7 de julho de 2010 02:11

Meu nome é Amanda Franco, tenho 23 anos e agora MULHERÃO mais que assumido!

Sempre fui uma nega muito perua e inventava muita moda com pouco, no truque. Nunca fui uma manequim, me encaixava na ala das gostosas rsrsrss. E adorava!

Aos 20 veio a gravidez, precoce, porém abençoada. Mas a nega se perdeu no tempo, era difícil conviver com o manequim e o espelho dizendo a cada dia adeus ao 44 (sim já usava 44), sofri muito com isso, me cobrava muito e aceitar, então, parecia coisa impossível.

Lembro-me que ia ao shoppings nos horários mais vazios pra não correr o risco de encontrar alguém que me conhecia de antes da gravidez. Não queria ouvir aquelas frases tão temidas “NOSSA COMO VOCÊ MUDOU NÉ”, ou “NOSSA AINDA NÃO VOLTOU AO PESO NORMAL”…  Era tudo difícil: sair com os amigos, ir ao mercado, me sentir a vontade no sexo…. Logo eu, que adorava um bapho, uma bagunça, um buxixo, de repente sentia vergonha dos holofotes, e preferia não ser notada.

A depressão me pegou, e um dia numa crise dessas que a gente se esconde com frio na coberta, come todos os doces do armário (sim, eu faltava ao trabalho) e chora, liguei a TV e, mudando de canais, vi um desfile lindo com modelos gordinhas, que me chamou atenção imediatamente. Parei e sentei e vi a Renata lindaaa contando como se assumiu um mulherão.

Só pensava em quanta coragem ela teve, como devia ser bom se aceitar e se amar estando acima do peso e como ela convivia com tudo tão naturalmente.

No dia seguinte, no trabalho, acessei o blog, e fui devorando todas aquelas informações, vendo o quanto eu estava me acabando por nada. Meu casamento estava difícil porque eu estava muito infeliz e claro que, por conseqüência drástica, prejudicando meu marido.

Descobrir o BLOG MULHERÃO que me encaixou no mundo novamente, me fez ver que eu podia me sentir bonita e segura. Ninguém precisava saber o meu peso. Eu precisava era resgatar toda aquela segurança a autenticidade… E consegui!

Comecei a procurar por moda plus size, porque não tinha nada que me deprimisse mais do que entrar numa loja e ver que as calças terminavam no 44. E mesmo que encontrasse alguma 48, ela com certeza vestiria só o 44.

Resgatar tudo isso foi muito importante, pude rever tudo que eu havia deixado de lado por causa do peso: o senso de humor, a originalidade, a criatividade, o emprego… Voltei a me vestir bem, a me sentir desejada.

Com isso, queria que minhas amigas pudessem resgatar também tudo isso que eu consegui. Falei com uma amiga que é fotógrafa e levei-as para uma sessão fotográfica. Foi um presente muito especial, pra elas e pra mim.

Ver o resultado, ver como se sentiram lindas mesmo acima do peso, com o brilho voltando ao olhar, foi uma experiência inesquecível. Senti que podia mais e resolvi escrever, falar sobre o que eu sei, e o que eu gosto muito que é moda, poder inspirar várias gordinhas que ainda não se descobriram.

Mas minha batalha pra fazer o que gosto esta só começando, agora quero ser mais abusada, e vou buscar meu lugar ao sol, ter minha confecção GG, modelar também. Porém ainda tenho que driblar alguns obstáculos. Trabalho com contabilidade, esse não é meu ideal da vida toda, mas sei que é ela que vai me levar onde quero chegar, e sei que tudo que absorvi aqui será minha base pra administrar minha loja, às vezes as profissões erradas nos levam ao caminho certo.

É difícil, mas olhando pra trás é só mais uma barreira. Ainda há os que me colocam pra baixo dizendo que trabalhar com moda, pra mulher, é igual pra homem querer ser jogador de futebol. Mas assim como os jogadores de futebol, só alguns batalham e conseguem fazer a diferença. Eu estou batalhando e disposta sim a fazer a diferença, o primeiro passo já dei e sei que o caminho é longo, mas não tenho pressa.

Para conhecer os Blogs da Amanda, clique aqui e depois aqui.