariamente esperta. É o que eu digo, não basta ser inteligente, é necessário ser esperto. Elenita foi instável, não soube perder, passou a se sentir perseguida após a sua indicação ao paredão, exigiu demonstrações de fidelidade de pessoas que conhecera há dois dias e passou a queimar o próprio filme sucessivamente diante de todo este desequilíbrio emocional.

Como maluca que também sou, compreendo as ações de Elenita, mas para mim é necessário muito mais do que uma identificação com o peso ou devaneios dela para elegê-la merecedora de um prêmio de R$ 1,5 milhão. Sim. Nosso peso (e o de Elenita também) é só uma entre milhares de características que possuímos. Nenhuma de nós se resume a quantos quilos são apontados pela balança. E o fato de ser “fofa” por fora não nos garante ternura por dentro.

Por isso, não apoiamos e nem deixamos de apoiar Elenita. Que vença a pessoa com o caráter mais admirável e conduta ilibida. Se for a Elenita, legal. Se não for, tudo bem.