27/10/2014 Comportamento

O dia em que a eleição mostrou que somos mulherzinhas

Por Renata Poskus Vaz

Durante as eleições não viemos aqui defender Dilma, Aécio ou quem quer que seja. Não nos omitimos por aqui ser um blog de moda e comportamento, mas porque acreditávamos que essa decisão teria que ser sua, apenas sua. Teríamos que nos alongar para defender nossas escolhas. Faltaria tempo, faltaria espaço.

Em meu perfil pessoal do Facebook e do Instagram externei meu voto. Aécio, 45. Perdi uns 5 amigos de infância, mais meia dúzia de leitoras gordinhas que me acompanharam por lá. Sem cerimônia alguma as pessoas entravam na minha timeline para me ofender ou confrontar. Há quem defenda essa atitude como democracia. Já não penso assim. Internet é uma extensão da nossa vida, e os perfis pessoais, embora com centenas de amigos, é uma extensão da nossa casa. Se sou Corinthiana e estendo uma bandeira do meu time na sacada, espero que minha residencia não seja invadida por Palmeirenses querendo me convencer a torcer para o time deles, muito menos me xingando, ofendendo e me depreciando por minha escolha.

Da mesma forma, durante toda a campanha não entrei no perfil pessoal de ninguém para debater, criticar ou o que quer que seja. E esperava ser tratada com a mesma educação e respeito, o que não ocorreu. Vi muita gente se revelando com uma pequenez de caráter sem tamanho, agredindo amigos sem pensar que, amanhã, estarão todos juntos,  trabalhando, estudando, se divertindo, levando suas vidas como sempre.

Mas, o que mais me chocou foi a onda de agressões aos nordestinos. Sinceramente, não esperava isso de mulheres gordas, que se dizem perseguidas por conta do peso. Na cabeça delas, ser chamada de gorda é um crime, mas desmerecer pessoas por conta de sua origem não. Sou contra também qualquer conversa separatista, isso me lembra o muro de Berlim, não é mesmo?

Mulherões agregam, somam, mudam para melhor. Nunca para pior!

Confesso que estou com medo sim do resultado dessas eleições. Eu tinha uma sede por mudança e, ao meu ver (HEY, AO MEU VER, REITERO: AO MEU VER!!!) isso viria com alternância de poder. Mas já que é o que tem para hoje, vamos seguir em paz, orar por um Brasil mais justo e próspero para todos nós.

🙂

Quer trocar relatos de experiências sexuais e tirar dúvidas com outras mulheres gordas? Entre no GRUPO SECRETO DO MULHERÃO, no Facebook, com entrada permitida apenas para mulheres: Clique aqui para acessar

MAIS MATÉRIAS INTERESSANTES