01/09/2011 Sem categoria

Facebookcídio

Por Renata Poskus Vaz

Quem acompanha a minha história sabe bem que devo a minha atual situação profissional e pessoal à internet e às redes sociais. No início de 2009 eu estava entregue à solidão, sofrendo após um pé na bunda e desapontada com os rumos de minha carreira profissional. A solidão, em casa, em frente à internet, ao invés de um tempo de lamúrias se transformou em um período de conquistas pessoais e profissionais recompensadoras e que me transformaram em todos os aspectos.

 Foi com a internet que criei o Blog Mulherão, mas foi com o Orkut que o divulguei. Lembro-me bem que, em 2009, eu desejava muito realizar uma sessão fotográfica junto com outras mulheres acima do peso e só consegui após interagir com diversas mulheres por meio de comunidades do Orkut.

 Depois, foi por meio do MSN que tratamos dos preparativos daquele que seria o primeiro Dia de Modelo Plus Size. Até hoje já tivemos 20 edições em São Paulo, 4 no Rio de Janeiro e 1em Belo Horizonte.

Foi também pelo Orkut que conheci meu atual namorado. Pelo MSN que tivemos nossas primeiras declarações de amor e também as nossas primeiras discussões de relação. Como eu faria para namorar alguém que namora tão longe se não fossem os recadinhos românticos por e-mail para apaziguar a saudade até o fim de semana do reencontro?

De repente, conheço o Facebook e com ele descobri uma série de funcionalidades que me aproximariam de minhas leitoras. Leitoras essas que considero como amigas. Fiz uma página pessoal, com meu nome completo. Renata Cecília Poskus Vaz. Não abri mão do Cecília, meu segundo nome, pois é desta forma carinhosa que me chamam os amigos da época da escola.

 Com o Facebook arrebatei uma legião de amigos além de localizar amigos do passado, da infância, da faculdade… Exclui meu perfil pessoal do Orkut, deixando apenas o do Blog Mulherão. E dificilmente entrava no MSN. Nem o tal do Google + eu tive interesse aprofundado de conhecer. Tudo por causa do Facebook, o paraíso dos internautas!

 Mas vamos lá, este meu desabafo é porque hoje minha conta no Facebook foi desativada. Não quero saber como e nem porquê isso aconteceu, até porque sei que não contrariei nenhuma regra de conduta daquela rede social. Talvez eu tenha sido denunciada por um grupo de garotas frustradas, ou simplesmente fui acometida por um desses bugs. Todavia, isso não importa muito agora.

Sou completamente dependente das redes sociais. Fato. Fiquei muito triste pois era por meio desta conta que eu tinha um contato mais direto com vocês, minhas amigas e leitoras. Ter a conta desativada, para quem é internetmaníaca como eu, é a mesma sensação de ter um carro roubado. Te levam embora, sem mais nem menos, e você não sabe quando ou se conseguirá recuperá-lo.

 Parece exagero? Não.

Aqui no Blog Mulherão vocês lêem meus textos. Mas muitas só têm coragem de desabafar comigo por meio do bate-papo do Facebook. Para muitas das 1700 pessoas que estão no meu Facebook sou uma de suas únicas amigas. E sei como é isso. Por muitos meses a internet foi minha única amiga. Hoje, meus melhores amigos moram em outros estados e se eu não tivesse as redes sociais para contatá-los, certamente perderia o privilégio de conversar e trocar experiências com pessoas tão especiais e que tanto me engrandecem como ser humano.

Bom, mandei meus dados para que minha conta seja reativada. Enquanto isso, pessoal, vamos nos falando por aqui.

 Um grande abraço,

 Renata

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES