2 de outubro de 2018 12:43

Gente, o papo agora é sério. Quem está falando não é somente a Renata Poskus empresária, mas a Renata gorda, consumidora, blogueira, com milhares de amigas gordas do País todo. Se você tem uma pequena marca plus size que fabrica acima do manequim 60 ou é uma consumidora com este manequim, preste muita atenção neste texto.

Há muitos anos recebo reclamações de consumidoras que não se sentem representadas na passarela do Fashion Weekend Plus Size, pois lá só desfilam marcas que fabricam, em média, até manequim 54, 56. Eu seria muito hipócrita se colocasse modelos grandes, desfilando peças pilotos que jamais seriam produzidas nesses tamanhos.

Entendo perfeitamente essas grandes marcas demorarem a ampliar suas grades pois fabricam em grande volume para multimarcas que relutam em comprar manequins maiores com medo de “encalhar” nas prateleiras. O medo é justificável, em suas lojas não entram consumidoras com manequins maiores que os habituais 54, 56. Mas elas não entram porque não se veem nas propagandas dessas lojas. É meio que o segredo de Tostines. Não compram porque não se veem, não vendem porque não se compra.

Pensando nisso, decidi criar um desfile e espaço no salão de negócios para pequenos criadores de moda plus size, que fabricam de manequins menores até acima do manequim 60, para que pudessem mostrar seus produtos em nosso salão de negócios, influenciar positivamente lojistas e impactar as consumidoras em potencial que, finalmente, se sentiriam representadas.

Eu, infelizmente, não tinha como colocar essas marcas de graça desfilando no evento, pois não tenho patrocinadores e estamos em um momento de crise financeira que não me permite patrociná-los sozinha. Então, cobrei um valor irrisório para custear taxas. Com isso, elas poderiam desfilar 3 looks e ter o direito a um espaço no salão de negócios para vendas, podendo convidar até 100 clientes gratuitamente cada. Convidar clientes que, talvez, se achassem marginalizadas pelo mundo da moda, que jamais imaginariam estar na primeira fila de um desfile de moda.

Eu sei também o quanto é penoso produzir moda plus size no Brasil e quando falamos em dinheiro, comparamos isso com o quanto de tecido poderíamos comprar ou o tanto de mão de obra que poderíamos pagar. Mas estamos falando aqui de representatividade e o quanto suas clientes seriam impactadas vendo modelos maiores, usando mais de manequim 60, na passarela do maior desfile de moda GG do Brasil (e acho que do mundo!)

Fiquei muito chateada com os diversos nãos que tomei de tanta gente que já ajudei e que já vi crescer sim, também às minhas custas. Não é agora que vou fazer a modesta ou evoluída para ajudar sem dar um cataploft no meio da cara.

Também fui apoiada por marcas muito queridas, que já confirmaram sua participação, como Blossons, Brave, Cuecas Santo Homem, Imani, entre outras. Não sei nem como agradecer a confiança!

Estou escrevendo este texto, porque não vou aceitar mais dizerem que não apoio a moda + 60 e que não quero colocar modelos maiores na passarela. Eu quero sim, mas para colocá-las temos que ter marcas que as vistam. Eu estou dando o meu melhor, mas preciso que essas marcas me deem um voto de confiança e este presente para suas consumidoras.

Peço com carinho que enviem esse texto para suas marcas de coração, as marcas que vocês consomem e que ajudaram a crescer e ser o que são hoje. Digam que gostariam de vê-las no Fashion Weekend Plus Size e vamos fazer um grande desfile.

Contato para informações para marcas: roberto@fwps.com.br e (11) 98569-9993 (este não é um canal de comunicação para modelos, é apenas para marcas!)