14 de Fevereiro de 2010 20:00

Por Renata Poskus Vaz

É curioso como a forma que pulamos carnaval exprime muito do que somos, vivemos e sonhamos. Neste ano, por opção, escolhi passar o carnaval em casa, com o meu noivo. Não poderia perder a oportunidade de descansar 4 dias seguidos, após ter enfrentado meses sem dormir na organização do Fashion Weekend Plus Size. Ficamos em casa, alugamos uma dezena de filmes e compramos um monte de coisas gostosas para comer. Enquanto a cidade inteira enfrentou estratadas congestionadas para passar o feriadão na praia, nos limitamos a ficar aqui, quietinhos, namorando muito, curtindo um ao outro e planejando o nosso casamento.

Mas meus carnavais nem sempre foram assim, tão pacatos. Na minha infância, frquentava matinês em um clube conhecido como Piritubão, na zona Noroeste da cidade de São Paulo. Minha tia e minha mãe improvisavam fantasias para mim, meu irmão e primos e sempre éramos a sensação do bailinho. O que eu mais curtia era jogar serpentina e confete na minha família. Isso era o bastante para me fazer feliz. De repente, para mim, aqueles bailinhos perderam a graça.

Na adolescência, Praia Grande, no litoral sul paulista, era o meu roteiro oficial de carnaval. Aquilo sim me fazia feliz numa época em que as espinhas reinavam em minha face corada. O trânsito e as filas intermináveis para tudo na praia, que hoje me tiram do sério, antes eram sinônimo de diversão. Fazíamos guerra de bixinguinhas dágua, brincávamos de jogar espuma uns nos outros e, é claro, paquerávamos muito. Acho que se minha adolescência tivesse acontecido na Bahia, eu teria me esbaldado e seguido tudo quanto é trio elétrico. Suor, gente grudada e falta total de um espacinho se quer para respeirar seriam, para mim, afrodisíacos. Carnaval de salão naquela época? Nem pensar!

Na medida em que fui envelhecendo e a minha chatisse aumentando, deixei de viajar à praia. Cansei de ser alvo nas guerras de bixiga e perdi o pique para escapar dos jatos de espuma. Já não tinha mais graça paquerar tanto porque descobri como era legal namorar sério. São Paulo voltou a ser meu roteiro oficial do carnaval. Mas os bailes de salão, que tanto curti na minha infãncia, foram acabando.

Hoje, a única opção que restou aos paulistanos é o desfile de escolas de samba no Sambódromo. Ingressos caros, falta de organização e muito trânsito. Será que um dia levarei meus filhos para pular carnaval, assim como meus pais faziam comigo? Ou voltarei a ver graça nas guerras de bixiguinhas dágua na Praia Grande?

Enquanto isso, cá estou, com a TV ligada e curtindo minha lua de mel antecipada ao som da bateria.

 

  • Eu amoooooooooo carnavallllllllll e to super me divertindo quem quiser saber como eh um carnaval em uma cidade do interior das minas gerais acessa ai http://varandaeletrika.blogspot.com
    prometo atualizaçoes depois da quarta hehe.

    E cada um ao seu jeito o bom é aproveitar o maximo o CARNAVAL.

  • LIRIA

    RE
    PASSAR O REVEILLON OU O CARNAVAL…rsrs..
    TUDO DE BOM PRA VOCÊS, QUE DEUS ABENÇOE AINDA MAIS ESSE AMOR.
    BEIJOS, LIRIA

  • LIRIA

    BEM EU APROVEITO O CARNAVAL, PASSEANDO, NAMORANDO MEU NOIVO, INDO A IGREJA LOUVAR E AGRADECER A DEUS POR TUDO QUE ELE FAZ POR NÓS.
    BEIJOS

  • Bianca Raya

    Que delícia… curte mesmo!!!

  • Raquel

    Ahhh pessoal! Que legal não ser a unica. As vezes acho que estou ficando velha e chata… por não querer estar no meio da desorganização do carnaval!
    Resolvi fazer programas tranqüilos com meu filhinho (4 anos) mas não por isso desanimados! Mas infelizmente ooou felizmente não terei histórias emocionantes para contar as minhas amigas na 5ªf. sobre o meu carnaval rss do tipo praia, espuma, paquera, trios…etc rs Não aguento!

