9 de outubro de 2010 22:51 Uncategorized

FWPS: Marcia Spinelli

Por Madame Juju

Olá pessoal, como estão passando o feriadão prolongado? Trouxe para vocês a história de mais uma modelo do FWPS. É a vez de Marcia Spinelli, paulistana de 37 anos, que sempre sonhou em ser Modelo. Hoje, Marcia trabalha como coordenadora de RH em uma Indústria Multinacional, mas consegue conciliar os dois trabalhos.  Um pouco da história da Márcia por ela mesma: 

“Quando eu tinha 18 anos, pesava 57 kilos e usava manequim 38, sonhava com a carreira de modelo, via os editoriais de moda, as capas de revistas e achava o máximo. Procurei pelas agências Ford Models, Ellite e Lequipe que gostaram do meu perfil para fotos publicitárias, mas exigiram que eu perdesse 10 kilos para ingressar no casting. Minha estrutura óssea é larga, se eu emagrecesse 10 kilos, poderia deixar de ter um peso considerado saudável.

Naquela época, tive a oportunidade de encontrar nessas agências, as modelos que estavam no auge de suas carreiras e fiquei impressionada ao ver o quanto essas meninas eram bem mais magras do que aparentavam nas revistas, percebi que em prol da carreira muitas não se alimentavam adequadamente, privavam-se de tudo e repensei meus conceitos, decidi não abdicar das minhas vontades e da minha felicidade em prol da carreira de modelo.

Os anos se passaram, engordei 27 kilos, cheguei ao manequim 46 mas jamais deixei de ter auto-estima, de me produzir, me maquiar e me achar bonita, mesmo com os kilos a mais. Em de 2009 estava navegando pela Internet e encontrei o site CriaturaGG, enviei algumas fotos e recebi um convite para um teste de fotogenia. Dois meses depois, recebi um e-mail com o convite para o 1º catálogo da Maison SPA, de lá para cá fiz mais 02 catálogos para a Maison SPA e desfiles para a confecção Kauê Modas e no FWPS I e II para as confecções Loony Jeans, Eveíza, Program, Carlota, Exuberance, Impression Brasil, La Mafê, Shine, Milanina, Edson Eddel, Tulnitex e Koru Kru.

Finalmente o empresariado passou a enxergar o segmento plus size como forte potencial de negócio, são poucas as grifes especializadas em tamanhos grandes, a concorrência é muito menor do que para as confecções de tamanho padrão e a lucratividade é certa. Tem muita mulher plus size querendo se vestir bem e antenada na moda, porisso, ainda sonho em ver o Brasil como um dos principais polos industriais de moda plus size. O Fashion Weekend Plus Size é sem dúvida o evento que dispertou a atenção da mídia e está abrindo portas não só para as modelos como para o surgimento de novas confecções plus size no Brasil.” 

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES