25 de Março de 2018 22:50

Outro dia, uma amiga disse que eu estava perdendo muito dinheiro no setor plus size, ao não postar vídeos mostrando a minha rotina no Instagram, os chamados “Stories”.

– Olha lá, fulana posta tudo o que ela faz, o dia todo! E vive sendo chamada para publicidade, propaganda, tem não sei quantos mil seguidores… Você poderia ter muito mais, já que trabalha há mais tempo e mimimi….

Respirei fundo e nada respondi. Já tenho uma rotina profissional que me consome 18h do meu dia. Será que eu quero dividir essa rotina com todo mundo? Será que eu quero postar todo dia de manhã minha cara inchada dando um bom dia com sorriso amarelo para todas vocês?

Não, não quero!

Não por não amá-los. Longe disso! Acontece que eu sou um purgante quando acordo e vou melhorar só uma hora depois, após um bom banho e se tiver tomado um belo do café da manhã. Antes disso, não espere sorrisos meus.

E mais do que não querer mostrar algum momento em que eu não esteja me sentindo bem e disposta, também não quero e não posso mais viver o dia inteiro atrás da tela do celular. Cansa, me consome! Neste ano de 2018 decidi viver mais e mesmo com tanta dor de cabeça, negócios atrapalhados, eu tenho tendado viver como há anos não vivia.

Outro dia, de madrugada, fui à lanchonete de pijama, chinelos trocados, descabelada e com um crush da internet, no meu bairro. Sem superprodução, sem pensar no que iam pensar de mim. E, quer saber? Foi maravilhoso! Eu me senti tão eu, sabe? E não precisei registrar aquele momento ou transmiti-lo pela internet. Eu só queria vivê-lo. Eu só queria estar ali, naquele momento, sendo eu mesma.

E é assim que me sinto também quando levo minha irmãzinha e sobrinha pra passear. Quando vou ao boteco da minha rua com minha amiga, quando visito minha irmã, quando converso com as vizinhas na porta do prédio, quando vou sozinha comer uma sobremesa no restaurante da minha rua… Eu sou simples, gosto de coisas simples e quero aproveitá-las.

Passei, no início do ano, quase 1 semana reformando um quarto daqui de casa que transformei em meu escritório. Fiquei orgulhosa do tecido que, sozinha, colei na parede, dos móveis velhos que reformei e pintei, da decoração que fiz. E não dividi isso com vocês. Sei que daria uma belíssima matéria, pois ficou lindo de verdade e não agstei quase nada de dinheiro, mas eu fiz por mim, entendem? É meu mundinho, meu esconderijo, meu céu.

Quem há tanto tempo me segue é muito importante para mim e acho natural que exista uma curiosidade para essas pessoas sobre o que faço ou deixo de fazer. Mas não sei se estou velha ou o que, mas acredito que quem gosta do que faço continuará me acompanhando mesmo eu estando mais recatada, menos exibida.

E é tão engraçado isso, pois consigo escrever sobre minhas escatologias ou experiências sexuais com a maior naturalidade. Mas é que escrevo. Escrever é uma coisa, mostrar ao vivo é outra. Posso fazer uma matéria sobre cocô, mas jamais faria um vídeo meu cagando…hahaha

O que importa é que estou mais feliz. Estou de verdade encantada com essa nova vida mais leve.

Talvez seja a maturidade que tenha chegado, não é? Por enquanto, é por aqui mesmo que nos encontraremos. <3