3 de agosto de 2009 11:36 Uncategorized

Renata, se é tão bom ser gordinha, porque você emagreceu?

E-mail de Maria Turci para Renata, autora do Blog

Oi, Renata
Muito legal a sua iniciativa, beleza.
Mas fiquei pensando: criar este blog, aumentar a auto-estima de gordas, problematizar o preconceito, tá, muito legal mas, ter emagrecido não lhe parece uma incoerência? Se é tão bom, pq não ficastes gordinha mesmo??
Abraço

Resposta de Renata para Maria Turci

Maria, em nenhum momento aconselho que as mulheres se empanturrem de comida para adquirir mais 50 Kg ou, então, explodir de vez. Jamais fiz isso e em todos os meus textos e entrevistas deixo bem claro que não faço apologia à obesidade.

Cada pessoa engorda por um determinado motivo. O meu é a ansiedade. Então, meu emagrecimento foi em decorrência da elavação da minha auto-estima, da minha auto-valorização e da minha paz interior. Pronto! A comida deixa de ser uma compulsão e eu emagreço. Outras meninas engordam por outros motivos, problemas hormonais, distúrbios alimentares e até hereditariedade.

Emagrecer diminuiu minhas dores na coluna, fiquie mais disposta. Entretanto, tenho amigas que são 30 Kg mais gordas do que eu e não têm nem um terço dos meus problemas de saúde.

Não é porque emagreci que vou deixar de escrever para meninas que estão acima do peso. Afinal, sou branca, quase transparente e já fui editora de um extinto portal destinado à cultura negra chamado Portal Negritude. Sou branca, mas posso escrever para negros. E não é porque emagreci que não posso escrever para gordinhas.

E tem mais. O que é ser gordinha para você? Quando entro numa loja e não encontro uma roupa que me sirva, também me sinto gorda. E olha que tenho 1,70m e peso 74 Kg. Ou seja, estou um pouquinho só acima do meu peso ideal e muito longe do padrão que esta socieddae impõe. E se eu sofro para conseguir roupas, imagine como sofrem minhas amigas mais gordinhas?

Para mim, ser gorda não é uma condição para se obter a felicidade. Mas nãos er feliz por ser gorda é um absurdo. E é por isso que luto. Para que mulheres não sofram o preconceito que já sofri, para que não escute mais nenhuma criança ser ofendida na escola por ter uma mãe gorda (como eu tive) e para não ver nenhuma mulher ter vergonha de si mesma (como minha mãe viveu durante seus 40 anos de vida).

Pois bem, Maria. Esta é a minha história. E a sua, qual é?

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES