17 de novembro de 2010 09:17

Por Keka Demétrio

Ninguém deve fingir que aceita os sonhos e as vontades do outro, cada um tem sua própria vida para escrever e não temos o direito de rasurar a história de ninguém, e quando pensamos em relacionamentos a coisa fica ainda mais complicada.

Quando estamos na fase da conquista, tentamos nos mostrar como aquele que está ali para completar a vida do outro, e se quer somos capazes de parar para pensar se realmente é isso que desejamos, ou se é carência, ou se estamos vivendo a fase “deixa a vida me levar”. E então o egoísmo nos cega e o que realmente passa a importar naquele momento não é o que o gato deseja, mas sim o que você quer, e naquele momento o que mais almeja é poder sair desfilando por aí com o dito cujo. Ou vice versa.

 Nesse caso você está buscando a auto afirmação e não um relacionamento pautado no amor. Amor é coisa bem diferente. O amor é algo muito profundo e não brincadeira que a gente começa e termina na hora em que bem entende. O amor é o que é, não precisa de tradução, de explicação, e qualquer teoria apenas tenta expor em palavras o que o coração sente quando está em profunda sintonia com a alma. Dizem que um relacionamento construído no amor não é egoísta, nem se prende a convenções, e ao contrário do que muitos pensam, é leve como uma pluma, e avesso a qualquer tipo de poder que possa levar alguém a se sentir subjugado.

Amor não tem nada a ver com poder. Entre duas pessoas que se amam não pode haver hierarquia, pois isso destrói a capacidade das pessoas de se declarar humano, dotado de virtudes e defeitos, sonhos e desejos. Quando se vive um relacionamento onde um se sobrepõe ao outro, é como se vivesse em um regime escravocrata, e sendo assim, não há troca, mas apenas submissão.  E a submissão não se pratica sozinho, assim como o amor é preciso que haja duas pessoas, porém, diferente do amor que engrandece e nos torna fortes diante das intempéries da vida, a submissão nos faz pequenos, ínfimos, machuca nossas asas e nos impede de voar.

Portanto, cuide das suas asas, não permita que seus sonhos sejam anulados ou esmagados pela sua pouquíssima autoestima. Trabalhe o que tem de melhor e se permita voar. Acredite, tem muito jardim que você precisa conhecer.