23 de novembro de 2017 01:57

No início do ano dirigi um dos trabalhos mais bonitos da minha vida. O ensaio fotográfico com gordas de lingerie que vocês verão a seguir, seria a foto de divulgação do Fashion Weekend Plus Size. Infelizmente, um monte de contratempos ocorreram e acabei guardando essas fotos maravilhosas para uma próxima edição. Mas, infelizmente, algumas das fotos vazaram. E tem muita gente se aproveitando de um trabalho tão bonito sem divulgar os profissionais que se dedicaram a ele: a marca de lingerie Nayane Rodrigues, as modelos de nosso casting: Anna Carolina Santini, Mayara Melo, Manu Mendes, Rúbia Ponick e Amanda Franca, além da fotógrafa Adriana Líbini e da equipe de beauty Priscilla Satim e Wellington Carvalho. Além de mim, claro, que idealizei, produzi e dirigi esse trabalho.

Gente, isso é muito importante! Quando você se apropria de um trabalho para conseguir seguidores e ganhar curtidas e alavancar suas páginas da internet, não está ajudando o mercado a crescer, está apenas se aproveitando. Divulgue os profissionais envolvidos nas fotos, por favor!

Enfim, vamos ao ensaio fotográfico mais lindo do mundo com gordas de lingerie! Elas arrasam! São lindas, cada qual com sua beleza.  Fotografamos com lingeries bonitas, confortáveis e modernas, cada uma com uma cor especial. As modelos, até então, ainda eram desconhecidas do grande público, estavam dando seus primeiros passos na carreira, mas já vitoriosas quando o assunto é autoestima, amor próprio e uma incrível vontade de fazer acontecer.

Fiquei apaixonada por essas fotos, confiram:

 

Anna Carolina Santini

21 anos/ 105 Kg/ 1,70m/ manequim 48,50 – São Bernardo do Campo/ SP

https://www.instagram.com/santinianna/

“Já busquei e busco sempre inspiração em mulheres que se amam, acreditam em si e na sua singularidade. É uma luta diária, mas hoje posso dizer que me libertei dessas amarras que não me permitiam viver diversos momentos por vergonha, angustia e frustação.  Passei e passo por todas as situações que a maioria das mulheres acima do peso passam, mas não permito que isso me abale, ou defina quem eu realmente sou. Pois acredito que cada uma de nós tem uma beleza única e deve ser reconhecida. Temos nossas histórias e nosso valor e não é o nosso corpo que define toda a nossa beleza. Quando acreditamos no ser humano lindo que somos, isso transcende e reflete em como as pessoas nos veem. Cada pedacinho do nosso corpo conta uma parte da nossa história, diz algo sobre o caminho que percorremos e se nós nos orgulharmos disso, veremos toda a beleza que ele tem. E o quanto antes percebemos isso, mais momentos incríveis vivemos e mais felizes somos em todos os aspectos da vida!”

Manu Mendes 

34 anos/ 114 Kg/ 1,75m/ Manequim 50 – Rio de Janeiro/RJ

https://www.instagram.com/manumendes.rj/

“Hoje sou apaixonada por mim mesma, mas nem sempre foi assim. Quando eu era mais magra, por mais estranho que pareça, minha autoestima não era tao boa como agora. Eu não gostava do meu cabelo crespo. Achava meu bumbum muito grande… Foi um processo lento e maravilhoso no qual aprendi a me amar independentemente do meu peso e exatamente do jeitinho que eu sou. Cada mulher sabe das suas lutas e de tudo que fez ou teve que passar pra chegar onde chegou. Meu objetivo é fazer com que as mulheres me olhem e pensem: Caramba! Se a Manu conseguiu, eu também posso. É representatividade. Eu sou mãe, sou uma mulher gorda, negra, tenho nivel superior, e aos 33 anos me permiti ser modelo. Nos podemos ser o que quisermos. E se ao me olhar, pelo menos uma mulher pensar assim, já é o suficiente pra mim.”

Mayara Melo

26 anos/ 106 Kg/ 1,63m/ Manequim 50 – Guarulhos/SP

https://www.instagram.com/mayaramelo91/

“A minha autoestima era muito baixa, eu até gostava de algumas partes do meu corpo, mas na minha cabeça enquanto eu fosse gorda nada do que eu achasse bonito ficaria bonito em mim e eu tinha vergonha de fazer muitas coisas porque eu era gorda. O processo para aprender a me amar foi muito tardio e tem sido um processo demorado, o exercício do amor próprio é diário, é um trabalho de formiguinha, a cada dia você trabalha um pouquinho da sua autoestima, a cada dia você se permite dar um passo a frente, a se amar, a se valorizar, a se permitir ousar, a se respeitar, a se admirar, a se olhar no espelho e se achar linda, com o seu corpo, com as suas curvas, com as suas estrias, com as suas características. Hoje, eu me amo, mas sei que ainda resta um longo percurso para me livrar de todas as amarras.”

Rúbia Ponick 

23 anos/ 1,66m/ 90Kg/ Manequim 46,48- São Caetano do Sul/SP

https://www.instagram.com/rubiaponickk/

“Não foi sempre que me amei. Na adolescência tive muita dificuldade em me relacionar na escola, porque via que era diferente das colegas de sala. Foi uma fase bem complexa e de transições. Eu me considero um exemplo para outras mulheres porque eu pude superar o preconceito e a intolerância, tendo a oportunidade de incentivar as mulheres a se aceitarem e se amarem da sua forma”

Amanda França

25 anos/92 quilos/ 1,70m/ 1.70m/Manequim 48 – Uberlândia/MG

https://www.instagram.com/amandacaf/

“Sempre me amei, porém aos 13 anos, como muitas adolescentes, nutria o desejo secreto de ser magra. Achei que
perdendo peso me tonaria uma pessoa melhor. Depressão, remédios, terapia, bulling, preconceito, falta de respeito, resumem parte da minha adolescência, mas sempre pensava porque? Para quem? Preciso me aceitar! Esse é o meu corpo, minha essência, meu biótipo. Parei completamente de judiar minha mente e me mostrar como eu realmente era, transbordar autoestima, vaidade e confiança. Hoje sei que devemos ter personalidade e confiança, porque nem todos vão te achar bonita e simpática, e o mais importante sempre será intacto, o nosso caráter. Ter sobrepeso não é descuido, devemos nos
enxergar interiormente e acreditar no nosso valor”.

Crédito:

Direção e Produção: Renata Poskus

Foto: Adriana Libini

Beauty: Priscilla Satim e Wellington Carvalho

Modelos: Manu Mendes, Mayara Melo, Rubia Ponick, Anna Carolina Santini e Amanda França

Lingeries: www.nayanerodrigues.com.br