  • Renata

    Aproveite bastante mesmo…

    Olha aproveitando q vc falou de planejar seu casamento,eu tive uma ideia, pq vcs naun fazem um desfile de vestidos de noivas…estou casada a 3 anos e vc naun imagina o meu desespero pois desde minha adolecencia eu ja era gordinha e tinha plena convicção de q naun iria “pagar o mico” de entrar na igreja parecendo um bolo… bom de tanto meu marido e minha familia insistir resolvi ir provar um vestido de noiva,apesar de todos os vestidos q eu gostava naun servir na hora q me vi dentro de um vestido minha cabeça mudou e e eu resolvi q iria me casar sim de noiva, bom resumindo deu muito trabalho pra eu encontrar um vestido bonito q servisse um mim tive q fazer um primeiro aluguem q saiu muito caro, por isso acho q seria muito importante um desfile de noivas mulherão, para toda gordinha ver q pode e deve se casar de noiva…
    Obrigada

  • Carnaval é tudo de bom né gente!
    Cada um aproveita do geito que acha melhor….

  • monica

    a memoria afetiva é o que conta, o piritubao ainda esta no mesmo lugar mas acho que nao existem mais as matines,eu me recordo do gosto de confete na boca de tto que pulavamos no lapa country club( chic ne?)e guardar estas sensacoes assim como os sabores , odores nos faz sentir mega bem!
    otimo descanso!!!!

  • Deyla Cerqueira

    Tbm gosto muito do carnaval no Brasil,quando estava por aí não me empenhava muito sempre achava muita muvuca e não me animava muito p sair…Mas agora que estou longe,dá aquela saudade do calor,do congestionamento daquela loucura toda do carnaval!!
    Por isso,meninas aproveitem muuiiitttoooo o carnaval dentro dos limites é claro!!rsrsrs
    um bju a todas!!

  • PATRICIA MAFRA
  • Anita Bonita

    Também já gostei muito de blocos… na infância não, quando acompanhada entusiasmada meus pais na contramão da bagunça… sempre fugindo das aglomerações humanas. Minha vida de “curtição” durou pouco, mas foi muito intensa… alguns carnavais de bagunça, já na casa dos vinte e poucos anos… Hoje estou em casa, com o maridão, vendo desenhos animados no DVD, com o cachorro deitado conosco no chão… nunca tive um carnaval tão maravilhoso!!! Acho que é mania dos carnavais, sempre serem maravilhosos, não é mesmo… risos…

  • CASSIA RAUBER

    OI RENATA
    EM DEZZEMBRO MANDEI UMAS FOTOS.
    GOSTARIA DE SABER O QUE ACHARAM DAS FOTOS?
    E PARABÉNS PELOS DESFILES.
    VI AQUI NO BLOG E ADOREI OS MODELITOS E AS MODELOS.
    BJS
    CASSIA

  • Rsrsrs na infancia não ia em carnaval, sempre brincava com minhas amigas de serpentina, sempre fui mtu madura desde cedo sabe,mas hj em dia me jogo pro carnaval aqui em campinas tem os trios que vem da Bahia….
    Me acabo msmo , esses dias sai do serviço quase meia noite e me joguei p lá adoruuuuuuuuuuu!!!
    Antes de onten tbem tdo de bom só homem Bommmmmmm!!!
    rsrsr mas enfin nos dias de hj não se tem mais mta opção dá medo mas , tento me divertir como posso bjkas Rê sua querida Fã Dri!!

  • Andréa de Mello

    Olá….
    Estou conhecendo este site exatamente hj, feriado de carnaval, e adooooooorei o mesmo. Sou mais uma das gordinhas insatisfeitas q vivem por aí e acabo ficando infeliz e sozinha….rsss. Mas o assunto é carnaval e pra mim, a melhor forma de curtimos o mesmo é aquela onde ficamos no lugar e com as pessoas (ou a pessoa…rss) que mais nos fazem bem!!!!!
    Bjossss

  • dany

    re adorei vc ter relembrado os festivais de bexiguinhas d’agua na praia grande…quando li veio um filme na minha kbça kkk poxa com o passar do tempo parece que as pessoas vão deixando de lado o lazer e levando as responsabilidades em único plano!!! que pena né? tbém passei meu carnaval em casa com meu marido e minhas filhas ao som da bateria das escolas de samba 🙁 bjsss