16 de Fevereiro de 2011 08:02

Por Keka Demétrio

Não consegui fotos de todas que eu gostaria de colocar aqui, mas tenho muito orgulho de tê-las visto arrasando.

Algumas coisas precisam ser ditas, outras apenas pensadas. Tenho uma mania que às vezes acho ser defeito, em outras uma baita qualidade. É que falo, logo penso, e isso já me causou alguns desentendimentos humanos meios constrangedores e sem intenção. Mas, “PQP”, como tinha mulherão gostoso no FWPS!

Sábado no FWPS e fiquei mais feliz do que já sou, embora, às vezes, eu nem esteja tão feliz assim, mas na maioria das horas procuro ser de verdade. Além de ver minha amiga Renata Poskus arrasar, vi um monte de mulherões lindos, e um desfile de autoconfiança declarada, e as que não se sentiam assim estavam lá para poder acreditar de verdade que mulher acima do peso pode e deve ser feliz, como qualquer outro ser humano que preze o presente que é viver.

Sou alegre por natureza, tá no meu DNA, mas confesso que o carinho que recebi de tanta gente que encontrei por lá me deixou com o sorriso bem escancarado transbordando o que vinha do coração.

Quando a Rê me convidou para escrever no Mulherão eu aceitei porque amo escrever, mas também queria poder dizer pra um monte de gente que eu sou gorda e feliz, e que não iria mais molhar o travesseiro por conta de piadinhas de mau gosto proferidas por pessoas que nem me conhecem. Nunca pensei que tudo isso fosse ter a dimensão que tem hoje e jamais imaginei que o fato de eu dizer o que realmente sinto poderia mudar a vida das pessoas. Além dos inúmeros e-mails que recebo, cada vez que encontro uma leitora e ela me pede pra fotografar comigo, que me agradece por ter mudado sua vida sinto uma avalanche de sentimentos tomarem conta de mim. Fico me perguntando o que de tão extraordinário eu fiz e faço para que as pessoas passem a ter sua autoestima elevada através de palavras ditas por uma mulher comum que apenas acredita no poder que possui. Essa deve ser a questão, eu acredito em mim mesma, e é isso que pode estar faltando em muitas mulheres: acreditar que são capazes de conduzir suas vidas.

Nunca fui modelo de nada, não tenho pretensões de me tornar exemplo de coisa alguma, mas tomei gosto pela coisa de esbravejar e me rebelar contra preconceitos idiotas, e hoje quando ouço alguma piadinha por eu estar gorda, ao invés de me recolher a uma insignificância que querem me impor eu retruco na hora, e sempre consigo deixar meu interlocutor vermelho feito pimentão.  E se estou ensinando a muitas mulheres a serem mais fortes, vou continuar a dizer que acredito realmente que somos gostosas, poderosas, necessárias e absolutas, e desfiles como o FWPS só vem confirmar que ser feliz independe das curvas do nosso corpo.